09/06/2015

Saiba como as mudanças da Caixa afetaram o financiamento imobiliário nos demais bancos

Entenda como cada instituição reagiu às mudanças e faça a melhor opção para o seu bolso

Fonte: Revista do ZAP

Com as mudanças das taxas e regras da Caixa Econômica Federal para o financiamento imobiliário, que passaram a valer em maio, quem comprar um imóvel usado pelo SFH (Sistema Brasileiro de Habitação) deverá dar uma entrada de no mínimo 50% e financiar a outra metade. Antes, a entrada mínima era de 20%. No caso do SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), o valor mínimo da entrada passou para 60% e o consumidor pode financiar os outros 40%.

financiamento-imobiliario-caixa
Cliente deve pesquisar as melhores alternativas de taxas do financiamento imobiliário (Imagens: Shutterstock)

+ Financiamento imobiliário – Tire suas dúvidas sobre as novas regras da Caixa

+ Teto do financiamento de imóvel com FGTS cai para R$ 400 mil

Segundo Daniele Akamines, sócia-diretora da Akamines Negócios Imobiliários, os outros bancos ganham competitividade com as novas regras e estão com disposição para continuar emprestando.

Assim, tais instituições podem ocupar a fatia do mercado que não está sendo suportada pela Caixa. “O Bradesco, por exemplo, anunciou no último mês que pretende crescer cerca de 20% no crédito imobiliário neste ano”, conta.

financiamento-imobiliario-regras
No mês de maio todos os bancos sinalizaram algum tipo de mudança nas regras do financiamento imobiliário

Daniele explica que, no mês de maio, todos os bancos sinalizaram algum tipo de mudança. “Itaú e Santander reduziram o LTV (Loan-To-Value) de 80% para 75% e 70%, respectivamente. Houve, ainda, aumento na taxa de juros de todas as principais instituições e o Banco do Brasil aumentou o prazo de financiamento para até 420 meses”, conta a advogada.

Após o aumento da taxa de juros no BB e na CEF, todos os principais bancos terminaram o mês de maio com taxas mais elevadas. Daniele cita que o Itaú trabalha com taxa personalizada, que varia de acordo com o perfil do cliente, mas a taxa de balcão aumentou para 10,4% ao ano e prazo máximo de 30 anos.

financiamento imobiliario no banco do brasil
Taxa de juros para financiar imóvel no Banco do Brasil está mais alta (Foto: Shuttertstock)

Já o Bradesco aumentou a taxa de SFH, que está variando entre 9,8% e 11% ao ano, e no SFI de 10,4% a 14% ao ano, também com prazo máximo de 30 anos.

O Santander criou taxas diferenciadas dependendo do percentual a ser liberado. Clientes SFH com financiamento menor de 50% do imóvel (10,8% a 11,3% ao ano) e entre 50% e 70% (11,4% a 11,5% ao ano); clientes SFI com financiamento menor de 40% do imóvel (11,5% a 11,9% ao ano) e entre 40% e 70% (12,4% a 12,5% ao ano).

Para clientes Select o percentual poderá chegar a 80% e a taxa de juros a 9,9%, com prazo máximo de 35 anos. No Banco do Brasil, a taxa é de 10,4% ao ano para clientes SFH ou SFI, com prazo que pode chegar até 35 anos.

“O crédito não está mais difícil, mas o dinheiro está mais caro com o aumento da taxa de juros. Dessa forma, é importante que o cliente pesquise as melhores alternativas de taxas e também os  preços dos imóveis”, aconselha Daniele.

Aprovação de crédito para o financiamento imobiliário

Daniele explica que, para a aprovação do crédito do cliente, o banco leva em consideração se existe algum apontamento nos órgãos de proteção ao crédito (SPC/SERASA) e se o cliente salda suas dívidas pontualmente, além de avaliar qual a fonte de renda e o tempo de atividade.

“Outra questão importantíssima é o percentual máximo da renda que é possível comprometer. Os bancos normalmente comprometem até 30% da renda do cliente, lembrando que é feita uma consulta ao SCR (Sistema de Informações de Crédito do Banco Central)”, afirma.

O SCR é um sistema de consulta e registro de operações de crédito, avais e fianças prestados e limites de crédito concedidos por instituições financeiras a pessoas físicas e jurídicas no país. Atualmente, são armazenadas no banco de dados do SCR as operações dos clientes com responsabilidade total igual ou superior a R$ 1.000,00 (mil reais) a vencer e vencidas, e os valores referentes às fianças e aos avais prestados pelas instituições financeiras a seus clientes, além de créditos a liberar contabilizados nos balancetes mensais.

Daniele alerta que, para analisar a capacidade de pagamento do cliente, os bancos levam em conta as informações disponíveis no SCR. “Caso o cliente tenha um alto comprometimento no curto prazo é muito provável que o crédito seja recusado mesmo que não tenha nada vencido”, adverte.

Ofertas no Sul? Veja imóveis SC

 

+ Queda no preço dos imóveis é aguardada por maioria dos brasileiros, revela Raio-X FipeZap

+ Caixa vai financiar apenas 50% do imóvel usado

+ Banco do Brasil altera taxa de juros do financiamento de imóvel

+ Ferramenta informa o preço estimado do seu apartamento

+ Veja o que fazer em seu apartamento após a entrega das chaves

 

 

+ Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Informe seu nome e e-mail no espaço para comentários desta matéria. Os dados não serão publicados nessa página

5 Comentários

  1. São Vicente, 20 de Julho de 2015.Na Baixada Santista ainda encontramos imóveis usados à venda com valores menores que R$ 190.000,00(Cento e Noventa Mil Reais).Para imóveis usados menores que R$ 190.000,00(Cento e Noventa Mil Reais) a CAIXA poderá financiar 80% do Valor do imóvel.Quando o imóvel usado tiver o valor acima de R$ 190.000,00(Cento e Noventa Mil Reais). A CEF financiará um valor mínimo de R$ 100.000,00(Cem Mil Reais) ou 50% do valor do imóvel.(Alterando a tx de juros de acordo com a linha de financiamento, sendo: Imóveis com valores até R$190.000,00; as taxas de juros são menores que imóveis avaliados acima desse valor) e também imóveis novos a CAIXA financiará até 90%, sempre de acordo com a renda e idade, para os imóveis acima de R$ 190.000,00(Cento e Noventa Mil Reais)Atenciosamente,José Cláudio O. de Carvalho CRECISP 94.856

  2. São Valentim 29 de fevereiro 2016.Venho por meio desta solicitar informações sobre financiamento para a compra de um imóvel no litoral.Minha intenção é de comprar este imóvel no mês de setembro deste ano de 2016,Por conta própria fiz uma simulação com um correspondente da caixa onde moro.Posso chegar no valor de 90 mil reais. Mas pretendo comprar um imóvel entre 65 mil e 75 mil.Gostaria de mais informações a respeito da possibilidade.Luiz Fernando Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.