22/05/2009

Eles são o foco do mercado

Fonte: Jornal da Tarde

Imóveis de até R$ 200 mil são a maioria dos lançamentos neste ano na cidade

Clayton de Souza/AEEles são o foco do mercadoPraça em São Miguel Paulista: bairro da Zona Leste de São Paulo liderou entre os imóveis econômicos e lançou 451 unidades em quatro meses

A crise econômica trouxe uma boa notícia para quem sonha com a casa própria: opções de imóveis econômicos, de até R$ 200 mil. Apesar do número de lançamentos terem caído quase pela metade quando comparado ao mesmo período de 2008 na cidade, esse tipo de unidades responderam pela maioria dos lançamentos no município nos três primeiros meses desse ano, atingindo 54%, ciclo que já vinha sendo observado desde 2006, mas que, agora, deve crescer mais que os outros segmentos até o fim do ano, impulsionado pelo pacote habitacional lançado pelo governo federal em março. Segundo previsão do Sindicato de Habitação de São Paulo, o Secovi, o crescimento deve atingir 40%.

?Com o desencadeamento da crise, os projetos das empresas passaram por uma revisão. Agora, elas procuram lançar empreendimentos de padrão mais baixo, que dão maior segurança e têm grande potencial de vendas?, explicou Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi.

Os lançamentos somaram 2.278 unidades do tipo nos quatro primeiros meses do ano, 37% na Zona Leste da Capital, em bairros como São Miguel Paulista (451 unidades), Jardim Aricanduva (240), Itaquera (174), Tatuapé (173) e Penha (119). Em outras regiões, se destacam a Freguesia do Ó (219) e Limão (182). Nos anos anteriores, eram mais distribuídos em regiões como a Norte.

?A tendência é que se concentrem em áreas com terrenos mais baratos, em direção à periferia. A Zona Sul também tem espaço para esses empreendimentos, em bairros como e Campo Limpo, mas a expansão é coibida pela zona de proteção de mananciais, na região da Represa Guarapiranga, assim como na Zona Norte, em bairros como a Freguesia do Ó, é restringida pela Serra da Cantareira?, diz Luiz Paulo Pompéia, diretor da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp).

?O segmento está aquecido, pois pega carona no programa governamental ?Minha Casa Minha Vida?, que atinge pessoas com renda de até dez salários mínimos, ou R$ 4.650 de renda familiar. Como a prestação do imóvel correspondendo a 20% do salário, são prestações mensais de R$ 800. Há demanda nesse segmento, que foi mal atendido pelo mercado nos últimos dez anos?, explica Pompéia.

Apesar desse crescimento, quem quer comprar uma casa não vai mais encontrar o número de opções que 2008 proporcionou. Petrucci considera difícil que o mercado imobiliário volte ao patamar do ano passado, que considera, assim como 2007, um ?ponto fora da curva?.

Porém, ele diz que o número total de lançamentos no primeiro trimestre na cidade, que somaram 3.154 unidades, e a expectativa até o fim do ano, de 28 mil unidades lançadas, são semelhantes aos números de 2006 e 2005. Esses lançamentos devem se concentrar no segundo semestre do ano, de acordo com o Secovi.

OPORTUNIDADES:

MÉRITO VILA CURUÇÁ
30 unidades com dois e três dormitórios, 47 m2 ou 62 m2 privativos a R$ 96 mil. Quadra gramada, piscinas e fitness
www.livingweb.com.br/web/ficha/MeritoVilaCuruca/

ALCANCE CLUBE RESIDENCIAL
Unidades de até R$ 200 mil com dois ou três dormitórios e 53 m2 de área. Com suíte e varanda grill. Localizado entre os bairros Saúde, Vila Mariana e Ipiranga
Informações: 3067-3067

AVANTI CLUBE V. PRUDENTE
Unidades de até R$ 200 mil com dois ou três dormitórios e área de 45 m² a 97 m² e lazer completo ao lado de um bosque. Lançamento na semana que vem e até 36 meses para entrega
Informações: 3067-3067

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.