16/02/2009

Fracionamento é alternativa para casa de veraneio

Fonte: Jornal da Tarde

Sistema que divide imóvel em cotas chega ao Brasil
aliando investimento imobiliário e férias de luxo

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisVÁRIOS DONOS – No Itacaré Paradise, da EKO, propriedade do imóvel será dividida entre 12 compradores

Um jeito diferente de comercializar imóveis passou a ser adotado

no Brasil desde o ano passado. Trata-se do sistema fractional,

ou seja, venda fracionada, já bastante difundido nos Estados

Unidos, México, Canadá e Europa. Aplicado em condomínios

residenciais de alto padrão, o novo sistema tem o intuito de facilitar o acesso ao imóvel de veraneio, porém com a promessa

de ser um investimento mais inteligente.

 

Afinal, quando se compra uma casa de praia ou de campo é preciso arcar com 100% de todasasdespesasdemanutenção

eimpostos.E segundo apontam especialistas, o índice médio de

utilização ao longo do ano não ultrapassa os 10%.?Nesse sistema, a pessoa compra uma fração próxima ao índice médio de utilização e paga um valor condizente com a proporção adquirida?, destaca o diretor comercial da EkoArquitetura eConstrução, que em agosto do ano passado lançou um condomínio de luxo dentro desse padrão, Mauro Fabbroni.

 

OItacaré Paradise, localizado na cidade de Itacaré, litoral sul da Bahia, conta com oito casas, sendo seis de três suítes e 212 m² e duas de quatro suítes com 252 m². Ao todo, cada unidade

será vendida em 12 frações, cujo valor pode chegar a

R$ 198mil. De acordocom Fabbroni, cada fração dá o direito

do proprietário usar a casa por 4 semanas durante o ano.

 

“Trata-se de um sistema que alia férias de luxo e investimento

imobiliário”, afirma Gilberto Nesvlinger, superintendente

comercial do Aguativa Golf Resort, um complexo turístico de

quatro estrelas, localizado em Cornélio Procópio, a 45 km de

Londrina, no Paraná. Nesvlinger diz que até agosto deste ano

serão entregues as primeiras três casas, das dez que serão

construídas dentro do resort e que integram o projeto Aguativa

Priviège. Serão residências de alto padrão,com capacidade

para até 8 pessoas e valor aproximado de R$ 1 milhão, que serãocomercializadasemdezfrações, com valor em torno deR$

100 mil cada. “Cada proprietário poderá usufruir do imóvel

por um período total de cinco semanas por ano”, explica.

 

A comodidade e o conforto são os pontos fortes desses empreendimentos. O Itacaré Paradise, por exemplo, terá todos os serviços de um hotel cinco estrelas.  O objetivo, segundo Fabbroni, é proporcionar descanso total ao proprietário, que não precisará se preocupar com a manutenção periódica do imóvel

ou com serviços diários com o lavar louça, arrumar camas, limpar a casa, etc.

 

O mesmo é oferecido no Aguativa Privilège, que, segundo Nesvlinger, conta com uma ampla equipe de funcionário

para cuidar dessas tarefas. “O proprietário irá desfrutarde

cinco semanas de descanso total, sem ter que se preocupar

com rotinas inerentes a uma casa de veraneio comum”, diz.

Éclaroquetoda essa paparicação tem seu preço. Para ter

todos esses serviços disponíveis, os proprietários desembolsarão

uma quantia mensal na faixa dos R$ 600 no Itacaré ParadiseeR$

700 no Aguativa Privilège, valor esse que os empresário

julgam vantajoso diante das vantagens do pacote: “O

custo de estadia para 8 pessoas num resort de alto padrão, durante cinco semanas, sairá no mínimo três vezes o valor das

mensalidades”, frisa Nesvlinger.

 

“Se levarmos em conta o padrão do condomínio e a quantidade

de serviços, émais barato que ter uma casa no Guarujá”,

completa Fabbroni.

 

INTERCÂMBIONão ficar preso ao imóvel é outro

atrativo do sistema. Graças a uma parceria com a The Registry Collection (TRC), um produto da RCI Group, empresa especializada em intercâmbio de férias, o comprador de uma das

fraçõespodetrocar as semanas a que tem direito por outra em

qualquer empreendimento afiliado ao programa.Ao todo, são

mais de 100 empreendimentos espalhados ao redor do mundo.

 

“Caso não queira passar suas férias no Brasil, o proprietário pode escolher passar o inverno em Aspen (Canadá) ou visitar a

Toscana (Itália) no período da colheita do trigo”, exemplifica

Fabbroni.

 

O diretor geral da RCI group no Brasil, responsável por inserir

o conceito do fractional no País, Alejandro Moreno, crê

que o modelo tenha muitas chances de se expandir no Brasil.”É uma opção acessível para quem quer uma casa de veraneio

de alto padrão mas não quer se descapitalizar”, diz.

 

“Sem contar que você faz um investimento imobiliário que

lhe proporciona um intercâmbio internacional.” Moreno diz

que, além dos empreendimentos da Bahia e do Paraná, a empresa está buscando parcerias para novos projetos no Rio de

Janeiro e Pernambuco.

 

DE OLHO NO CONFORTOFrequentador assíduo de resorts, o empresário Waner Labigalini logo reconheceu as vantagens de possuir uma fração de casa nesse sistema.Recentemente, Labigalini adquiriu por menos de R$ 100 mil uma cota em um imóvel do Aguativa Privilège, no Paraná.?O fato deentregarem o imóvel mobiliado e deoferecer todos os serviços de um hotel é um diferencial?,diz.

 

“Eu tenho uma casa de praia e semprequevouparalánãodescanso

completamente, pois sempre há algo para fazer em

termos de manutenção”. O empresário frisa também

apossibilidadederetornofinanceiroqueoempreednimentopode

trazer: “Se eu não quiser usarminhassemanaspossoalugá-

las para outra família e o resort cuida de todo esse processo.

Além disso, o fato de poder trocar minhas semanas para

viajar para outros lugares, fora doBrasilecomomesmoconforto

é outro ponto positivo”.

 

LEIA MAIS:

 

Plantas que exigem pouca manutenção

 

Lugar para veraneio ou moradia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.