30/10/2006

Financiamento durante o aluguel

Fonte: O Estado de S. Paulo

A Caixa Econômica Federal facilita a compra com pagamentos só dos juros e encargos até a entrega do imóvel

Paulo Libert/AEZap o especialista em imóveisMercado – Banco financia construtores e 2 mil imóveis na planta ou em obras no plano Vem Que Tem

Interessados em financiar imóvel próprio ainda na planta ou em construção, na capital e Grande São Paulo, têm a disposição dois mil imóveis da campanha ‘Vem Que Tem’, da Caixa Econômica Federal. O banco vai disponibilizar R$ 128 milhões ao financiar 20 novos empreendimentos imobiliários na região. “O sucesso da primeira fase desta campanha e o lançamento desta segunda fase mostra que a parceria entre a Caixa e o setor imobiliário da capital e Grande São Paulo dá certo”, afirma Mattoso. “Queremos levar esta idéia para outros Estados. Em março vamos fazer uma feira de imóveis no Rio.”

A novidade é que os compradores de imóveis na planta ou em construção vão poder pagar os juros e encargos do financiamento durante a construção e, passar a pagar as prestações somente com a entrega das chaves. É o chamado plano de pagamento de encargos reduzidos durante a fase de construção.

Segundo Mattoso, estão disponíveis para esta modalidade as linhas de financiamento com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e outra com recursos da Caixa.
A linha do FGTS é para consumidores com renda familiar de até R$ 4,5 mil, sendo que o valor de avaliação do imóvel poderá ser de no máximo R$ 80 mil.

O financiamento pode chegar a 100% do valor da casa própria e o prazo de pagamento pode ser de até 20 anos. A taxa de juros varia de 6% ao ano até 10,16% ao ano, de acordo com a faixa de renda do consumidor.

No financiamento com recursos da Caixa o limite depende da renda do interessado. A taxa de juros é de 12% ao ano e o prazo máximo para o pagamento é de 240 meses (20 anos). O banco financia até 90% do valor do imóvel. Para ambos os modelos o sistema de amortização das prestações é o Sistema de Amortização Constante (SAC).

Segundo a Caixa, todos os financiamentos têm seguro de término de obra e garantia de entrega do empreendimento.
“O valor médio dos imóveis na planta ou em construção é de R$ 65 mil”, explica o superintendente de negócios da Caixa, Augusto Bandeiras Vargas.

Ele afirma que há 2,6 mil imóveis em fase de análise que devem entrar para a campanha Vem Que Tem nos primeiros meses de 2005. Assim, a segunda fase do programa vai somar 4,6 mil imóveis na planta ou em construção para a compra de paulistanos e moradores da Grande São Paulo.

Simulação 

Uma simulação de compra de imóvel que vale R$ 72 mil em que o consumidor vai financiar R$ 65 mil, e utilizaria R$ 7 mil de recursos próprios ou de sua conta de FGTS, no novo modelo – em que se paga os juros e encargos – o primeiro pagamento seria de R$ 57,05. No modelo anterior – em que se pagava já o valor das prestações, a primeira parcela seria de R$ 317,70. Neste mesmo cálculo, o valor pago em 12 meses de construção seria de R$ 3.143,61, ou o equivalente a 50,1% a menos que o sistema antigo.

O superintendente Vargas explica que os interessados em financiar imóveis podem consultar no site da Caixa (veja endereço abaixo) uma lista com 72 agências na capital e Grande São Paulo “melhor preparadas” para prestar este tipo de serviço. Alexandra Penhalver Serviço – Informações no site www.caixa.gov.br

Curtas Reajuste  

Os contratos de financiamento imobiliário vinculados ao Plano de Equivalência Salarial por Categoria Profissional (pleno e parcial), terão, em janeiro, reajuste de até 4,88%. Esse índice vale para quem tem data-base para aumento salarial em novembro e defasagem de 60 dias para repasse às prestações, conforme orientação do Banco Central e da Caixa Econômica Federal, administradora do Fundo de Compensação das Variações Salariais (FCVS). Para os mutuários com data-base em dezembro e defasagem de 30 dias, o reajuste será de 4,82%. De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito e Poupança (Abecip), os porcentuais de reajuste incluem a variação do índice que atualiza o saldo devedor nos últimos 12 meses.

Reforma

O Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) e o Bradesco firmaram parceria que abre linha de crédito de R$ 30 milhões a proprietários de imóveis de aluguel que buscam crédito para reforma. Para obter o financiamento é preciso ser cliente do Bradesco, estar numa administradora associada ao Secovi-SP ou com certificação do Programa Qualidade Essencial do Sindicato, ainda válida. Poderão recorrer aos recursos até o limite máximo de R$ 10 mil por unidade.O financiamento destina-se unicamente à reforma de imóveis residenciais destinados à locação e cobre gastos com material e mão-de-obra. Os juros são de 1,98% ao mês e taxa de abertura de crédito de R$ 100.

Informações no site www.secovi.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.