24/09/2006

Em ritmo de espera pela casa própria

Fonte: O Globo

Para representantes do setor imobiliário, bancos devem adaptar condições para trabalhadores de empresas privadas

Modalidades diferentes de empréstimos para a compra da casa própria com desconto em folha de pagamento. Para o diretor-geral da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Osvaldo Correa Fonseca, essa pode ser a forma de oferecer aos trabalhadores da iniciativa privada financiamentos pelo sistema, estendido à área habitacional pelo governo no último dia 12. É consenso no mercado que os funcionários públicos serão os primeiros beneficiados. Já no caso do setor privado, a possibilidade de demissão do empregado eleva o risco para os bancos.

— Se não há estabilidade no emprego, como ocorre no setor público, uma saída pode ser oferecer o desconto em folha aos empregados de empresas privadas por um período mais curto, cobrindo a fase inicial do contrato — diz.

O presidente da construtora Concal, José Conde Caldas, acredita que as instituições farão uma análise caso a caso:

— Funcionários de empresas sólidas, que costumam investir na carreira de seus empregados, certamente vão encontrar facilidade para negociar.

Sinduscon comemora mais recursos da Caixa para o setor

A Caixa Econômica Federal deve adotar o crédito imobiliário consignado, segundo o superintendente do banco no Rio, José Domingos Vargas.

— Não haverá dificuldade para adaptar o sistema para o setor. A idéia é atender tanto ao funcionalismo público quanto aos trabalhadores da iniciativa privada — adianta Domingos.

Mas o vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodolpho Vasconcelos, está cético:

— A possibilidade de estabelecer prestações fixas, a longo prazo, me faz ter dúvidas sobre o crédito consignado.

E é em meio ao cenário ainda indefinido, que Maria Pilar, que procura um imóvel na faixa de R$200 mil, resolveu esperar para ver que novidades o mercado vai oferecer:

— Não é uma decisão para tomar com pressa. O pacote foi anunciado exatamente quando comecei a procurar apartamento. Espero que surjam condições melhores para comprar.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Rio (Sinduscon-Rio), Roberto Kauffmann, ressalta pontos positivos das medidas anunciadas. Entre elas, a liberação de mais recursos para a produção — a Caixa terá linha exclusiva para construtoras e volume de R$4,5 bilhões até 2007 — e a possibilidade de o BNDES financiar moradias para funcionários de empresas. Nesse caso, qualquer companhia que apresentar projetos de moradias para seus empregados pode obter crédito, desde a proposta esteja enquadrada nas linhas de investimento social da instituição.

O superintendente da Caixa no Rio rebate as críticas que o pacote recebeu por, segundo especialistas, não atender à baixa renda — onde se concentra a maior fatia do déficit habitacional do país, hoje em 7,2 milhões de moradias. Ele diz que, 87% das unidades financiadas pela CEF com recursos do FGTS e do Orçamento Geral da União, até o último dia 8, foram destinados a famílias com renda de cinco saláriosmínimos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.