28/12/2009

Empresa desenvolve sistemas de eficiência energética em novas casas da Filadélfia

Fonte: O Globo
Modelo de casa passiva, desenvolvida pela Post Green Houses (Foto: Divulgação)
Modelo de casa passiva, desenvolvida pela Post Green Houses (Foto: Divulgação)

Rio de Janeiro – Apoiado no conceito de eficiência energética, o Interface Studio Architects, na Filadélfia, criou o 100K, modelo de residência de 120 metros quadrados, feito com painéis de fibrocimento. O projeto recebeu menção honrosa na premiação dos melhores em arquitetura americana de 2009, realizado pela Architect Annual Review Design. A casa, construída pela Post Green Houses, num prazo médio de três meses, custa U$ 100 mil, e pode ser concebida como um grande loft ou ter uma planta tradicional para uma família com filhos.

O 100K é o projeto residencial de maior eficiência energética em toda Filadélfia. Segundo Nic Darling, da Post Green Houses, quando inserido em lotes vazios dentro de áreas urbanas adensadas, aos benefícios sustentáveis da moradia se associam a redução de energia com o menor deslocamento entre a casa e estabelecimentos comerciais e de serviços.

“As casas 100k usam a metade da energia de uma casa normal. Desenvolvemos projetos que utilizam energia solar e novas tecnologias na produção de energia e ventilação. A 100K inserida em áreas adensadas também se beneficia da proximidade de transportes públicos e da facilidade de acesso às ofertas da cidade”, diz Nic Darling.

O preço da casa, de U$ 100 mil, no entanto, é bem salgado, principalmente para o Brasil. Esse valor não inclui o custo do terreno, honorários de arquitetos, impostos ou qualquer outro custo adicional à construção padrão da casa. A idéia de desenvolver o projeto teve início em 2007 e partiu da falta de opções para residências eco-eficientes com bom padrão de acabamento.

CASAS PASSIVAS – Atualmente, a Post Green Houses busca construir edificações de acordo com o conceito de casa passiva. Os primeiros edifícios construídos no mundo de acordo com esta concepção, a Passivhaus, foram projetados na Alemanha em 1996. Este tipo de projeto visa um padrão de eficiência energética que serve também para o aquecimento ou resfriamento do ambiente. Seguindo um “Pacote de Planejamento Passivhaus” (PHPP), pode-se reduzir em cerca de 90% o consumo de energia exigido normalmente por uma habitação.

Os projetos contam com uma combinação de medidas como aproveitamento da energia solar e do calor produzido internamente numa moradia proveniente de eletrodomésticos, lâmpadas e até do corpo humano. O projeto tem preocupação com a colocação de janelas orientadas para um melhor ganho de luz solar, ao mesmo tempo em que veda janelas e frestas e faz uso de materiais isolantes e sistemas de ventilação que são empregados para manter a qualidade do ar. O super isolamento adotado na casa procura evitar a transferência de calor através das paredes, mantendo a temperatura interna estável seja no inverno ou verão.

27 Comentários

  1. Já era tempo de sairmos das mesmas construções com tanto gasto de material e termos mais criatividade para habitações mais simples e com melhor aproveitamento de espaço e economia de energia, com o uso da energia solar, da claridade do Sol e da captação da água de chuva. Que seja divulgado para os engenheiros, arquitetos, construtoras e para os profissionais da contrução porque com isso nós todos ganhamos.

  2. Eu acho muito bacana essa idéia de casa sustentável, é etico e ao mesmo tempo moderno, também tem um ambiente muito bonito e equilibrado, casa com boa iluminação natural é agradavel de se estar, sem contar que realmente ajudam na economia, parabéns ao arquiteto dono da idéia.

  3. Eu também acho muito bacana, a ideia de economia de energia em se produzir uma casa com um custo bem acessivel a um assalariado, principalmente aqui no Brasil. Quem sabe com este projeto aqui no Brasil consigamos moradoria abaixo custo e com uma economia de 50% de nergia. Assim evitariamos muitos apagões. Parabéns ao projetista de brilhante idéia.

  4. Legal esse novo sistema construtivo. Entretanto há alguns anos a UFRJ desenvolveu um projeto de casa ecológica dentro dos padrões brasileiros e com um custo bem menor do que o modelo americano. Vale a pena conferir. Em época de discussão ambiental, devemos ter a preocupação com residências inteligentes. Parabéns pela matéria.

  5. Quando todos querem reduzir a produção do fibrocimento por causar danos a saúde , vem otários gastando fortunas com equipamentos de capatação de energia, querem saber estes equipamentos custam 20% do valor que cobram, o Brasil tem engenheiros capacitados para desenvolver aqui no país a mesma tecnologia em menos de um ano, mas nem papai noel e o lula querem investir, preferem comprar know-h de fora. E quanto ao valor investido nesta casa, dá pra fazer muito mais aqui mesmo no brasil, com melhor tecnologia e absorvendo água do nosso solo aoinvés de tubular águas para as casas. O sisitema de esgoto ecológico dispensa estações de tratamento, casa utentável pode ter custo zero. Exceto é claro o valor do iptu(imposto para ter urnas) que a prefeitura cobra mesmo que nunca faça nada por sua casa, rua ou seu morro, no seu barraco de zinco.

