30/10/2006

Falha humana é a principal brecha para assaltantes

Fonte: O Estado de S. Paulo

Para garantir as mínimas condições de proteção em um condomínio deve-se levar em conta três quesitos básicos: “Seleção e treinamento de pessoal, equipamentos para monitorar entrada e saída e conscientização dos moradores”, resume o vice-presidente de administração imobiliária e condomínios do Sindicato da Habitação (Secovi), Hubert Gebara. Problemas em qualquer um desses pontos comprometem todo o sistema.

Segundo Gebara, quando há assalto e arrastão, a causa mais comum é falha humana, muitas vezes provocada por displicência dos próprios moradores.”A gente não quer esperar abrir dois portões, a gente não quer abrir a janela do carro antes de entrar na garagem e assim fica desprotegido.”

Outro problema comum é o mau preparo dos funcionários, de acordo com Alexandre Paranhos, gerente do Grupo Pro Security. “Em 100% dos casos de assalto, o porteiro é rendido. E há invasão mesmo em prédios com a guarita blindada. Se ele não abre, chama a polícia e não existe assalto”, diz.

Como as guaritas são o principal alvo, Paranhos sugere um formato de vigilância que liga portarias de vários condomínios, em bolsões de segurança. “As portarias se comunicam via rádio e visualmente por câmeras.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.