19/04/2011

Decoração à prova da estripulia adolescente

Fonte: O Globo

O quarto. O que antes era um espaço restrito a (inocentes) brincadeiras vira uma espécie de refúgio, quando seus ex-pequenos moradores chegam à fase da adolescência. E, como tal, serve de cenário para as mais diferentes peripécias. Sendo assim, investir em móveis e acessórios práticos e funcionais é importante, mas não o bastante. É preciso escolher os revestimentos e os materiais certos. Ou melhor, à prova de adolescentes.

Foi o que fez a dupla de arquitetas Alessandra Amaral e Bianca Assuf diante da missão de projetar um quarto para dois irmãos. As paredes foram revestidas com madeira de demolição; caixas garimpadas em feira agora fazem as vezes de estantes. Almofadas e pufes ganharam capas resistentes de sarja e couro. Em outro quarto, elas lançaram mão de um verniz à base de poliuretano para aumentar a durabilidade dos móveis.

Vale usar tecidos de áreas externas – Já o desafio da arquiteta Maria Cristina Hazin era atender aos anseios de um adolescente de 12 anos, já saído da fase dos carrinhos. A solução partiu da estampa camuflada que ajudou a dar ao quarto uma cara de acampamento. Para completar, ela optou por um piso escuro que imita madeira de demolição, esconde qualquer manchinha e pode ser limpo só com pano úmido. A cama é um tablado e, por cima dela, a colcha e as almofadas são de tecido normalmente usado em áreas externas, que mantém a cor por mais tempo.

Solução parecida foi dada pela arquiteta Luciana Ventura para um quarto dividido por dois irmãos, um de dez e outro de 20 anos. Além de resistir às estripulias do mais novo, o ambiente precisava receber móveis e acessórios resistentes a raios solares, de alta incidência naquele espaço. O jeito foi utilizar papéis de parede vinílicos, que têm proteção solar, e tecido acrílico, que não desbota, para as almofadas.

Para um adolescente guitarrista que vive recebendo montes de amigos para tocar no quarto, era preciso encontrar um material resistente e fácil de lavar para a colcha. A opção das arquitetas Anamaria Café e Débora Cherman foi por um modelo de brim estonado da Paramento, que vai direto à maquina.

“A grande vantagem é que o material aguenta o dia a dia da garotada e não desbota durante as lavagens porque já tem a aparência desgastada”, diz Miriam D”Aquino, designer do produto.

Quando o que precisa resistir são os móveis, há os laminados. Foi essa a opção dos arquitetos Fernanda Bessone e Raul Moras na estante e na bancada de um quarto de irmãos gêmeos de 13 anos. Além de imitar madeira, o material não absorve a água e é fácil de limpar – até riscos de canetas são removíveis.

LEIA MAIS:

Decoração do Mais Você sempre na moda

Confira a lista de itens indicados para ajudar na organização do seu escritório

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.