24/05/2010

Gastos de condomínios variam 500% conforme perfil do empreendimento em SP

Fonte: Revista ZAP

Gasto médio mensal é de R$ 25 mil em prédios-padrão, enquanto
nos condomínios do tipo clube o valor é de R$ 150 mil, aponta a Lello

(Foto: Divulgação)
Valores gastos com a folha de pagamento de funcionários representam metade das despesas dos condomínios (Foto: Divulgação)

O valor gasto pelos condomínios residenciais da cidade de São Paulo para pagamento de todas as despesas de custeio pode oscilar 500%, dependendo do tipo do empreendimento. É o que aponta levantamento da administradora Lello.

Segundo o estudo, o gasto médio mensal nos chamados prédios-padrão, com 64 apartamentos e valor de condomínio individual de R$ 400, é de R$ 25 mil, enquanto o de condomínios do tipo clube, que viraram moda na cidade nos últimos cinco anos, é de R$ 150 mil.

Já nos chamados “grandes conjuntos”, que são os condomínios com várias torres, média mensal é de R$ 76 mil, e nos prédios de alto padrão, R$ 30 mil.

Os valores gastos com a folha de pagamento de funcionários representam, em média, metade das despesas dos condomínios.

O valor médio é de R$ 13 mil por mês nos condomínios clássicos, R$ 36,1 mil nos grandes conjuntos, R$ 65 mil nos de tipo clube e R$ 18 mil nos de alto padrão, incluindo gastos com salários, normas a serem cumpridas, retenções e impostos.

O segundo maior grupo de gastos refere-se a despesas com concessionárias de energia elétrica, água e gás, que são, em média, de R$ 5,8 mil nos condomínios clássicos, R$ 17,2 mil nos grandes conjuntos, R$ 35 mil nos condomínios-clube e R$ 5,3 mil nos de alto padrão. Já os gastos com despesas de conservação de equipamentos das áreas comuns são, respectivamente, R$ 3,3 mil, R$ 13,6 mil, R$ 22,5 mil e 3,5 mil nos quatro tipos de condomínio.

As despesas gerais e com compras de material somam R$ 1,3 mil nos condomínios clássicos, R$ 5 mil nos grandes conjuntos, R$ 10,5 mil nos de tipo clube e 1,6 mil nos de alto padrão. E as despesas administrativas e com seguro chegam a R$ 900, R$ 4 mil, R$ 17 mil e 1,4 mil, respectivamente, nesses locais.

“O fator decisivo para a definição dos gastos mensais é a estrutura de cada condomínio, seus equipamentos, contratos e, principalmente, o quadro de funcionários, que é decisivo para a apuração das despesas totais”, afirma Angélica Delgado Arbex, gerente de Marketing da Lello Condomínios.

“Entretanto, o que vai definir o valor do condomínio pago por cada morador é, primordialmente, o número de condôminos que rateiam a despesa”, observa.

LEIA MAIS:

CONDOMÍNIOS CARIOCAS NÃO ESTÃO PREPARADOS PARA COMBATER INCÊNDIOS

CASA OU APARTAMENTO? VEJA O QUE LEVAR EM CONTA NA HORA DA ESCOLHA

SAI O PRIMEIRO CONDOMÍNIO COM ENERGIA EÓLICA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.