08/10/2010

Eletrodomésticos com acesso à rede

Eletrodomésticos com acesso à rede

Fonte: Revista do ZAP

Tecnologia permite que artigos de casa passem a ser centros de geração e processamento de informação

Por alguns anos, computadores pessoais tiveram exclusividade na conexão com a internet. Hoje, já disputam o acesso com smartphones (celulares inteligentes), tablets (computadores estilo prancheta) e até leitores de livros eletrônicos (e-readers). Muito em breve, o rol de aparelhos e objetos conectados deve se expandir para eletrodomésticos, veículos e até sapatos. Mas para quê?

Segundo o superintendente do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R.), Sérgio Cavalcante, para facilitar a vida. Com chips e componentes cada vez menores, eletrodomésticos e outros objetos podem ser integrados a aparelhos de uma casa ou à internet.

De simples equipamentos, eletrodomésticos passam a ser encarados como sensores e dispositivos: ou seja, centros de geração e processamento de informação. O resultado é a simplificação de tarefas que hoje exigem tempo dos usuários. Um carro conectado à rede e equipado de pequenos sensores avisará o dono, por e-mail ou mensagem de texto no celular, cada vez que uma manutenção for necessária antes de ocorrer um acidente ou de uma revisão periódica.

– Temos de ver as coisas como dispositivos que geram conteúdo associado ao seu funcionamento. Integradas à internet, essas informações poupam tempo – diz Cavalcante.

Na lista também podem entrar objetos que nem de longe parecem um aparelho. Equipada com microchips, uma raquete de tênis, por exemplo, pode não só avaliar o desempenho dos movimentos de um jogador como enviar as informações pela internet a um treinador em qualquer parte do mundo e até simular um jogo virtual à distância. Equipamentos em casa também poderiam ser controlados pela internet.

– Imagine antes de chegar em casa já ligar as luzes, o ar-condicionado e a água quente. Isso é possível conectando um quadro de energia à rede por um chip 3G – acrescenta o professor de tecnologia da informação da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap) Almir Meira Alves.

Neste tipo de tecnologia, não se trata de acessar a internet por meio da geladeira ou do carro. A intenção é dar acesso a esses objetos para que se comuniquem com outros dispositivos na web. Veja alguns exemplos:

> Geladeira
Um projeto desenvolvido no Brasil cria uma lista a partir dos produtos (com código de barras) colocados na geladeira.

geladeira inteligente

Quando algum deles está em falta, a própria geladeira envia um pedido para o supermercado encomendando os itens que acabaram. Outras possibilidades seriam: aviso de produtos com a validade vencida e sugestões de cardápios com os alimentos disponíveis em casa.

> Automóveis
Projetos já em andamento em grandes montadoras incluem painéis sensíveis ao toque para monitorar informações de trânsito, do próprio carro e conteúdos on line, como coleções de músicas.

atuomóveis gps

Num deles, em vez de ter uma nova tela, o próprio vidro do automóvel incorporaria alguma dessas tarefas com a tecnologia touchscreen e inclusive exibiria informações de rotas do GPS diretamente no para-brisa. O carro também poderá informar a necessidade de manutenção e, em caso de acidentes leves, notificar a seguradora, o guincho e chamar um táxi.

> Casa inteligente
Com quadros de luz conectados à internet, o controle de quase todos os equipamentos eletrificados da casa pode ser feito à distância. Já é possível programar o ar-condicionado.

camera 3D

Se o usuário se atrasar, ou se adiantar, no entanto, não tem como adaptar a tecnologia. Se controlados pela internet, não só climatizadores mas portas de garagem, luzes, banheiras e outros aparelhos poderão ser ligados quando o usuário quiser, à distância.

> Dispositivos portáteis
Smartphones unem o potencial de um sistema operacional com o acesso à internet. Junto com os tablets, são considerados uma parte fundamental na interação com outros objetos.

celular

Além de servir como controle remoto de alguns aparelhos, têm potencial de se tornar centrais de informações móveis sobre os dispositivos conectados, com a vantagem de estar sempre por perto do usuário.

> TV
Seguindo o princípio da web de contexto, em que os serviços aprendem as preferências dos usuários, uma TV conectada poderia ligar nos canais mais assistidos, ou até gravar e baixar os programas preferidos da internet sem ser programada.

tv

Além disso, aplicativos desenvolvidos para televisores permitiriam interação com apresentadores de programas na TV pela rede, em tempo real.

Leia mais
>> Todos de olhos na TV 3D
>> Futuro da lâmpada é o LED
>> Saiba mais sobre arquitetura e decoração no Pense Imóveis

Tags: arquitetura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.