  6. Adorei a idéia, casa ampla bem arejada, ecologicamente correta. Só precisam reduzir mais o custo. para que seja assecível á nós brasileiros. Parabéns !!!

  7. Em um país onde moradia é uma questão de luxo e me incluo na classe dos “sem casa própria” gostaria de obter + informação de: custo, tipo de material empregado,para q no futuro possa ou não, contruir um dia a minha casa.

  8. Desenvovimento sustentável é a “palavra de ordem”. Opções de energias alternativas deveriam ser mais difundidas e principalmente incentivadas por nossas autoridades. Aod grandes empresários atente-se para este filão.

  9. Louvavél o projeto,contudo aqui no Brasil, precisamos de casas que fiquem mais frias e ventiladas, qual seria a alternativa? Que as empresas brasileiras procurem adaptar esta solução para nós!Com preços mais justos, afinal o nosso salario é menor e as nossas matérias primas mais em conta, então porque não tornar isso uma realidade nos trópicos.

  10. a informação, embora super de utilidade, é insuficiente. não me acrescenta nada que possa utilizar ou levar em conta na hora de construir a minha casa.

  11. Já há vários anos existem aqui mesmo no Brasil inúmeros projetos de casas eficientes e sobretudo DE BAIXO CUSTO, que aproveitam por exemplo as energias solar e eólica, e se utilizam de recursos naturais para melhorar a qualidade da água, e até mesmo aproveitam o tipo de barro já existente no terreno (isso reduz para 8% a quantidade de cimento necessária).No entanto, devido a alguns fatores (dentre os quais a tradição nacional de construir casas de tijolos ou de madeira) esses projetos têm ficado sem o necessário incentivo e a adoção popular, e tidos apenas como “curiosidade”.Embora esse projeto americano seja eficiente, segundo a descrição, ele não visa nenhuma economia na aquisição, enquanto TODOS os projetos brasileiros visam essa economia – de aquisição e sobretudo de MANUTENÇÃO – tanto a curto, médio ou longo prazo.

  12. Muito boa idéia a casa que economiza 50% de energia, porém, os arquitetos deveria ter uma idéia holística e poderiam ter pensando também numa casa sustentável (com captação de água da chuva; com produtos reciclados como areia feita de entulho da construcao civil; com fossa ecológica; energia solar (como complemento) etc), ai sim seria uma casa ideal… Além, é claro, lembrar de ter, no mínimo, um bom terreno com muita área verde para dar qualidade de vida aos moradores e, também, para facilitar a penetração da água da chuva para o lençol freático.abrazosprof. Weudes SizervincioGoiânia – GOwsizervincio@yahoo.com.br

  13. Parabéns pelo projeto,gostaria de ter mais informações e como posso obter este projeto para fazer instalações tenho alguns onhecimentos com cooperativas e gostaria de passar esta ideia para eles,parabéns pelo projeto.

  14. Queria saber quais os materias para construção deste imovel para tentar construir de uma forma mais barata e economica, para as classes baixa. Se podesse mandar detalhe agradeceria muito. E vc ajudaria não so os menos desfavorecido economicamente mais tambem ambientalmente, para um mundo mais sustentavel. Feliz 2010 amigo.

  15. Além de parabenizá-lo é a casa ideal para a sobrevivência no futuro devido a variaçâo de temperatura além da grande economia, também gostaria muito de receber maiores informaçõe talvez quem sabe aderir a idéia futuramente

  16. Este é o princípio de tudo! Economiza energia de todas as formas, possívelmente deve ter o reuso da água (outra necessidade de economisarmos). Mas por que sempre o preço fica fora de nossa realidade? Bia lopes

  17. Achei a matéria excelente e muito oportuna.Tanto que desejo enviar a mesma para meus filhos queresidem no exterior (USA): azevedorafael@yahoo.com,azevedosurf@hotmail.com.Ambos trabalham na construção civil.Grato, Jose Fernando Azevedo

  18. Creio que seria interessante salientar quais aspectos desta casa a torna ecológica. Afinal de contas, li toda a matéria, e isto não me acrescentou nada. Afinal, objetivamente, o que torna a casa ecológica? Está mencionado algo como aproveitamento de calor de eletrodomésticos e mesmo calor humano (?). Não há um único exemplo/detalhe! Apenas citar quais são as finalidades do projeto desta casa fica muito vago.

  19. Caros amigos,Esta proposta é um caminho, mas diante da realidade do nosso pais, acho-a impossivel de ser implementada. Num pais onde ter um teto, seja ele de que forma for, é um sonho distante, este projeto a 100 mil dolares não pode ser realizado.Precisamos sim de um grande projeto de casas populares e usando materiais que protejam o meio ambiente. AbraçoJames Gondim

  20. E uma otima idéia do arquiteto casa sustentável, moderno, com ambiente equalizado/equilibrado, tem boa iluminação natural é agradavel, sem contar que realmente na economia, parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.