02/06/2006

Expresso deve iniciar plano de revitalização

Fonte: O Estado de S. Paulo

Com as obras, Vila Prudente servirá como terceira entrada para a região

Além de preservar importantes monumentos históricos, a Prefeitura tem planos arrojados para o futuro do bairro. Na área de transportes, a Vila Prudente deve tornar-se a terceira entrada para a zona leste, depois da Marginal do Tietê e da Radial. O Expresso Tiradentes, com saída do Parque D. Pedro II, terá maior trecho na região – 15 quilômetros dos 31 previstos atualmente. A obra vai beneficiar 1,5 milhão de passageiros e pode reduzir em mais de uma hora o trajeto entre a periferia e o centro. A previsão da Secretaria Municipal de Transportes é de que circulem diariamente 350 mil pessoas pelo expresso, que terá dois terminais, o Cohab Teotônio Vilela e o São Lucas.

Para 2010, espera-se também a construção de uma estação de metrô na Vila Prudente, o que vai facilitar ainda mais o acesso à região e a integração dos passageiros que vivem na Cidade Tiradentes. Hoje, os moradores gastam cerca de 2h40 para chegar ao Parque d. Pedro II, o que os deixa sem condições de utilizar os benefícios de integração do bilhete único. “O Expresso Tiradentes corta toda a região e vai trazer uma grande transformação para melhor”, afirma o subprefeito Nelson Evangelista Vítor.

Outra obra que deve marcar época é o Parque Linear Adutora do Rio Claro, de responsabilidade da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em parceria com a Prefeitura. A obra, que já deve ser iniciada neste ano, prevê a construção de quadras poliesportivas, novo paisagismo, plantio de árvores e abertura de pista de bicicross em uma região que vem desde São Mateus.

Origem

A Vila Prudente, que completará 116 anos em 7 de outubro, iniciou-se a partir de 1829, quando o comerciante João Pedroso utilizava as áreas para pasto de animais e cultivo de frutas. Com a sua morte, o filho Antônio Pedroso e a mulher, Martinha Maria, passaram a administrar as terras. Em 1890, ela venderia os lotes, denominados como Campo Grande, a três irmãos, imigrantes italianos que transformariam o local em uma próspera vila industrial.

Em 7 de outubro de 1890, o Estado publicou uma nota sobre o “nascimento” da Vila. “Nesta capital, foi constituída uma empresa que adquiriu terras entre S. Caetano e Mooca, com o fim de estabelecer uma vila que terá o nome encima citado esta notícia (Vila Prudente) em homenagem ao governador do Estado, dr. Prudente José de Moraes, Presidente da República entre 1894 e 1898.”

Era uma forma de os irmãos Emídio, Panfílio e Bernardino Falchi, donos da Fábrica de Chocolates Falchi, homenagearem o amigo, que chegaria a visitar a vila. Viriam, depois, a Cerâmica Vila Prudente, a Indústria de Louças Zappi e a Manufatura de Chapéus Oriente, além da olaria do engenheiro Luís Inácio de Anhaia Melo, nome de uma grande avenida local. Hoje, a região abrangida pela subprefeitura tem 523 mil moradores em 33,8 mil quilômetros de área. Cerca de 54% da população está em Sapopemba. Há ainda bairros de luxo, como o Jardim Avelino, e áreas extremamente pobres, nas extremidades de Sapopemba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.