11/02/2007

Estudantes alugam

Fonte: O Globo

5% dos imóveis disponíveis no Rio são locados por jovens de outras cidades

Sete e meio por cento dos alunos matriculados anualmente em universidades públicas e privadas do Rio vêm de outras cidades ou mesmo estados, informa o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Resultado: 5% dos 200 mil imóveis disponíveis para locação na cidade são procurados por estudantes que vêm de fora, registra o Sindicato da Habitação do Estado do Rio (Secovi/Rio). Percentual que sobe para 15%, ou seja, 30 mil imóveis, nos bimestres de janeiro/fevereiro e julho/agosto.

— Nos meses anteriores ao início do ano letivo, triplica o número de jovens interessados em apartamentos para alugar, sendo que a maioria vem de Minas Gerais e São Paulo — diz o vice-presidente de Marketing do Secovi/Rio, João Augusto Pessoa.

Só que a relação entre proprietários e jovens inquilinos é delicada. Na procura por um apartamento, os imigrantes enfrentam inúmeros percalços, a maioria envolvendo documentação. O gaúcho Éder Cordova da Silva, de 24 anos, que agora em fevereiro começou um curso na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, esbarrou no problema.

— Vim antes do Natal para procurar um imóvel, mas não conseguia alugar porque as imobiliárias me pediam declaração de Imposto de Renda, documento que eu não imaginei ser necessário para isso. Tive que voltar à minha cidade, Cruz Alta, para procurar a declaração e enviar por fax — lembra Éder, que alugou um apartamento na Praia de Botafogo.

Praticidade aliada a conforto e lazer

Além das exigências de documentação, os jovens esbarram na falta de fiador no município. Para a paulista Mariana Pesce, de 21 anos — que cursa medicina na Universidade Gama Filho e divide apartamento com a colega Soraya Zanotelli — a solução foi recorrer a uma imobiliária com filial em sua cidade natal, que aceitava o que o mercado chama de fiador interestadual:

— Como a empresa tem escritório em São Paulo, aceitaram a fiança do meu pai, que tem um imóvel lá.

Já para os amigos Tiago Rebello e Leandro Santos, que vieram da Região dos Lagos para estudar na Universidade Federal Fluminense (UFF), a solução foi adquirir um título de capitalização e usá-lo como caução do apartamento onde moram, em Niterói. O problema, neste caso, é o alto valor — este produto custa entre nove e 12 aluguéis.

— Juntamos dinheiro para adquirir o título porque não tínhamos fiador. O contrato de aluguel é de 30 meses. Mas se antes disso conseguirmos fiança, queremos pegar o dinheiro de volta — destaca Tiago.

Além do título de capitalização, as imobiliárias também aceitam o seguro-fiança, apólice feita numa seguradora pelo inquilino.

Outra preocupação dos estudantes é a localização. Tentando aliar praticidade, conforto e lazer, muitos tentam ficar na Zona Sul ou próximos a ela, como fizeram os irmãos Alécio Valusek Júnior, de 18 anos, e Maria Tereza Valusek, de 20, que desde dezembro dividem um conjugado no Catete. De Cachoeirinha, interior de Pernambuco, os dois procuraram não se distanciar do Centro.

— Escolhemos o Catete porque é perto da casa de nossa tia, tem bom sistema de transporte e é um lugar mais fácil de se conseguir emprego. Além disso, posso ir para a faculdade a pé, se quiser — comenta Alécio, que veio para o Rio para cursar publicidade e propaganda nas Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha).

Cuidados a tomar

Proprietários

Contrato: É importante garantir um contrato de locação minucioso, com número de ocupantes do imóvel predefinido, para evitar surpresas.

Visitas: O proprietário pode visitar o imóvel a cada três ou seis meses para conferir como ele está sendo usado. Também pode pedir ao síndico que o avise, caso haja movimentação fora do padrão ou desrespeito às normas do condomínio.

Condições: Como em outros contratos, é recomendável fotografar o imóvel antes da locação para que, mais tarde, haja uma base de comparação.

Inquilinos

Localização: Por questão de praticidade e segurança, é recomendável que os estudantes procurem imóveis próximos à faculdade ou a pontos de transporte coletivo.

Checagem: O locatário deve vistoriar o imóvel antes de concluir o processo de aluguel, para checar se há nele tudo o que consta do contrato.

Documentação: São exigidos: carteira de identidade, CPF e comprovante de rendimentos (três últimos contracheques ou a carteira assinada). No caso de profissionais autônomos, a declaração de Imposto de Renda serve como atestado de rendimentos.

Fiança: O fiador deve apresentar a mesma documentação do locatário, além de certidão de ônus reais e comprovante de residência. Para quem não tem fiador, as opções são seguro-fiança, caução e título de capitalização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.