07/09/2007

Filas para um e dois dormitórios

Fonte: Jornal da Tarde

É grande a escassez desse perfil de imóvel para locação na cidade. E piora em bairros mais valorizados

Tiago Queiroz/AEZap o especialista em imóveisVista do bairro da Aclimação, um dos mais disputados

Candidatos a inquilino na cidade de São Paulo estão sendo obrigados a encarar uma ‘fila virtual’ cada vez mais longa e demorada. Isso porque os imóveis de um e dois dormitórios com uma vaga na garagem – os mais procurados – estão em falta no mercado de locação da cidade. Embora o fenômeno seja pulverizado, o tempo de espera tem sido pior em bairros como Tatuapé, Mooca, Moema, Perdizes, Santana e Aclimação.

A escassez de ofertas desses perfis de unidade tem ocorrido desde o primeiro trimestre do ano, conforme se constatou em um levantamento realizado nos principais bairros da Capital pela Lello Imóveis, líder em administração imobiliária na Grande São Paulo. O cenário, afirma a gerente de locação e vendas da empresa, Roseli Hernandes, só tem se agravado até hoje. “Estamos passando por um período complicado por falta de imóveis no mercado, principalmente esses dois tipos”, diz.

São unidades cujos os aluguéis giram em torno de R$ 700 e que representam cerca de 80% do mercado de locação da empresa. Os bairros com os índices mais baixos de ofertas são Tatuapé, Mooca, na Zona Leste, e Santana, Zona Norte, e quase inexistem na Aclimação. Nessas regiões, a procura é tão superior às ofertas que os interessados chegam a ficar em uma lista de espera aguardando a desocupação do imóvel com o perfil desejado.

“A gente tem uma fila de gente esperando esse tipo de imóvel. Quando sai um inquilino já entra outro. Não dá tempo de baixar para conhecer o imóvel e não precisa nem de anúncio”, relata Roseli. Segundo ela, isso tem feito com que alguns imóveis sejam negociados antes mesmo da entrega da chave pelo antigo morador. A demanda é maior por imóveis junto ao metrô e com armários embutidos nos quartos.

Nas regiões de Moema e Perdizes, onde o giro é ainda mais rápido, a grande dificuldade é encontrar unidades vagas, principalmente apartamentos de dois dormitórios e uma vaga, com aluguel médio de R$ 1 mil. De acordo com a gerente da Lello, a falta de imóveis menores para locação é um fenômeno pulverizado na cidade e que também já pode ser observado em outras regiões de São Paulo e outros Estados brasileiros.

“Isso está acontecendo em várias regiões do Brasil. Empresas de outros estados estão sofrendo as mesmas coisas. As regiões abastecidas com melhor rede de serviços, mais nobres e com melhor infra-estrutura têm demanda enorme”, comenta Roseli.

A expectativa do mercado, complementa ela, é que os novos empreendimentos com esse perfil a serem lançados nos próximos anos traga mais ofertas para o setor de locação. “Nos últimos anos as construtoras deram muita atenção para imóveis de 3 e 4 dormitórios. Isso está refletindo agora.”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.