23/10/2007

É a vez dos autônomos

Fonte: Jornal da Tarde

Bancos têm facilitado a liberação do financiamento para quem não tem holerite. Hoje, basta apresentar extratos bancários e comprovante do IR

Marcelo Ximenezz/AEZap o especialista em imóveisRobusti: “Se o interessado é bom pagador, por que não emprestar?”

Reunir extratos bancários e a última declaração do Imposto de Renda pode ser suficiente para o trabalhador autônomo conseguir comprovar renda e, desta forma, obter o financiamento da casa própria na maioria dos bancos. Com a ampliação do volume de crédito disponível e o aumento da segurança nos contratos, as instituições financeiras estão ampliando o leque de clientes em potencial e prometem reduzir ainda mais a lista de exigências para 2008.

Hoje, segundo o governo federal, há mais de 15 milhões de pessoas trabalhando por conta própria no País – o que representa quase 35% do total de trabalhadores brasileiros. Com um público tão grande e condições favoráveis, os bancos estão direcionando esforços para liberar financiamentos a essas pessoas.

A situação dos autônomos que buscavam dinheiro para comprar a casa própria começou a mudar principalmente a partir de 2004, quando o mercado entrou em um período de grande expansão. Segundo especialistas consultados pelo JT, enquanto o crédito ainda não era farto não era interessante para os bancos liberar financiamento para quem não tinha comprovação de renda. Agora, a situação mudou. “Na medida que a concorrência se acirrou, os bancos baixaram as exigências burocráticas e houve um avanço muito grande neste ano”, comemorou o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado (Sinduscon-SP), João Cláudio Robusti. “Além disso, a própria segurança dos contratos ampliou o mercado: se o interessado não tem holerite mas é um bom pagador, por que não emprestar?”, ponderou.

Ontem, o JT ligou para o serviço de atendimento telefônico de diversos bancos e comprovou que, no geral, exige-se apenas a declaração do Imposto de Renda e extratos bancários – muda, no entanto, a quantidade desses papéis. Caso o autônomo tenha algum contrato de prestação de serviços, o documento também pode ser incluído na relação, para facilitar a análise da instituição financeira. Há alguns anos, a relação era bem maior: alguns agentes financeiros chegavam a exigir até mesmo recibos de aluguel e últimos carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), para verificar a capacidade de pagamento do cliente.

O diretor de crédito imobiliário da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Mauro Costa, lembra que era comum exigir ainda uma Declaração de Comprovação de Rendimentos (Decore), fornecido pelo contador do autônomo. “Já faz cerca de dois ou três anos que os bancos passaram a aceitar esses trabalhadores no financiamento imobiliário. A tendência é que o acesso ao crédito habitacional fique cada vez mais simples.”

O Banco do Brasil é o único ainda a exigir a Decore.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.