19/05/2010

Em vez de fiador, seguro-fiança é garantia em contrato de locação

Fonte: O Globo

Encontrar um fiador continua sendo a primeira opção de quem vai alugar um imóvel. Mas, cada vez mais, outras garantias vêm sendo usadas por inquilinos e proprietários nos contratos de locação. Entre as opções, o seguro-fiança é o instrumento de garantia que mais cresce no mercado imobiliário

São Paulo – Encontrar um fiador continua sendo a primeira opção de quem vai alugar um imóvel. Mas, cada vez mais, outras garantias vêm sendo usadas por inquilinos e proprietários nos contratos de locação. Entre as opções, o seguro-fiança é o instrumento de garantia que mais cresce no mercado imobiliário.

Seguro-fianã é boa opção para quem não tem fiador na hora de alugar um imóvel (Foto: Divulgação)
Seguro-fiançã é boa opção para quem não tem fiador na hora de alugar um imóvel (Foto: Divulgação)

De acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a arrecadação de prêmios de seguros-fiança aumentou 29,4% em 2009 – de R$ 11,9 milhões em janeiro, para R$ 15,4 milhões em dezembro. Dados do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) mostram que, em março, um em cada cinco contratos de aluguel tinham o seguro-fiança como garantia. Na carteira da Apsa, uma das maiores imobiliárias do Rio, esse percentual chega a 30%.

A resistência das pessoas em assumir o compromisso de ser fiador, o constrangimento que fazer esse tipo de pedido causa ao futuro inquilino e, principalmente, o fato de muitos proprietários já não verem os fiadores como opção segura são fatores apontados pelos especialistas para o aumento da procura pelo seguro-fiança. Muitas imobiliárias já trabalham em parceria com seguradoras.

SEGURO – O Porto Seguro Aluguel, produto da Porto Seguro, garante até 30 meses de aluguel, além de outros encargos (como condomínio, IPTU e até despesas de água, luz e gás). Luiz Carlos Henrique, gerente de produto da Porto Seguro, explica que o seguro é “modular”, ou seja, o valor do prêmio varia em função das coberturas incluídas na apólice. A cobertura de aluguel, condomínio e IPTU sai mais barata do que se houver a inclusão de encargos como luz, ou multa rescisória. 

“Os valores também variam por região. Temos um cálculo atuarial sobre áreas em que há risco maior de inadimplência. O Rio, que é grande usuário do seguro-fiança, não é região das mais caras”, diz Henrique.

 

LEIA MAIS: 

AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE AS MUDANÇAS NA LEI DO INQUILINATO

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE COMPRA, VENDA E LOCAÇÃO DE IMÓVEL

CRESCEM AÇÕES POR ATRASO DE ALUGUEL

6 Comentários

  1. Seguro-fiança é uma extorsão legalizada.Suponhamos que você paga o seguro para resguardar o proprietário do imóvel de uma possível inadimplência ou danos ao imóvel. Mas após um ano, ou ao fim do contrato, o inquilino pagou todas as contas em dia e conservou o imóvel como o encontrou, ou mesmo fez melhorias no imóvel.O que acontece? Não apenas o inquilino não recebe nenhum centavo de volta, mas tem que pagar novamente pela renovação do seguro.Ou seja, para a seguradora é um negócio da china, para o proprietário pode ser um resguardo, mas para o inquilino é apenas prejuízo. Não bastassem os aluguéis caríssimos como estão, inventaram mais essa para nos arrancar ainda mais dinheiro.

  2. A Lei 8.245/91 trouxe novas regras que veiculam o moderno tratamento jurisprudencial oferecido a algumas matérias, bem como o ajuste na redação de alguns dispositivos para um melhor aperfeiçoamento. Com as alterações na lei do inquilinato, tanto para os locadores, locatários e administradores de imóveis, a lei traz uma melhor visão modernizadora dos procedimentos com o intuito de aceleração no trâmite das ações de despejo. Uma locação firmada sem quaisquer das garantias previstas no artigo 37 da lei do inquilinato, se porventura o locatário deixar de pagar o aluguel, o despejo sai com maior rapidez.Fernandes Carneiro, ministra palestras sobre locação de imóveis.

  3. Com a nova lei do inquilinato a retomada do imovel em caso de inadimplencia ficou mais fácil. A taxa cobrada pela seguradoras mais ou menos em torno de 120% do valor do imóvel mais encargos, deveria baixar. O bom inquilino que usa sempre o seguro fiança deveria ter um determinado abatimento ano após ano junto a seguradora.

  4. Na minha opiniãó tanto a opção de fiador ou se seguro fiança são dificeis para muitas pessoas que precisam alugar um imóvel. No caso de fiador a exigência para o mesmo é muito grande e em relação ao seguro fiança quem se favorece mesmo é somente a seguradora e o proprietário do imóvel, porque o locatário não tem nenhuma vantagem no mesmo.Acredito que o seguro calção no qual se pode adiantar 3 meses de aluguel é mais viável para quem dispõe desse valor uma vez que o mesmo serve de carência para o término do contrato de locação.

  5. Penso que está na hora dos legisladores pararem de se beneficiar da inércia no tocante a esta matéria pois, o inquilino, que é a parte mais fraca, sempre será sugado pelo proprietário e pela seguradora, assim será garantido que ele continue como inquilino, até porque ainda está difícil de adquirir uma casa para morar, isso porque os proprietários além de suas residências, precisam de outros imóveis para alugar. É lamentável admitir mas, a razão da existência da classe média é votar e servir aos poderosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.