28/12/2009

Desde o Antigo Egito, móvel passou por uma série de transformações

Fonte: O Globo

Nos anos 1920, foram lançadas as primeiras camas assinadas por designers renomados

Diz a lenda que Tutankhamon, o mais famoso dos faraós, dormia numa cama com molduras de ébano forradas de ouro. O tempo passou e, no século 18, surgiram as cabeceiras estofadas e os dosséis. Os modelos de ferro foram apresentados numa exposição em Londres, em 1851.

Cama com molduras de ébano forradas de ouro (Foto: Divulgação)
Cama com molduras de ébano forradas de ouro (Foto: Divulgação)

“Os antigos egípcios tinham camas dobráveis, com suportes especiais para as cabeças. Com o tempo, o móvel ficou mais confortável e ganhou um design mais simples, de acordo com as necessidades contemporâneas. Hoje, o menos é mais”, ressalta a arquiteta Monique Granja.

A reboque do estilo art nouveau, por volta de 1900, apareceram modelos com detalhes em demasia, que tiveram vida curta. A consagração do mais popular entre os móveis aconteceu nos anos 1920, com os lançamentos de peças assinadas por nomes famosos como Le Corbusier e Charlotte Perriand.

NO FENG SHUI, ORIENTAÇÃO PARA O POSICIONAMENTO DO MÓVEL – Para o arquiteto Rômulo Castro, a cama pode – ou não – ser uma grande aliada da decoração. Daí, a importância de acertar na escolha do modelo:

“Nos quartos pequenos, como o espaço não permite o uso de muitos móveis, é aconselhável usar uma cabeceira leve, mas atraente. Para quem gosta de ler na cama, uma opção prática é usar almofadas presas por alças a um varão de cortina.”

O feng shui, antiga arte chinesa que busca a harmonia dentro de casa, também reserva algumas orientações para o posicionamento da cama. O móvel não pode ficar com os pés voltados para a porta do quarto – esta posição, para os chineses, remete aos velórios realizados em casa. Outra dica é não encostar a cama na parede em que, do outro lado, esteja a pia ou o vaso sanitário do banheiro. Traz energias negativas.

“É imprescindível manter boa circulação no quarto. Para isso, o ideal é ter uma média de espaço de 70 centímetros entre os móveis”, destaca a arquiteta Ana Paula Violland.

FABRICAÇÃO DE COLCHÕES TAMBÉM AUMENTOU EM 2008 – Os colchões também ganharam importância nos últimos tempos, com modelos ortopédicos e terapêuticos. Segundo o Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi), a produção do modelo de casal cresceu em 2008: foram produzidos 16,8 milhões, contra 15,4 milhões do ano anterior. Já a produção do modelo de solteiro caiu: 9,4 milhões em 2008, contra 9,6 milhões em 2007.

4 Comentários

  1. materia inutil que nao acrescenta nada. sim, os moveis passaram por transformacoes ao longo dos seculos, mas tudo que cerca o homem tambem passou. e o que a producao de colchoes em 2008 tem a ver com a transformacoes dos moveis ao longo dos anos??? meu deus o editor tomou muito absinto no reveillon!!!

  2. A cama de TutanKhamon possuia os “pés” da parte oposta a cabeceira mais levantados e hoje a ciencia comprova que isso ajuda na circulaçao sanguinea durante o sono. A pergnta é: Como eles sabiam disso…?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.