17/07/2009

É residencial, mas parece até hotel

Para solucionar conflitos causados por disputa de vagas em condomínios, há quem já ofereça terceirização de serviços de manobristas, comuns em flats e prédios comerciais, também em condomínios residenciais, como a rede Maxipark.

“É uma situação que foge do trabalho do síndico. Com ele, conseguimos ‘ampliar’ o espaço em até 40%. A chave do veículo fica com a empresa, que coloca um funcionário no espaço, e a responsabilidade em caso de sinistro e roubo passa a ser da rede”, explica o diretor de operações Carlos Evandro.

Porém, o custo é o grande obstáculo para o serviço, ainda incipiente. A rede opera 52 estacionamentos em São Paulo. Por enquanto, apenas um condomínio residencial utiliza seus serviços terceirizados. “Já tivemos mais prédios do tipo na cartela que desistiram do serviço, motivados pelo reajuste de tarifas.”

O preço varia conforme a necessidade de mão de obra. “Para mantermos um manobrista por 24 horas ao dia, precisamos de, ao menos, três pessoas. Isso, logicamente, tem um custo”, completa Evandro.

Portanto, o perfil de condomínio acaba sendo de classe média/alta, que possuem moradores com mais de um veículo por família e garagens ‘difíceis’. Em um condomínio com 100 apartamentos, o custo pode atingir R$ 5 mil. “Rateado entre moradores, pode custar R$ 50 por mês”, explica o executivo.

Para neutralizá-lo, a empresa oferece a possibilidade de explorar as vagas comercialmente, para moradores de edifícios vizinhos, mas a questão segurança ainda é obstáculo.

Quer saber mais? Siga o ZAP no Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.