24/11/2010

Exposição de fotografias do Rio chama a atenção para a preservação do estilo art déco

Basta um passeio pelas ruas do Centro do Rio para ver de perto relíquias arquitetônicas do estilo art déco. Ou visitar a exposição Rio Art Déco, aberta esta semana na Caixa Cultural. A fotógrafa Lena Trindade reuniu para a mostra, que fica em cartaz até o fim de janeiro de 2011, registros de fachadas de edificações, interiores, monumentos e detalhes decorativos inspirados nesse movimento artístico. São mais de 100 fotos dos mais belos exemplares do acervo carioca, estando entre eles prédios comerciais e residenciais.

11_mvg_bem_artdeco2ok1

“Com esses registros, pretendo alertar as autoridades para a necessidade da permanência dessa marca cultural na cidade do Rio de Janeiro e lutar pela preservação de sua autenticidade, beleza e importância”, explica Lena Trindade.

Algumas imagens da mostra são bem familiares ao carioca, como o Cristo Redentor e a escadaria do cinema Roxy, em Copacabana, e outras têm sabor de descoberta ou matarão a curiosidade de muita gente, como o interior do Edifício Biarritz, na Praia do Flamengo e de outros prédios no Largo do Machado e no Alto da Boavista. Até o imenso hangar da Base Aérea de Santa Cruz, com 274 metros de comprimento e 58 metros de altura, construído para abrigar o Zeppelin, faz parte da galeria art déco.

Lena Trindade conta que tomou contato com o art déco passeando pelas ruas do Rio de Janeiro com o amigo e arquiteto Sergio Jamel, já falecido, de quem herdou um livro sobre o estilo. Nessa época, fez os primeiros registros de fachadas e halls da cidade. Este ano, ao retomar o tema, a fotógrafa encontrou um Rio preocupado com a revitalização dos espaços públicos e a restauração de vários pontos históricos e turísticos, como os Arcos da Lapa, o Teatro Municipal, o Museu de Arte Moderna, igrejas e praças. A exposição, diz ela, chama atenção da sociedade para esse patrimônio art déco do Rio, que também precisa ser restaurado e, sobretudo, não descaracterizado.

18_mvg_bem_artdecook

As fotos que compõem a exposição estarão apresentadas num ambiente que também agregará móveis e alguns objetos déco. A cenografia é de Edward Monteiro, a programação visual de Claudia Portela e a iluminação de Steven Way. Haverá ainda projeção contínua do curta-metragem sobre a construção do mais importante símbolo carioca, o Cristo Redentor, escultura feita a partir do desenho do francês Paul Landowski, que ganhou linhas art déco. O filme é assinado por Isabel Noronha, bisneta do engenheiro Heitor da Silva Costa, autor do projeto. A exposição prevê ainda visitas guiadas para alunos de escolas públicas.

Sobre o movimento art déco – Movimento artístico internacional do período entre 1925 e 1940, o art déco exerceu fortes influências na arquitetura, no desenho industrial, nas artes decorativas e no design de interiores, assim como nas artes visuais e gráficas, na moda e até no cinema. Considerado um estilo elegante, funcional e ultra moderno, fruto da Revolução Industrial, misturou, na Europa e nos Estados Unidos, estilos como construtivismo, cubismo, modernismo, Bauhaus, futurismo e art noveau, do qual substituiu o rebuscamento pela simplicidade. Edifícios, esculturas, joias, luminárias e móveis foram geometrizados.

Enquanto pólo catalisador de tendências modernas, o Rio de Janeiro sofreu fortes influências do movimento, que permanecem vivas em vários bairros da cidade.

“O estilo art déco na arquitetura chegou nos anos 20 e 30, e ocupou vários bairros do Rio de Janeiro, quando a vida na cidade se modernizava, a indústria se instalava e o Rio era uma cidade pronta para receber de maneira gentil e vibrante as informações de um novo tempo”, explica Lena Trindade.

Bar Lagoa, na Avenida Epitácio Pessoa
Bar Lagoa, na Avenida Epitácio Pessoa

SERVIÇO:
Exposição fotográfica “Rio Art Déco”
Até o dia 30 de janeiro de 2011
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Grande Galeria (Av. República do Chile, 230 – anexo 3º andar – Centro, Rio de Janeiro (Metrô: Próximo à estação Carioca)
Telefone: (21) 2262 8152
Horários: De terça a sexta, das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.
Entrada franca
Classificação: Livre
Acesso para portadores de necessidades especiais.

LEIA MAIS:

Aprenda a fazer uma elegante cabeceira para a sua cama, sem gastar muito

Espaço de trabalho deve ser organizado

Dicas para arrumar quadros pelos ambientes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.