21/10/2007

Dois dormitórios: menores e caros

Fonte: O Estado de S. Paulo

Segmento é o campeão em unidades lançadas e vendidas este ano; alta liquidez pressiona preços

Vedetes do mercado imobiliário este ano, os apartamentos de dois dormitórios estão menores e mais caros. De acordo com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), no período de janeiro a setembro de 2007, o preço médio do metro quadrado no segmento foi de R$ 2.298. No mesmo período do ano passado, a média era de R$ 2.210. A metragem média registrada até setembro deste ano foi de 52 metros quadrados, ante 54 metros quadrados no ano passado.

O aumento do preço se explica pela alta liquidez do segmento, que vem registrando aumento de vendas consecutivas, motivadas pelos financiamentos habitacionais que estão mais acessíveis à população de classe média. Já a queda da área útil média é explicada pelos empreendedores pela escassez e encarecimento dos terrenos na capital.

No entanto, os preços das unidades de três e quatro dormitórios caíram, puxando a média do valor médio do metro quadrado útil para baixo: de R$ 3.563 para R$ 3.185. A queda no tamanho das áreas foi verificada em todos os segmentos. A média geral caiu de 108 metros quadrados para 100 metros quadrados. No geral, os números de lançamentos e das vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo são animadores para o mercado. Houve um aumento de empreendimentos lançados da ordem de 28% em relação ao mesmo período no ano passado. Se forem contabilizadas as unidades, o crescimento é ainda maior: 45%. O segmento de dois dormitórios é o que mais se destaca. Ao todo, foram 8.154 unidades lançadas até setembro, segundo a Embraesp. Em seguida, vêm as unidades de quatro dormitórios: 6.881 no total; e de três quartos: 3.351. Apenas 278 apartamentos de um dormitório foram lançados. No ano passado, os números de lançamentos eram equilibrados entre os segmentos de dois, três e quatro dormitórios, no mesmo período.

Vendas

As negociações das unidades ofertadas também seguem em ritmo acelerado. Conforme dados do Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), somente em agosto – último mês contabilizado pela instituição -, o desempenho das vendas cresceu 16,5%, conforme o indicador de Vendas Sobre Oferta (VSO).

Por segmento, o destaque também foi o de dois dormitórios, com índice médio muito superior aos demais: 35%. Imóveis com valor médio de até R$ 120 mil e área privativa média em torno de 50 metros quadrados , independentemente da região da cidade, contribuíram para o excelente desempenho desse segmento.

Unidades de três e quatro dormitórios registraram VSO médio de 10,2% e 10,7%, respectivamente. “De modo geral, notou-se desempenho favorável na venda de imóveis com valores de até R$ 350 mil, provavelmente por estarem compreendidos na faixa de crédito”, afirma Alberto Du Plessis Filho, vice-presidente de Tecnologia e Relações de Mercado do Secovi-SP.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.