23/06/2009

Duratex e Satipel criam empresa de R$ 3,3 bilhões

Fonte: O Estado de S. Paulo

Empresas anunciaram ontem fusão que cria a oitava maior fabricante de painéis de madeira do mundo

A Duratex e a Satipel anunciaram ontem uma fusão que levará à criação da oitava maior empresa de painéis de madeira do mundo, com faturamento de R$ 3,3 bilhões. A nova companhia terá 45% da capacidade instalada de painéis de madeira do Brasil, com uma participação de mercado em torno de 40%. Juntas, Duratex e Satipel esperam conquistar mercados internacionais e ampliar a receita com exportações, que hoje representa apenas 5% do total.

Pelo formato anunciado, é a empresa menor, a Satipel, cujas ações são negociadas no Novo Mercado da Bovespa, que vai incorporar a Duratex, empresa controlada pela Itaúsa, a holding do banco Itaú. A Satipel fará um aumento de capital e mudará seu nome para Duratex S/A. A nova Duratex continuará, assim, negociando suas ações no Novo Mercado e será presidida por Henri Penchas, atual presidente da Duratex.

Os atuais acionistas da Duratex terão 75% da nova empresa. Os outros 25% ficarão com os acionistas da Satipel. Ao final da reestruturação societária, os controladores da Duratex terão 39,6% da nova empresa, os controladores da Satipel, 17%, e os demais acionistas, 43,4%.

Os sócios controladores – as famílias Setubal e Villela, pelo Itaú, e os Seibel, pela Satipel – se comprometeram a manter pelo menos 40% das ações negociadas no mercado para manter a liquidez dos papéis. Eles também se comprometeram a não vender suas respectivas participações por um prazo de 5 anos. “É uma forma de demonstrar nosso compromisso em perpetuar a empresa”, afirmou Salo Davi Seibel, presidente do conselho da Satipel, que permanecerá na presidência do conselho da nova Duratex.

Para o presidente executivo da Duratex, o processo de fusão das duas empresas levará de seis meses a um ano, com ganhos de sinergia da ordem de “algumas dezenas de milhões de reais”. Segundo Penchas, serão criados 14 grupos de trabalho para estudar e promover a integração de cada área ou departamento, como logística, suprimentos e tecnologia.

A Duratex faturou R$ 2,5 bilhões em 2008 e é líder na produção de painéis de MDF, chapas de fibra e pisos laminados, além de ser dona da marca de metais sanitários Deca. Já a Satipel, que faturou R$ 716 milhões, é líder em painéis de MDP. Segundo Penchas, os negócios são complementares e a união das empresas não deverá provocar problemas no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Esse é um setor que tem nove empresas e não há restrições às importações.”

As negociações começaram há cerca de três meses, quando Salo Seibel procurou os acionistas da Duratex. “Quando foi anunciada a fusão do Itaú com o Unibanco, achei que tínhamos tudo para dar certo também”, disse Seibel.

Com o anúncio da associação entre a Duratex e da Satipel, as cotações dos papéis das duas empresas dispararam. Na avaliação do professor de Finanças da Fundação Dom Cabral, Haroldo Vale Mota, a operação é positiva para os minoritários das duas companhias, por causa da sinergia. “Duratex e Satipel vão ganhar musculatura para competir globalmente, ao formarem a maior empresa de painéis de madeira do Hemisfério Sul e uma das maiores do mundo”, disse Mota.

Além disso, segundo Mota, No mercado interno, a produção em maior escala fará com que a nova empresa esteja mais preparada para atender com mais eficiência à demanda por painéis de madeira para a produção de imóveis para as classes C e D, impulsionada pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.