26/01/2007

Fácil acesso e bons vizinhos

Fonte: Jornal da Tarde

Vila Leopoldina está localizada em local estratégico e atrai bons empreendimentos

Evelson de FreitasZap o especialista em imóveisVerticalização, grandes galpões, comércio variado: a Vila não pára de crescer

Rodeada pelas marginais dos rios Pinheiros e Tietê e a Avenida Queiroz Filho, a Vila Leopoldina tem ainda a seu favor o fácil acesso a várias rodovias interestaduais, como Anhangüera, Castelo Branco, Raposo Tavares e Regis Bittencourt. Se tudo isso não fosse suficiente, some ainda o fato de ter como vizinhos o Parque Villa Lobos e os elegantes bairros de Alto de Pinheiros e City Lapa. E comporta ainda o Ceagesp, o maior entreposto de distribuição de alimentos da cidade.

Mas as vantagens não param por aí. O bairro é riscado por grandes avenidas como a Gastão Vidigal e a Imperatriz Leopoldina, importantes pontos viários e com grande oferta de transporte coletivo.

Foi por isso que nas décadas de 1960 e 70, a Vila Leopoldina transformou-se em um bairro repleto de indústrias e armazéns de distribuição, com condomínios de operários que trabalhavam por ali.

Na década de 1980, com a construção do parque, a região se transformou. O acesso dos caminhões ao Centro da Cidade já estava mais restrito, e indústrias e armazéns mudaram-se para outras regiões nas margens das rodovias. Com isso, essas construções que ocupavam grande espaço passaram a ficar obsoletas. A região passou por grande desvalorização.

Mas foi a construção de bairros residenciais e de alto padrão como Alto de Pinheiros e City Lapa que começou a mudar as características da Vila Leopoldina. “Os empreendedores enxergaram um local propício para verticalização, com possibilidade de aproveitar a vista do horizonte”, conta o presidente da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), Luiz Paulo Pompéia.

O baixo valor dos lotes, aliado ao terreno em forma de planalto nos arredores das ruas Carlos Weber e Passo da Pátria, e a facilidade de transporte favoreceram o aumento da população do bairro.

A região começou a receber novos condomínios verticais. A princípio, a predominância era de apartamentos de dois ou três dormitórios para classe média. Hoje, o padrão elevou-se, e os lançamentos na Vila Leopoldina oferecem imóveis de quatro suítes e conceito de condomínio clube.

E não foi apenas o setor residencial que melhorou por lá. Os galpões que estavam obsoletos passaram a ser ocupados por laboratórios, empresas de publicidade, casas noturnas e até uma universidade. “Houve uma reciclagem do uso dessas construções que estavam abandonadas e, conseqüentemente, uma enorme valorização de todo o entorno do bairro”, completa Pompéia. O setor comercial de serviços foi o último a perceber a nova vocação da Vila Leopoldina. Atraído pela demanda exigida pelo grande número de moradores, vêm se expandindo muito nos últimos cinco anos.

Mercado quente 

4.848 unidades residenciais foram lançadas na Vila Leopoldina e Alto da Lapa de janeiro de 2000 até novembro de 2006

Boa parte (1.834) dos 4.848 lançamentos é de três dormitórios, com área útil média de 87,5 metros quadrados

R$ 2 mil é o preço médio do metro quadrado residencial na
Vila Leopoldina – na região das avenidas Passo da Pátria e
Carlos Weber

De R$ 600 a R$ 800 custa o metro quadrado dos terrenos nas áreas de galpões e armazéns obsoletos (entre a Avenida Gastão Vidigal e Marginal do Rio Pinheiros)

 

Leia mais

 

Preço de área subiu 300% em dez anos

 

Um grande negócio para o comércio

 

Achou um lar no caminho de casa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.