17/10/2004

Decoradores dão dicas para a nova casa

Fonte: Editoria Zap

Zap o especialista em imóveis

Quem compra ou aluga um imóvel mal assina o contrato e já começa a planejar a decoração da casa nova. Mas em tempos econômicos bicudos, muitas vezes, a vontade de morar num espaço bonito e personalizado esbarra na questão financeira. Quando se vê, a compra (ou locação), as despesas legais e a mudança já reduziram — e muito — o saldo da conta bancária. Para aqueles que se encontram exatamente nessa fase, arquitetos e designers dão dicas de como começar a decorar o imóvel.

O designer Fernando Jaeger afirma que quem muda vai precisar de um kit básico para atender as necessidades de dormir, comer e sentar. “Vai ser preciso comprar uma cama, uma mesa (para cozinha ou sala de jantar) e um sofá. Já o bufê, o rack e a estante podem ficar para segundo plano.” Como 70% de seus clientes moram em apartamentos, e como as unidades estão cada vez menores, Jaeger tornou-se um expert em criar móveis de design diferenciado para pequenos espaços.

Outra especialista em arquitetura de interiores, Brunete Fraccaroli, costuma dizer que é preferível mudar apenas com colchão, som e almofadões, do que comprar móveis precipitadamente e correr o risco de gastar com peças descartáveis. “Tenha poucos, mas bons móveis. Peças de boa qualidade perduram no tempo e se tiverem um bom design, melhor ainda.”

Para ela, o quarto deverá receber uma cama confortável e armários. A cozinha deve ser equipada e também receber bons armários. No living, sofás básicos com linhas simples e proporções condizentes com a área do imóvel são bem-vindos. Capas de algodão para os estofados é outra dica da arquiteta, além de serem fáceis de lavar, ajudam a diversificar a decoração depois de algum tempo.

Com o tempo uma mesa de centro e outra lateral, pufes e banquetas poderão completar a decoração. “Um quadro ou painel fotográfico, uma luminária e pronto”, afirma Brunete, que ressalta a importância de espaços sem muitos objetos e cortinas. “O entulhar está fora de moda e, além disso, dificulta a limpeza das áreas.”

O arquiteto Léo Shehtman opta por iniciar pela estrutura do local, cuidando de pisos, dos forros, da iluminação e de detalhes de pintura — como o uso de cor ou textura em uma das paredes para dar charme a determinado canto ou ambiente. “Uma base bem montada facilita a decoração e cria pequenos cenários.” Seu conselho é para que o dormitório e a cozinha sejam montados primeiro.

Segundo Shehtman, pode-se contar com poucos móveis, mas as peças devem oferecer qualidade. “A tendência aponta para decorações simples com móveis modernos”, diz ele. Léo Shehtman é um dos profissionais para quem é melhor pecar pela falta do que pelo excesso.

Para a jornalista e arquiteta, Olga Krell, diretora da revista de decoração Espaço D, o importante é contar com um profissional especializado na tarefa de decorar. Mas quando isso não é possível ela recomenda a prática do ‘faça você mesmo’. “Quando me casei, eu e meu marido laqueamos prateleiras feitas de caixote de madeira para abrigar livros e objetos. Como morávamos nos EUA pudemos comprar mais facilmente móveis sem acabamento ou de segunda-mão, mais baratos, e os pintávamos em casa. Também aproveitei meu jeito para a costura e fiz todas as cortinas e as colchas da casa”, lembra Olga.

Sua experiência serve para destacar que, em tempos de crise, não há nada de errado em soltar a criatividade e dar um toque pessoal ao novo espaço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.