20/08/2012

Em SP, vendas de usados caem 15% no semestre

Fonte: ZAP Imóveis

As vendas de imóveis usados negociados no Estado de São Paulo no primeiro semestre deste ano caíram 15,09% em relação ao mesmo intervalo do ano passado, informou o Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo).

O balanço dos seis primeiros meses foi divulgado após a comercialização deste tipo de imóvel em junho registrar uma queda de 10,23% sobre o mês de maio.

A pesquisa feita com 1.444 imobiliárias em 37 cidades do Estado, apontou ainda que, das quatro regiões que compõem o levantamento, a maior queda aconteceu no Interior, com 38,81%.

A maior queda aconteceu no Interior, com 38,81%, enquanto a capital registrou alta de 33,85% (Foto: Divulgação)

Este resultado inibiu a alta obtida na Capital (33,85%), no Litoral (5,82%) e nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (1,92%).

Os imóveis com preços médios superiores a R$ 200 mil foram os mais vendidos em junho, com 53,44% dos negócios fechados.

Já os apartamentos superaram as casas na preferência dos compradores, registrando 54,02% das vendas. Os financiamentos bancários permaneceram como a forma mais utilizada na maioria dos negócios – 60,85% do total.

“Os números apurados na pesquisa de junho e o acumulado do ano mostram uma desaceleração que acompanha o ritmo geral da economia. Ao final do ano passado, as previsões de crescimento do PIB para 2012 eram de até 5% e agora já recuaram para 1,9%”, explica José Augusto Viana Neto, presidente do Creci.

“Um grande estímulo poderia ser a inclusão dos imóveis usados no programa Minha Casa Minha Vida, providência que os corretores de imóveis entendem ser capaz de acelerar o acesso à casa própria para milhares de famílias em todo o país”, completou.

2 Comentários

  1. é obvio,hoje em dia vale mais deixar o dinheiro na poupança que comprar um imóvel,a ganância das construtoras esta se voltando contra elas.E os particulares que balizam seus preços nestes lançamentos sem´pé e nem cabeça vão ficando com os imóveis emapacados.Imagina quando este mone de bobo que comprou o imóvel com esta gordurona levar um não do banco e ficarem com a batata quente na mão,os preços vão despencar,algumas construtoras irão para o buraco,e espero que adona Dilma deixa tanto os otários quanto os tubarões chupando o dedo,nada de gastar dinheiro público para minimizar os efeitos do estouro da bolha.

  2. Concordo com Marcello Dias, mas acrescento que o avulso está forte, ao contrário do que diz a matéria. Os lançamentos é que estão em queda. Os números e a informação estão sendo passados de forma tendenciosa a fazer o consumidor pensar que é um mau negócio comprara avulso. COMPREM AVULSO! FAÇAM PROPOSTA! DEIXEM OS ESTOQUES DOS LANÇAMENTOS ENCALHAREM!! Suposta condição facilitada de pagamento do lançaento se mostra furada quando chega a hora da entrega das chaves. Fácil durante a obra, impossível quando chega a hora do banco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.