18/12/2008

Gangue do aluguel

Fonte: Jornal da Tarde

6 roubos a casas do Morumbi em 2 meses; polícia investiga ação de ladrões que usam corretoras para identificar imóveis vazios, onde se instalam para assaltar casas de luxo na vizinhança; presidente de associação de moradores da região reclama de clima de insegurança

A Polícia Civil de São Paulo investiga uma quadrilha que adotou uma nova tática para assaltar residências de alto padrão no bairro do Morumbi, área nobre da capital paulista. Para driblar o esquema de segurança das mansões, o verdadeiro alvo de sua atenção, bandidos se passam por potenciais compradores das casas vizinhas – vazias e à venda ou para alugar. Pelo menos seis casos foram registrados nos últimos dois meses no 34º Distrito Policial e são investigados pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da 3ª Delegacia Seccional Oeste. Há suspeita de que o grupo também atue em outras áreas.

Na visita ao imóvel, enquanto dois integrantes do grupo, geralmente um casal bem vestido, despistam o plantonista da imobiliária, outra pessoa estuda como ter acesso à residência do lado. Caso haja oportunidade visível, dominam o funcionário e já pulam o muro para atacar a residência vizinha. Ali, roubam jóias, equipamentos eletroeletrônicos, euros e dólares. Se não for possível um ataque rápido, os três vão embora, mas voltam de madrugada, passam a noite na casa vazia, aproveitam para comer pizza e hambúrguer, e aguardam o amanhecer para o assalto.

Nesse caso, a vítima escolhida costuma ser dominada cedo, ao abrir a garagem da residência. Quando não é o dono da mansão, o grupo aborda a empregada que chega para trabalhar.

Muitas vítimas têm ido à delegacia para fazer reconhecimento por meio de álbuns de fotografia de criminosos. Alguns integrantes da quadrilha já foram até identificados por câmeras instaladas na região.

Três imobiliárias da região que foram procuradas pela reportagem do Jornal da Tarde informaram que os plantonistas vão aos imóveis para limpá-lo e cuidar da vigilância, ou seja, ?zelam? pela casa. Mas ressaltaram que não são seguranças. Os estabelecimentos não quiseram comentar a onda de roubos por meio dos imóveis vazios.

Segundo Juarez Alvarenga, presidente da Associação de Moradores Cidade Jardim Panorama, um dos motivos para a criação da entidade foi o combate à violência. O Jardim Panorama tem 15 pequenas ruas arborizadas com cerca de 200 residências e 200 apartamentos de alto padrão no Morumbi. “A idéia que tenho é que uma mesma quadrilha tem agido no Morumbi,pois tem armamento muito pesado. Os casos são recorrentes e não é qualquer ladrão que utiliza armas como as que temos visto.”

Alvarenga reclamou da falta de segurança na região e diz que os moradores estão com medo de entrar e sair de casa. “Não percebemos aumento de viaturas e policiamento.”

A Secretaria de Estado da Segurança Pública informou que colocou desde o dia 2 deste mês policiais do Garra e do Grupo de Operações Especiais para aumentar o patrulhamento na região.

PRESO – Em outubro passado, uma mansão na região do Ibirapuera, na zona sul da cidade, foi alvo de uma tentativa de assalto por dois criminosos que foram presos recentemente. Segundo policiais do Setor de Investigação Geral (SIG) Oeste, os ladrões responsáveis por esse crime podem ter ligação com a quadrilha do Morumbi que age por meio das casas desocupadas do bairro. “Agora tem mudado o método”, contou um policial ao JT. Na ocasião, Ronaldo Daniel Alves, o Nenê, e um garoto foram detidos antes de entrar na casa.

Nenê e o menor, que era pago para passear com os cães da família, são acusados de terem matado dois cachorros da casa: um pastor alemão e um basset. Em seguida, tentaram abrir a porta da residência, mas a proprietária percebeu e acionou um alarme.

PELO MURO – A Secretaria da Segurança Pública informou que na tarde da última terça-feira a casa de um administrador de 44 anos foi invadida por bandidos na Rua José Capobianco, no Jardim Colombo, no Morumbi. O dono da casa e suas duas filhas foram feitos reféns, mas não se feriram. Os bandidos tinham escalado o muro lateral da casa e levaram jóias (anéis de pérola, de ouro, correntes, uma gargantilha e uma pedra preciosa), celulares, R$ 120, dois óculos de grife e uma máquina fotográfica. A polícia não informou se o imóvel vizinho estava para alugar ou vender. As três vítimas disseram, em depoimento, não terem se ferido.

CUIDADOS – Se o imóvel ao lado de sua residência estiver para alugar ou vender, tente instalar cerca elétrica na casa;
Mantenha um contato com vizinhos e peça para eles chamaram a PM em caso de movimentação suspeita;
Procure conversar com o plantonista da imobiliária, pegar telefone, saber os horários que ele trabalha;
Antes de sair de casa com o carro observe a movimentação na casa ao lado que estiver desocupada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.