30/10/2006

Dicas de proteção contra assaltos

Fonte: O Estado de S. Paulo

Cartilha elaborada pela polícia ensina, de forma direta, que unir esforços e se comunicar é fundamental para evitar a violência

Simples e sem a necessidade de muito investimento. Assim é o projeto Segurança Integrada em Condomínios, desenvolvido pela Secretaria de Segurança Pública para coibir assaltos em edifícios. Para tirar o esboço do papel, cada prédio precisa investir, no mínimo, R$ 600 mensais – valor orçado pela polícia que inclui os equipamentos. Este valor é possível, segundo especialistas do setor, porque é um atendimento feito a um grupo de condomínios próximos. A instalação leva até 15 dias.

O objetivo é unir edifícios que estejam num raio de 200 metros, distância exigida por critérios técnicos. “Para colocar o projeto em prática precisamos da participação de três prédios, no mínimo’, afirma o diretor comercial da GP Guarda Patrimonial, Cláudio Gaspari. Acima desta distância, o projeto de segurança fica mais caro.

“Um sistema integrado de segurança tem como principal objetivo juntar diversas ferramentas distintas de segurança, operando-as de forma simultânea e de maneira coordenada, com o fim de proporcionar um alto nível de vigilância, detecção e reação contra atos criminosos de qualquer espécie”, diz a cartilha elaborada pelo Departamento de Investigação sobre o Crime Organizado (Deic) e divulgado pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP).

Cada condomínio que integra o sistema precisa de uma câmera, um seqüenciador de imagens (que alterna as portarias), um monitor e um botão antipânico, que acionado alerta a empresa prestadora de serviços. Os porteiros também devem ter um rádio comunicador. Um prédio monitora o outro.

No caso de uma invasão em alguma das portarias, um porteiro – que vê toda a ação pelo monitor – aperta o botão antipânico, conectado a central de monitoramento da empresa contratada.

Para saber se é realmente um assalto, a prestadora do serviço confirma, por meio do rádio, uma senha já combinada com os porteiros. Em seguida, avisa a polícia e os moradores dos outros edifícios, que são orientados a ficar no condomínio até a chegada da polícia.

Serviço 
Conheça a cartilha na íntegra no site www.secovi.com.br/download

É o numero de assaltos a condôminios registrados neste ano somente em São Paulo 30 È o quantidade de ataques aos moradoes em todo o Estado no ano passado 27mil 27 mil É o número de condominios apenas na capital paulista 181 É o número do disque-denúncia da polícia paulista, para ser usado em caso de suspeita de roubos e sequestros, entre outros números

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.