08/07/2007

Favor tocar em tudo

Fonte: O Globo

Maciez é a palavra de ordem das novas linhas de móveis
e acessórios de decoração

André TeixeiraZap o especialista em imóveisCabeceira da cama, de camurça, a manta de cashmere e a mesa de couro com relevo exploram o tato. Da Empório Beraldim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É permitido tocar. Permitido não: inevitável. Essa é a proposta de várias lojas de decoração com lançamentos que privilegiam o toque — através das tramas dos tecidos que revestem estofados e dos tapetes, do tratamento especial dado aos couros e peles e de aplicações que dão relevo aos móveis.

No Empório Beraldim, cheniles bicolores, sedas rústicas com cores inéditas, um exclusivo crochê de seda e tecido de tear texturizado, que remete a peles naturais como de elefante e cobra — todos fabricados no Brasil — adiantam algumas novidades entre os tecidos de toque suave para estofados e cortinas. Cabeceiras de camas, mesinhas laterais e cadeiras, revestidas com couros e camurças naturais, também fazem parte da nova linha com apelo para o tato.

— Sempre trabalhamos com matérias-primas naturais, que têm o toque mais agradável. E, nessa coleção, trabalhamos mais as texturas. Nos móveis da linha Relevos, por exemplo, o couro é moldado por cima de cordões que fazem desenhos na peça. Até as luminárias são confeccionadas com materiais agradáveis ao toque: há modelos com pé de camurça e cúpula de seda e outros com cúpula de chifre de animais — explica Zeco Beraldim, um dos sócios do Empório.

Loja cria um selo para fios macios

André TeixeiraZap o especialista em imóveisO pufe comprido, de veludo molhado, de Fernando Jaeger: comparado ao sintético, é agradável mesmo no verão

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A grife do designer Fernando Jaeger também lança uma nova linha de estofados forrados com veludos, camurças e sedas, em várias cores e acabamentos. Quem já tiver um móvel e quiser dar cara nova a ele, pode comprar somente o tecido. Sócia de Jaeger, Regina Kato diz que a novidade não tem a ver com a estação do frio — ela ressalta que, mesmo no verão, é mais agradável sentar num estofado forrado com veludo do que com um tecido sintético.

— O sintético gruda no corpo. Já o veludo é um tecido 100% algodão. O de trama cotelê é uma das novidades da coleção que está sendo muito procurado — conta Regina.

  

A Avanti, de tapetes, criou um selo, o So Soft, para as peças que têm fios bem macios. O segredo desses tapetes, explica a gerente de marketing da marca, Márcia Bergmann, está na espessura do filamento, mais fina que um fio de cabelo. Há coleções inteiras que levam o selo, como a “Sensorial” e a “Touch of class”, conta Márcia.

André TeixeiraZap o especialista em imóveisO tapete Marrakech, da Avanti, mistura dois tipos de fios: ambos ganharam um selo de garantia de maciez

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os arquitetos Fábio Bouillet e Rodrigo Jorge estão entre os que privilegiam esse tipo de peça em seus projetos. O modelo de tapete Marrakech, da Avanti, foi usado por eles recentemente no projeto de um escritório. Produzido com 17 milímetros de altura, ele mescla dois tipos de fios com o selo So Soft: o Slim Bright, fino e levemente brilhante, e o Soft Bright, grosso e opaco. Almofadas que levam o selo também estão nesse espaço.

— Nós procuramos trabalhar com as sensações: não só a visual, mas também a tátil. A idéia é despertar nas pessoas a curiosidade de desvendar as textura do ambiente — diz Bouillet.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.