12/01/2009

Da escada sem vida para uma com estilo

Fonte: Jornal da Tarde

Projetos de atualização aproveitam formato antigo e dão um novo charme para a peça

Foto: DivulgaçãoZap o especialista em imóveisOs arquitetos Antonio Ferreira Júnior e Mario Celso Bernardes reformaram e ampliaram a escada caracol

Aquela escada antiga e sem vida pode se transformar em um a das partes de maior destaque da casa. Qualquer que seja o formato, arquitetos e designers estão sempre em busca de soluções para melhorar e atualizar a peça que faz a ligação entre os andares do imóvel.

Exemplo disso é um dos projetos em que os arquitetos Antonio Ferreira Júnior e Mario Celso Bernardes trabalharam. Eles transformaram uma escada caracol antiga e desconfortável em uma item funcional e de beleza para o ambiente.

?O que fizemos foi aumentar o diâmetro da escada, colocar um novo guarda-corpo e degraus que acompanham o piso do apartamento. As em formato caracol sempre sofreram preconceito porque eram desconfortáveis, ruins para utilização diária. No entanto, podem ser peças muito bonitas se bem realizadas?, explica Ferreira Júnior.

No caso, a escada liga o apartamento à cobertura que tem uma sala utilizada como área de lazer e trabalho, além de quarto de hóspedes. ?Com o aumento do conforto, os moradores passaram a usar mais o andar superior. As mudanças não saem caro, podem ser feitas tranquilamente e sempre que podemos buscamos valorizar esse item?, comenta Ferreira Júnior.

Entre os modelos disponíveis, além do tradicionais retos, em L, U, caracol – que passou por um período em que era renegada a ambientes apertados e mal dimensionada – e semicaracol, existe também a Santos Dumont. Esta é recomendada para áreas de pouco espaço, pois é mais estreita e tem uma inclinação acentuada. ?Ela não é tão confortável na visão de quem vai usar porque a descida é muito vertical. Mas para fazer o acesso, se bem executada, pode ser feito sem problema?, explica Paulo Bulario, proprietário da fabricante de escadas Só Escadas.

Os modelos com corpo em concreto também tem perdido espaço por serem mais pesados visualmente do que os formatos em metal ou madeira.

Mas os profissionais recomendam que a escada seja feita por um profissional especializado. Segundo Bulario, os erros são mais comuns do que se imagina, como o primeiro degrau mais alto ou o último mais baixo ou sem folga para o revestimento, que dá diferença de altura entre os degraus. ?Há regras para construir. Para um item com conforto é necessário alguém que conhece?, diz. A altura recomendada entre os degraus é de 17 a 19 cm. Já a largura mais confortável está acima dos 80 cm, com pisada de no mínimo 25 cm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.