15/10/2006

Evento mostrará composição de cores

Fonte: O Estado de S. Paulo

Por um mês, consumidor poderá verificar as melhores combinações

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisTOQUE – Cozinha com predomínio de verde musgo, considerada ideal para quem é mais conservador e gosta de ambientes aconchegantes

 

Branco na cozinha já está fora de cogitação. As tendências internacionais apontam que as cores invadiram o ambiente em combinações às vezes até chocantes, às vezes bastante harmoniosas.
E há gosto para ambos. O que não há é falta de opções, que aliás o consumidor pode comprovar a partir de amanhã, quando começa o evento Colorindo a Cozinha, previsto para durar um mês, envolvendo um tour por lojas, em datas específicas, até 16 de novembro.

Promovido pelo Comitê Brasileiro de Cores (CBC), projeto leva em conta a cartela de cores 2006/2007 do Centro de Estudos de Cor para a América Latina (Cecal), lançada pelo CBC em março deste ano e que assinala os padrões a serem adotados em produtos de decoração e construção civil. O evento conta com a participação, em parceria, de algumas empresas, como a Suvinil, a Eliane, a Tok&Stok e a Cincex (de vidros).

A presidente do CBC, a designer de interiores Elisabeth Wey, conta que esteve numa feira de design na cidade de Milão, em abril, onde viu uma área específica para cozinhas, com forte presença de cores. “Já caiu o conceito de que o branco é ideal porque é as séptico. O branco é isso sim ausência de emoção”, sentencia Elizabeth.
Para basear as tintas, os revestimentos e o mobiliário que foram lançados com base no evento, Elizabeth explica que foram idealizadas três combinações de cores, ligadas a certos comportamentos dos indivíduos:

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisHARMONIA – Acima as três composições da cartela do Comitê Brasileiro de Cores, que baseou lançamentos de pisos, tintas e mobiliário

Oásis – tons de azuis e verdes que lembram água, tranquilidade… Para pessoas mais despojadas;
Orgânica – marrom, laranja, dourado, cobre, para pessoas mais tradicionais, conservadoras, que gostem de um ambiente aconchegante. Aqui entram também o acabamento de madeira, o verde musgo e a tangerina.
Bolero – vermelho, rosa, fuccia, amarelo forte, para quem é mais extrovertido.

“Não há cor proibida”, ressalta Elizabeth. O que importa, diz ela, é o trabalho de coordenação das cores, o que no evento o consumidor poderá acompanhar. Nos revestimentos, por exemplo, Elizabeth explica que há novos produtos da Suvinil, com as cores já citadas. São tintas que permitem lavagem. “São muito apropriadas, por exemplo, para cozinhas que sejam ‘estendidas’ para a sala de jantar, com apenas um balcão de separação. Para limpar a gordura nas paredes com essa tinta é bem mais simples”.

Palestras

A arquiteta Marcia Lazzarini é também especialista no tema de cores para ambientes residenciais e vai ministrar palestra sobre isso no ciclo de palestras promovido pelo Mundo Cor. “Na cozinha, a regra é ter um visual o mais limpo e moderno possível”, diz Márcia. Isso, segundo ela, só elimina o branco gelo, “que tem ar naturalmente encardida.” O laranja e o vermelho, por exemplo, diz ela, são cores intensas, mas não prejudicam o conceito de limpeza.

Marcia, que há alguns anos estuda a influência das cores no estado e comportamento das pessoas, dá dicas sobre cores que irão predominar em 2007. Entre elas, a cereja e o anil, “que são tons tradicionalmente orientais e agora utilizados em nossos ambientes”.

(SERVIÇO)Colorindo a Cozinha 3083.7055; 3885.7170
Palestras sobre cores www.mundocor.com.br.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.