21/06/2016

Veja as diferenças entre fiador, seguro-fiança e garantia de aluguel

Inquilino precisa dar garantias na hora de locar, saiba mais

Fonte: ZAP em Casa

Na hora de alugar um imóvel, são exigidas medidas que garantam ao proprietário que o pagamento será realizado até o fim do contrato. A opção mais comum é a indicação de um fiador, primeiro porque é uma possibilidade segura e segundo porque não gera custos adicionais ao proprietário e ao inquilino.

+ Conte aqui o que você quer ver no ZAP em Casa

+ Cadastre-se aqui e fique por dentro das últimas notícias

Porém, nem sempre é possível utilizar essa opção como forma de garantia, já que algumas regras precisarão ser cumpridas. Como opções, existem ainda o seguro-fiança e a garantia de aluguel. Conheça a diferença entre as três possibilidades.

Seguro-fiança

Se o inquilino não tem a possibilidade de conseguir um fiador, uma outra opção é fazer o seguro-fiança, oferecido pelas seguradoras. O inquilino vai precisar pagar um valor mensal para garantir que as despesas serão cobertas em caso de não pagamento do aluguel.

seguro-fiança ou fiador de aluguel: saiba o que é melhor
Se o inquilino não tem a possibilidade de conseguir um fiador, uma outra opção é fazer o seguro-fiança, oferecido pelas seguradoras (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Para o proprietário do imóvel, esta opção é bastante vantajosa principalmente porque, em caso de inadimplência, o seguro começa a pagar o aluguel imediatamente, enquanto que com fiador o pagamento só é realizado após o processo judicial. Para receber, o proprietário precisará notificar a falta de pagamento para ser ressarcido.

Porém, este recurso não é tão utilizado porque ele pode pesar no bolso do locatário. O futuro morador do imóvel vai pagar uma taxa, que pode chegar ao valor de um aluguel ou até mesmo um aluguel e meio por ano. E esse valor não será devolvido no final do contrato, como acontece com a garantia de aluguel. “Para o proprietário, esta opção é mais cômoda porque ele vai receber de todo jeito da seguradora. E se o inquilino não tem um meio de dar a garantia necessária para alugar o imóvel, vai ter que arcar com o ônus de pagar o seguro fiança”, ressaltou Manoel da Silveira Maia, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-RJ).

Fiador

Na hora de fazer o contrato, se a opção for por um fiador, serão exigidos vários documentos que comprovem a possibilidade de a pessoa se tornar fiadora. Não é exigido ter grau de parentesco, mas algumas regras devem ser cumpridas. Uma delas é que o fiador deve possuir um imóvel próprio em seu nome e na mesma cidade onde o apartamento e casa será alugado. Também é exigida a comprovação da renda. Normalmente esse processo é um pouco mais lento do que os demais porque exige a análise da documentação do fiador e a aprovação deles.

fiador
O fiador deve possuir um imóvel próprio em seu nome e na mesma cidade onde o apartamento e casa será alugado (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Em caso de inadimplência do inquilino, o proprietário pode demorar para conseguir acertar as contas porque ele vai precisar entrar com uma ação judicial para cobrar o valor devido do fiador. Porém, esta se torna uma possibilidade praticamente inviável para quem está se mudando para uma cidade nova e não tem parentes e nem um círculo de amizade fortalecido que possa assumir esse risco.

“A fiança depende de um terceiro, pessoa natural ou jurídica, que pague se o inquilino deixar de fazer. Mas está cada vez mais difícil encontrar encontrar quem se disponha a isso”, explicou Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Para André Callou, presidente do Conselho Consultivo da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), o fiador precisa ser uma pessoa próxima ao inquilino. “Mesmo que o locatário tenha algum fiador para indicar, em alguns casos o seguro-fiança se torna uma opção mais interessante porque evita qualquer tipo de atrito nas relações entre o inquilino e o fiador em caso de inadimplência. Ou seja, pode ser algo mais saudável”, ressaltou.

Garantia de aluguel

Uma terceira possibilidade é a garantia de aluguel. Neste caso, o inquilino vai precisar fazer um pagamento adiantado na hora de locar o imóvel. O valor que será usado como garantia pode chegar ao equivalente a três meses de aluguel, valor estipulado dentro da lei, mas é preciso estar no contrato. Esta possibilidade é vantajosa para o inquilino porque, ao término do contrato, ele pode reaver o valor, caso não exista nenhum dano no imóvel e não tenha necessidade de qualquer manutenção.

Anúncio: Conheça o SulAmérica Garantia de Aluguel

emprestimo
Na garantia de aluguel o inquilino vai precisar fazer um pagamento adiantado na hora de locar o imóvel (Foto: Reprodução/Shutterstock)

+ Veja como fica o preço médio da locação no País

4 Comentários

  1. preciso de uma informação, os contratos por 30 meses, são obrigatóros, e infelizmente a imobiliaria exige seguro fiança (porto seguro ) 2 mses de aluguel por um quarto e cozinha,completou um ano e tenho que pagar de novo o seguro,embora parcelado em 3 vezes ainda assim me prejudica, quero saber se sou obrigada a pagar novamente alem do aumento do aluguel, ou se o seguro, no meu entender seria pelos 30 meses do contrato, o que posso reclamar a respeito disso? Boa noite, preciso urgente de informação, sobre seguro fiança (porto seguro )fiz um contrato de 30 meses, que dizem é obrigatório, completa agora dia 15 do 07 um ano e ja me cobraram o seguro novamente, isso é legal? Por que conheço alguem que paga o seguro, mas pelos 30 meses do contrato, podem me informar se estão agindo de má fé comigo, sendo que poderiam aceitar que este valor prevalecesse até o final do contrato? Tenho setenta anos e não trabalho mais então meus 2 filhos, casados arcaram com esta dispesa, só que um deles está desempregado a 6 meses e a dispesa ficou toda apenas para um deles, e está dificil, de mais para ele sozinho, a imobiliaria não quer considerar que continue o valor já pago até o final dos 30 meses, e meu filho paga direitinho, sem atraso.

  2. Olá, Gilda! O ZAP não atua como intermediário ou participante entre o usuário e o anunciante. Para mais informações sobre a negociação, o contato deve ser realizado diretamente com o anunciante, por telefone ou mensagem. Esses meios de contato ficam disponíveis à direita da página, na área “Contatar o Anunciante”. Qualquer dúvida, estamos por aqui! 😉

  3. Sou o proprietário do imóvel. No caso de SEGURO FIANÇA estarei seguro? O contrato é feito “sine die” ? Caso não seja, como será feito a renovação? haverá a renovação automática? Se o inquilino desocupar o imóvel sem um aviso prévio, e sem as medidas necessárias junto ao banco/seguradora, estarei protegido? Não terei custo tanto na vigência do contrato e com a execução do mesmo?

  4. Olá, Audecir! Tudo bom? Além das dicas dessa matéria, separamos outra sobre rescisão que pode ajudá-lo: http://bit.ly/AtencaoRescisao . Também sugerimos que você procure um profissional que consiga avaliar sua situação com a atenção devida. Se precisar de alguma informação sobre venda ou locação de imóvel, estamos aqui! 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.