12/06/2008

Financiamento para casa própria terá mais recursos

Fonte: Globo online

Linha de crédito é destinada à classe média. Diário Oficial traz medida que permite transferência de aporte entre estados.

No início deste ano, o Governo lançou uma linha de crédito para a compra da casa própria que atende a classe média com condições e juros diferenciados com recursos do FGTS, a Pró-Cotista. O crédito de R$ 96 milhões para São Paulo esgotou em apenas dois meses, mas voltará a estar disponível. Nesta quinta-feira, será publicada no Diário Oficial da União a resolução que autoriza o Ministério das Cidades a transferir recursos das linhas de financiamento do FGTS entre estados, sem limite (hoje só é possível remanejar 20% dos recursos de um para o outro). A idéia é mandar crédito de um estado que tem pouca demanda para aqueles que necessitam, como São Paulo. Em todo país, há R$ 1 bilhão para o programa.

– Se o R$ 1 bilhão for gasto, haverá novo aporte de recursos – garante Maria Henriqueta, assessora técnica do Conselho Curador do FGTS, que administra o fundo. Deste total, a Caixa Econômica Federal é responsável pela maioria, R$ 700 milhões.

A linha é restrita a quem trabalha há, pelo menos, três anos com carteira assinada e tem a conta do FGTS ativa. Se não estiver, é preciso ter no mínimo 10% do valor de avaliação do imóvel aplicado na conta.

Nas agências do banco já há dinheiro, após meses de espera. Isso porque a instituição fez o remanejamento de 20%, mas o crédito já estava se esgotando novamente. Acabaria na próxima semana, segundo o vice-presidente de Governo da Caixa, Teodonio Costa Rezende. No último aporte, São Paulo recebeu mais R$ 59,2 milhões.

– Se vier hoje tem recurso – garante Luiz Carlos Previlato, gerente regional da Caixa.

Na prática, o banco nunca tirou a linha do mercado no estado, apenas dizia que não havia recursos disponíveis temporariamente. Foi até feita lista com nomes dos interessados, que foram informados de uma espera de três meses. Além de ser por estado, a distribuição é feita por agências. Ou seja, se em uma agência da Caixa for informado que não há mais recurso, o interessado pode ainda encontrar em outra enquanto a nova remessa não sai.

Distribuição de recurso

Em todo país, o Pró-Cotista surgiu com R$ 1 bilhão. Atualmente, São Paulo conta com R$ 155,2 milhões para o programa. Na região Sudeste o número é de R$ 414 bilhões (59% do total), sendo que 85% já estão comprometidos com contratos assinados ou aqueles que estão em andamento.
O vice-presidente de Governo da Caixa afirma que há um excesso de demanda no Sudeste.

– Enquanto isso, nas regiões Norte e Nordete o dinheiro estava parado – explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.