14/07/2007

Energia solar por R$ 1,5 mil

Fonte: Jornal da Tarde

Esse é o preço mais em conta de equipamentos para os novos imóveis se adequarem à nova lei

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisImóveis com piscinas aquecidas deverão se adequar à nova lei e instalar equipamentos de energia solar

Quem planeja construir ou reformar o imóvel a partir de agora terá de desembolsar uma quantia a mais com as obras – que pode ser compensada com economia de energia no futuro. Uma lei municipal sancionada na semana passada pelo prefeito Gilberto Kassab obriga as novas edificações a conterem ou pelo menos prepararem a construção para receber um sistema de aquecimento de água por meio do uso de energia solar. O gasto mínimo estimado pelo mercado para a instalação do dispositivo é de R$ 1,5 mil.

A exigência começará a valer em até 120 dias – prazo que já começou a ser contado desde o dia 4 de julho, quando a lei 14.459 foi publicada no Diário Oficial – e é válida tanto para imóveis residenciais como comerciais. A iniciativa segue o exemplo dos municípios de Birigüi, no interior paulista, e Varginha, em Minas Gerais,e também de cidades européias, como Barcelona, na Espanha.

Segundo a nova legislação, todos os imóveis residenciais a serem construídos com quatro ou mais banheiros deverão ter um sistema de aquecimento solar que atenda, no mínimo, 40% de toda a demanda anual de energia utilizada para aquecer a água. Os equipamentos deverão ainda ter a eficiência atestada pelo Inmetro.

No caso da construção de casas ou apartamentos com até três banheiros, a lei exige que o imóvel tenha a infra-estrutura adaptada para receber o sistema futuramente. “Todos aqueles que forem construir ou reformar a casa e precisarem dar entrada no habite-se terão de seguir esta lei”, explica o secretário municipal de Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge.

A lei especifica ainda que todos os imóveis comerciais que fazem uso de água aquecida em suas atividades – como hotéis, clubes, academias, cabeleireiros, clínicas de estética, hospitais, entre outros – serão obrigados a ter o sistema instalado. Existe obrigatoriedade também para as edificações, novas ou antigas, que construam piscinas com água aquecida.

Entenda como o sistema funciona

Placas coletoras instaladas na face norte do telhado são responsáveis por transferir o calor captado pela absorção da radiação solar para a água que circula no interior das tubulações, entre os coletores e o reservatório

A água dos coletores fica mais quente e menos densa que a do reservatório. Assim, a água fria empurra a quente, provocando sua circulação

Recomenda-se que o reservatório térmico fique por baixo do telhado ou apoiado verticalmente sobre ele

Uma válvula dentro do reservatório controla a temperatura, não deixando atingir mais do que 60º ou 80º

Nos dias sem sol, sistema elétrico que acompanha o aparelho garante o aquecimento da água

Gasto com dispositivos é recuperado em três anos

Embora ainda seja visto como um investimento caro, que demanda um gasto inicial mais elevado, o sistema de aquecimento solar gera uma economia média de 30% na conta de luz. Na maioria dos casos, afirmam especialistas, o dinheiro gasto com a aquisição do dispositivo pode ser recuperado em até três anos.

“O aquecimento solar é o único eletrodoméstico da casa que se paga com a energia que gera e pode ser mais barato que uma geladeira”, afirma o diretor executivo do Departamento Nacional de Aquecimento Solar da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), Carlos Faria.

O gerente-geral da Alpina Termoplásticos, José Luiz Jesus, conta que os modelos mais populares no mercado utilizam placas de cobre ou plástico (polietileno). Segundo ele, os sistemas custam em média entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, para os reservatórios de 200 litros, que atende a uma casa com quatro pessoas. “Um modelo mais em conta e eficiente é com quatro placas coletoras abertas mais um tanque com back-up. Isso custa cerca de R$ 2 mil, incluindo a instalação”, diz.

Para ter melhor eficiência as placas devem ficar voltadas para o norte e com inclinação de 33º – no caso dos imóveis da Capital. É o suficiente para atender aos 40% de energia geradas pelo sistema de aquecimento solar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.