27/01/2020

Saiba tudo sobre o financiamento Minha Casa Minha Vida

Existem quatro faixas de renda familiares e regras para conseguir comprar um imóvel através do programa

Fonte: ZAP em Casa

Comprar um imóvel é o sonho de todos os brasileiros, mas nem todo mundo consegue realizar por conta do alto valor agregado do bem. A decisão do investimento pode comprometer boa parte da renda familiar por muitos anos, e a instabilidade econômica e o alto nível de desemprego que assola o país nos últimos anos, dificultam ainda mais esse processo. Porém, a necessidade é realidade. O déficit habitacional bateu o recorde ao crescer 7% entre 2007 e 2017, atingindo 7,78 milhões de unidades habitacionais, segundo levantamento da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias em parceria com a Fundação Getúlio Vargas. O programa Minha Casa Minha Vida tem permitido o acesso a pessoas de baixa renda à casa própria e, em 10 anos, já foram assinados contratos para construção de 5,7 milhões de unidades. Dividido de acordo com faixas de renda, saiba como funciona o financiamento do Minha Casa Minha Vida (MCMV).

financiamento minha casa minha vida
Conjunto habitacional pertencente ao programa de Financiamento do Minha Casa Minha Vida (Foto: Shutterstock)

Informações do Financiamento Minha Casa Minha Vida

O Minha Casa Minha Vida foi criado em 2009 pelo Governo Federal com o objetivo de subsidiar a casa para pessoas de baixa renda. O financiamento tem condições facilitadas para famílias que têm renda familiar de até R$ 7 mil. “O sistema habitacional do Brasil faz parte do contexto geral e o Minha Casa Minha Vida faz parte do sistema financeiro de habitação. Ele foi criado justamente para dar uma equilibrada no sistema habitacional do país e oferece condições mais específicas de financiamento”, explica a advogada Laís Dias, especialista na área de Direito Imobiliário do escritório Da Fonte Advogados. 

+ Quer encontrar o seu novo imóvel?

Benefícios do Minha Casa Minha Vida

O programa oferece vantagens como o financiamento de imóveis com diferenciais, como subsídio e menor taxa de juros. “A União vai atuar subsidiando com recursos tanto para as instituições financeiras como para os fundos com o objetivo de alcançar cada vez mais pessoas. O Minha Casa Minha Vida acaba sendo um apoio ao desenvolvimento social”, ressalta Laís Dias, que afirma que o programa é vantajoso para quem vai comprar e também para quem vai construir. “A União assume os riscos com a construtora e oferece vantagens para os consumidores”, acrescenta. 

Acesso ao programa

Existem regras para quem pode ter acesso ao financiamento do Minha Casa Minha Vida. E isso varia de acordo com as faixas de renda, delimitadas através do programa. São quatro faixas. A Faixa 1 é para famílias com renda de até R$ 1.800 por mês, que poderão financiar em até 120 meses e prestações mensais que vão de R$ 80 a R$ 270. A Faixa 1,5 é para famílias com renda de até R$ 2.600 e oferece taxas de juros de 5% ao ano e financiamento em até 30 anos. Ainda é possível conseguir subsídio de até R$ 47,5 mil. A Faixa 2 é para famílias com renda de até R$ 4 mil e pode dar subsídio de até R$ 29 mil. A Faixa 3 é para famílias com renda de até R$ 7 mil e oferece taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado. 

Como participar do financiamento Minha Casa Minha Vida

Para as famílias que se enquadram na Faixa 1, é preciso se inscrever na prefeitura da cidade ou em alguma entidade organizadora para iniciar o processo de seleção. As famílias selecionadas serão informadas sobre a data do sorteio das unidades e da assinatura do contrato de compra e venda.

Já as famílias com renda mensal de até R$ 7 mil podem contratar através da entidade organizadora e também de forma individual. Para isso, é necessário fazer uma simulação para saber quanto poderá investir e levar a documentação em um correspondente Caixa Aqui ou em uma agência da Caixa Econômica Federal. 

Regras em vigor

Algumas regras, além da renda familiar mensal, precisam ser cumpridas para conseguir o financiamento do Minha Casa Minha Vida. “A família não pode ter outro financiamento habitacional justamente porque esse programa é para facilitar para quem não tem condições de adquirir um financiamento no sistema habitacional tradicional, já que a compra da casa própria é muito onerosa para ela. Quem também já tem um imóvel não tem necessidade de comprar outro com a ajuda do Minha Casa Minha Vida”, afirma a advogada Laís Dias. 

A capacidade de endividamento também é avaliada. “É preciso provar que, quem adquiriu o financiamento, não vai estar prejudicando mais do que 30% da renda mensal familiar. Afinal de contas, não pode contrair uma dívida que não consiga sobreviver. Além disso, existem condições específicas de financiamento e ainda é possível conseguir ajuda do FGTS para pagar o financiamento”, explica. 

TABELA do Financiamento Minha Casa Minha Vida

Como funciona cada Faixa:

Faixa 1
– Renda de até R$ 1.800
– Financiamento de até 120 meses
– Prestações mensais de R$ 80 a R$ 270

Faixa 1,5
– Renda de até R$ 2.600
– Taxas de juros de 5% ao ano
– Financiamento de até 30 anos
– Subsídios de até R$ 47,5 mil

Faixa 2
– Renda de até R$ 4.000
– Subsídios de até R$ 29 mil

Faixa 3
– Renda de até R$ 7.000
– Taxas de juros diferenciadas

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.