09/08/2010

Grandes áreas arborizadas: pulmões verdes dentro dos novos empreendimentos cariocas

Fonte: O Globo
Área verde corresponde a grande parte do empreendimento da Barra, que ocupa terreno de 22.500 metros quadrados (Fotos: Divulgação)
Área verde corresponde a grande parte do empreendimento da Barra, que ocupa terreno de 22.500 metros quadrados (Fotos: Divulgação)

Os parques e jardins, além de serem considerados descontraídos pontos de encontro, funcionam como pulmões verdes, rompendo com o frenesi diário dos grandes centros urbanos. As construtoras, alinhadas com os conceitos de sustentabilidade e qualidade de vida, estão incorporando esses espaços aos seus novos empreendimentos. Em alguns casos, essas áreas chegam a tomar conta da maior parte do terreno.

O residencial Eco Park, da MDL Realty, em Pendotiba, por exemplo, conta com uma área de mais de 20 mil metros quadrados de parque ecológico privativo. A área verde corresponde à quase totalidade do empreendimento, já que o terreno total tem 22.500 metros quadrados. A ideia é dar aos moradores a possibilidade de fazer caminhadas ao ar livre, com todo o silêncio que a natureza pode proporcionar, dentro da cidade. O projeto venceu o prêmio Top Imobiliário da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) de Niterói no ano passado.

As construtoras Carvalho Hosken e RJZ Cyrela foram buscar soluções com paisagistas no projeto do Cidade Jardim, na Barra, que conta com uma área de 512 mil metros quadrados. O projeto inclui uso de materiais recicláveis ou que não agridam o meio ambiente, reutilização de água da chuva, coleta seletiva de lixo e, aliado a isso tudo, muito verde. A construção receberá o plantio de cerca de sete mil árvores, o dobro do número necessário para zerar a emissão de carbono do empreendimento.

“Nos condomínios-bairro que criamos, damos ênfase ao verde, pois além de propiciar um contato harmônico entre o homem e a natureza, nos permite contemplar o belo. Isso tranquiliza o homem”, explica o presidente da Carvalho Hosken, Carlos Carvalho.

Ao todo serão plantadas sete mil árvores no terreno do condomínio da Tijuca, formando um imenso cinturão verde
Ao todo serão plantadas sete mil árvores no terreno do condomínio da Tijuca, formando um imenso cinturão verde

O residencial Renaissance, que está sendo construído pela Calçada no bairro da Tijuca, também terá um grande bosque, de 1.100 metros quadrados, dentro de um terreno de 3.300 metros quadrados. Plantas nativas da Mata Atlântica farão parte do projetado paisagístico, assinado por Benedito Abbud.

“Não conheço, na Tijuca, um bosque privativo desse porte, onde os moradores poderão desfrutar da natureza e terão lazer garantido dentro do empreendimento”, afirma o diretor de marketing da Calçada, Bruno Oliveira.

Plantas nativas da Mata Atlântica fazem parte do bosque do Renaissance, assinado pelo paisagista Benedito Abbud
Plantas nativas da Mata Atlântica fazem parte do bosque do Renaissance, assinado pelo paisagista Benedito Abbud

A fachada do edifício de sete andares, que ocupará apenas 30% do terreno, preservará a arquitetura clássica francesa de seus vizinhos. Segundo Oliveira, a construtora optou por harmonizar a rua.

“Como estaremos ao lado de construções históricas, tombadas pela prefeitura, achamos importante manter o estilo nobre e clássico já existente.”

LEIA MAIS:

Casa eficiente gasta 70% menos energia

Construtoras criam departamentos para tratar do tema sustentabilidade

Estúdio de design italiano cria uma casa inflável, resistente a água e fogo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.