05/01/2007

Curvas do Rio

Fonte: Casa & Jardim

A vista para uma das mais belas paisagens do Rio de Janeiro foi valorizada com a colocação de amplas janelas e a atualização do terraço nesta cobertura. Com importantes obras de arte, os ambientes ainda exibem ícones do design, alguns deles com as curvas de Oscar Niemeyer

Repórter de imagem Viviane Gonçalves
Fotos Robson Curvello

Zap o especialista em imóveis

As grandes janelas permitem admirar a paisagem estonteante do Rio de Janeiro de todos os ambientes desta cobertura. Sofás e mesa retangular (entre as portas) desenhadas pelo arquiteto André Piva. Almofadas Empório Beraldin e persianas de tela solar da Luxaflex. As duas mesas de centro quadradas Barcelona, de vidro e aço, de autoria de Mies van der Rohe, custam R$ 1.740 cada, no Arquivo Contemporâneo

Com curvas tão sedutoras como as do Morro da Urca e do Pão de Açúcar, as banquetas anatômicas de couro, criadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, decoram o living de 100 m2 com vista para a bela paisagem do Rio de Janeiro, nesta cobertura de 400 m2 em prédio dos anos 70 localizado na praia do Flamengo. As peças vintage dividem espaço com outras, de linhas puras e cores neutras, assinadas por designers famosos, e com obras de arte colecionadas pelo dono do apartamento, um marchand.

Zap o especialista em imóveis

Na reforma feita pelo arquiteto carioca André Piva, o ambiente foi ampliado para o terraço com o fechamento da área de 40 m2, para a criação da sala de jantar, e com a troca das portas-janelas, que eram pequenas. “Coloquei caixilhos, ocupando todo o vão entre as colunas, para o morador desfrutar ao máximo a vista”, diz Piva. O colecionador de arte, que mora sozinho e gosta de receber, pediu ambientes integrados e espaços para expor suas peças. “Ele está sempre mudando algumas obras, que são da galeria onde trabalha, para mostrar aos convidados”, afirma o arquiteto.

O living com livre circulação, todo aberto como se fosse um loft, foi decorado em tons neutros para destacar as telas e as esculturas. As paredes foram pintadas no tom off-white e os estofados de couro, na mesma cor, foram criados por Piva, que desenhou toda a marcenaria do apartamento. As mesas de centro quadradas, de aço e vidro, mantêm a neutralidade e, usadas juntas, compõem de forma elegante com os sofás. O tapete de pêlo de vaca aquece sem quebrar a unidade e diminuir a claridade do ambiente.

Zap o especialista em imóveis

A porta pivotante, feita de madeira wengé ebanizada, ocupa todo o vão da parede do hall, causando impacto logo na entrada. O piso da área social foi revestido com pedra São Tomé, inclusive o do terraço, que recebeu o mesmo tratamento das salas em termos de decoração. Tanto as esquadrias das portas-janelas como as do guarda-corpo são de alumínio anodizado em tom de aço. Como a viga do antigo guarda-corpo de concreto não pôde ser removida, Piva a disfarçou fixando o banco de madeira cumaru em toda a extensão do terraço. Integrado com a paisagem, o espaço tem plantas ligadas ao paisagista Burle Marx.

Zap o especialista em imóveis

Para não reduzir a altura do pé-direito da sala de estar, o arquiteto não usou gesso em todo o teto e instalou a iluminação de spots, típica de galerias de arte, em trilhos de aço. Os focos podem ser mudados de acordo com as obras expostas. Na sala de jantar, o gesso só foi colocado para esconder as vigas da laje, feita para a criação deste ambiente, que ganhou spots embutidos. O material foi empregado ainda para a instalação do ar-condicionado junto às janelas, que têm a entrada de luz natural controlada por persianas de tela solar.

A TV fica em sala separada de 20 m2, que abriga também a biblioteca de arte. “Como havia uma coluna separando naturalmente os ambientes, eu coloquei portas de correr atrás para isolar o local quando necessário”, diz o arquiteto. A exposição de obras de arte e peças de designers continua pela copa-cozinha, de 50 m2, separadas por ilha. Mas o maior charme é das próprias paredes com revestimento cerâmico esmaltado à mão, que lembra tijolinhos à vista. O contraste é criado com o granito preto absoluto das bancadas. “Tudo foi pensado como se fosse obra de arte”, afirma Piva.

Ambientes

A mesa de jantar Florence Knoll é vintage, comprada em antiquário junto com as cadeiras pelo morador. O bufê é do Arquivo Contem- porâneo. Quadro de Mira Schendel adquirido na Galeria Artur Fidalgo. Arranjo horizontal de calas-verdes criado por Jorge Nascimento.

As paredes da copa-cozinha são revestidas de cerâmica pintada à mão, da Fábrica Antígua, comprada na loja Mediterrâneo. Ao fundo, quadro de Milton Machado; à esq., talha em madeira de artista popular. Mesa Saarinen com tampo de mármore Carrara (1,24 m de diâmetro), R$4.060, com cadeiras DCW brancas Charles Eames, R$ 550 cada, no Arquivo Contemporâneo.

<span style="DI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.