07/05/2009

Especialista em mercado imobiliário fala sobre os critérios de avaliação de imóveis no Rio

Fonte: Globo online

Ruas arborizadas e garagem são alguns dos fatores que influenciam na avaliação da casa. Saiba o que pode valorizar e desvalorizar imóveis no Rio

Rio de Janeiro – Com a ampliação de crédito para compra de um imóvel financiado, ficou mais fácil ter a casa própria. Mas, na hora de procurar uma moradia no Rio de Janeiro, surgem aquelas famosas dúvidas: o que comprar e onde comprar? Para não ficar perdido na hora de olhar o caderno de classificados, é preciso estar atento aos fatores que influenciam na avaliação da casa. Existem vários ítens que contribuem para a valorização ou desvalorização de um imóvel. No mercado imobiliário do Rio, observa-se nos novos lançamentos uma tendência a projetos de apartamentos com salas grandes e quartos pequenos. Em alguns casos, domicílios compactos apresentam um preço no mercado superior a moradias maiores. Para esclarecer essas e outras dúvidas, o site do Morar Bem conversou com o presidente do Conselho Regional de Corretores Imobiliários do Rio de Janeiro (Creci-RJ), Casimiro Vale, sobre os critérios de avaliação de apartamentos no Rio de Janeiro. Confira

Quais os fatores mais importantes na avaliação de imóveis residenciais no Rio de Janeiro?
A localização, a vizinhança e os meios de transporte são fatores que contribuem para a valorização do imóvel. Os serviços públicos e a proximidade da praia também influenciam positivamente no valor da moradia. Não é preciso ter uma escola ou hospital na porta de casa, mas que estejam, pelo menos, a 50 metros de distância. Os bairros que mais oferecem todos esses tipos de serviço são os da Zona Sul, além da Tijuca e do Méier. Quem mora em bairros periféricos, desprovidos de equipamentos de apoio ao cotidiano como os serviços bancários, precisa se deslocar para áreas centrais. A questão de transporte é fundamental para todos os bairros. É preciso que o deslocamento seja rápido. O ponto de referência de destino é o Centro do Rio. A proximidade de estações de metrô contribui para a valorização. É fator importante também a tranquilidade, as ruas arborizadas, as praças e demais locais de convívio. O que conta mais é a vizinhança, o imóvel se valoriza com a vizinhança.

O que pesa mais na avaliação de um imóvel hoje no Rio, o tamanho dos quartos, da sala ou a fachada?
Hoje, os imóveis mais modernos não têm cômodos grandes. O que pesa mais são os serviços do próprio empreendimento, as vagas na garagem, o tipo de elevador. Também pesa na valorização a área de lazer, a piscina e a rua. As pessoas gostam de morar num lugar bonito. Mas há quem prefira imóveis maiores, encontrados em prédios antigos.

Qual a diferença de valor entre a avaliação de um imóvel novo e um usado?
O imóvel desvaloriza um por cento ao ano conforme a idade. Um dos fatores que conta na desvalorização do imóvel usado é a ausência de vaga de garagem e de elevador.

Com relação à segurança, qual a desvalorização alcançada por uma moradia em áreas de risco?
Às vezes, o mesmo prédio tem colunas mais valorizadas do que outras. As que estão de frente para o risco são mais desvalorizadas. O prédio devassado também perde o valor.

Critérios como ventilação e iluminação ainda têm peso significativo na avaliação?
No Rio de Janeiro, a posição dos imóveis voltados para o sol da tarde é um fator de desvalorização. Com peso positivo na avaliação está a iluminação e ventilação direta dos banheiros.

O carioca tem interesses diferentes de moradia de acordo com a renda?
Com certeza, com o aumento da renda, as pessoas procuram mudar de bairro ou de rua. Tem imóvel que não adianta melhorar serviços, nem botar ouro, porque a rua, a vizinhança não contribui para a valorização.

Como você descreveria o tipo de imóvel mais procurado pelo carioca?
O imóvel mais procurado pelo carioca é o sala e dois quartos para um casal e dois filhos. Quando o casal tem dois filhos de sexos diferentes, procura um imóvel de três quartos. Agora é um bom momento para comprar por causa das facilidades. Não sabemos até quando vamos ter recursos para o mercado imobiliário. Devemos aproveitar essa oportunidade.

“Os revestimentos são ótimas opções para quem quer deixar o ambiente da casa mais acolhedor. Os ramos de videira devem ser utilizados em ambientes rústicos. Esse produto é feito com as sobras dos galhos da vinha e não deve ser utilizado em áreas externas. Já os feitos com restos de osso podem ser incluídos em ambientes úmidos, como os banheiros, por exemplo”, diz a Neila Tostes, supervisora da Empório Beraldin. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.