11/02/2009

Custo da construção em BH iniciou o ano com alta expressiva

Fonte: Editoria Zap

CUB/m² aumentou 2,79% em Belo Horizonte, ao passar de R$ 802,52 em dezembro para R$ 824,93 em janeiro

Foto: Verônica LimaEm janeiro, o custo com material cresceu 0,20%, mas o grande destaque foi a mão-de-obra, que apresentou variação de 5,56%

O Custo Unitário Básico de Construção em Belo Horizonte (CUB/m² – projeto-padrão representativo) registrou, em janeiro, alta de 2,79% em comparação a dezembro, mês em que cresceu 0,31% sobre novembro. Com isso, o custo do metro quadrado de construção em Belo Horizonte para o projeto-padrão R8-N (residência multifamiliar, padrão normal, com garagem, pilotis, oito pavimentos-tipo e 03 quartos) que em dezembro era de R$ 802,52 passou para R$ 824,93 em janeiro.

Neste mês, segundo o coordenador sindical do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), economista Daniel Furletti, os dois principais grupos componentes do CUB/m² – material e mão-de-obra ? sofreram aumento.

?Em janeiro, o custo com material cresceu 0,20%, mas o grande destaque foi a mão-de-obra, que apresentou variação de 5,56%. Esta alta é pontual, pois refletiu uma sazonalidade, que foi o aumento anual da mão-de-obra no setor. A data-base dos trabalhadores da construção em Belo Horizonte é no mês de novembro e o fechamento do acordo coletivo aconteceu no início deste primeiro mês do ano, o que impactou diretamente o crescimento do custo da construção?, explica o coordenador do Sinduscon-MG, salientando que a mão-de-obra respondeu por 45,81% do valor do CUB/m² no mês pesquisado.

Em relação ao grupo materiais de construção, a variação observada em janeiro foi a menor registrada pelo CUB/m² nos últimos dois anos. ?Depois de incremento significativo no ano passado, o grupo materiais de construção avançou 0,20% em janeiro, a menor taxa registrada desde janeiro de 2007, que foi de 0,08%?, informa Furletti. ?Apesar deste resultado, alguns insumos se destacaram pela expressiva elevação de preços, como o saco de cimento de 50Kg, que aumentou 5,66% ao passar de R$ 15,90 em dezembro para R$ 16,80 em janeiro. O preço do concreto também teve incremento de 5,23%?, acrescenta.

Outros materiais que também apresentaram aumentos relevantes em seus preços no mês de janeiro foram: tubo de ferro galvanizado com costura 2 ½? (+8,79%), placa de gesso (+7,14%), bloco cerâmico (+4,55%), tubo de PVC rígido reforçado para esgoto, 150mm (+3,60%) e esquadria de correr (+3,17%).

Mesmo com estas altas, o coordenador sindical do Sinduscon-MG acredita em uma maior estabilização dos preços na economia nacional. ?O mundo enfrenta um momento muito delicado e o país está atento a isso. Não existe espaço para aumentos injustificados de preços. É hora de estimular cada vez mais a produção. Além disso, o setor aguarda o anúncio do pacote de incentivos do Governo Federal – especialmente para habitação popular – que, ao que tudo indica, trará a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para alguns materiais de construção?, salienta.

Janeiro a dezembro/2008: Em 2008, o CUB/m² aumentou 10,90%, a maior variação observada desde 2003, quando cresceu 13,86%. Contribuiu significativamente para este resultado, o expressivo crescimento no custo com materiais: de 17,61%. Neste grupo, o grande destaque ficou por conta da alta de 59,85% no preço do aço CA 50 10 mm. Outros materiais que apresentaram significativas variações em preços no ano passado foram: bloco de concreto (+32,99%) telha fibrocimento ondulada (+34,10%), tubo de ferro galvanizado com costura (+26,65%) e concreto fck 25 MPa (+22,77%).

O CUB/m² é um importante indicador de custos do setor e acompanha a evolução dos preços de materiais de construção, mão-de-obra, despesas administrativas e aluguel de equipamentos. É calculado e divulgado mensalmente pelo  Sinduscon-MG, de acordo com a Lei 4.591/64 e com a Norma Técnica NBR 12.721:2006, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.