06/01/2008

Estudo recomenda reforma de prédios em áreas centrais

Fonte: O Globo

Infra-estrutura existente já garante economia, lembram pesquisadores

O objetivo é colaborar com o processo de recuperação de edifícios em áreas centrais para a habitação de interesse social. Para isso, durante dois anos, o Projeto Reabilita, financiado pelo Programa Habitare, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), analisou experiências em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Foram estudados quatro empreendimentos em cada uma das cidades, para análise de aspectos como a implantação da reabilitação, procedimentos e financiamentos, legislação, projetos, custos e tecnologias. O trabalho foi feito por pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Católica de Salvador (Ucsal).

Entre os desafios, falta de financiamento à reforma

Para o grupo, o Brasil enfrenta muitos desafios nesse campo. Entre eles, a criação de linhas de financiamento específicas para a reforma, contemplando faixas de renda entre um e três salários mínimos. Faltam também subsídios para essa reabilitação, manutenção e reformas futuras.

— A moradia na área central reduz custos do Estado com instalações de água, saneamento, iluminação e pavimentação, uma vez que essas áreas já são atendidas por esses serviços e possibilitam o fácil acesso a saúde, trabalho, educação e segurança, o que dificilmente é garantido nas áreas periféricas — lembra Valéria Bonfim, pesquisadora da Poli/USP.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.