02/12/2007

I Ching e Feng shui, onde tudo começou

Fonte: O Globo

Entidades vão levar um grupo de brasileiros para fazer um curso inédito na China

Quem se interessa pela arquitetura da China, pelos princípios milenares do I Ching e pela arte do Feng shui terá uma oportunidade rara de conhecer o lugar onde tudo começou. Numa parceria pioneira entre o Instituto Brasileiro de Feng Shui e o Centro de Intercâmbio Acadêmico Sino-Brasileiro (Iasb), será realizado, em abril do próximo ano, o primeiro curso sobre o assunto para estrangeiros na China. As aulas serão dadas por professores de universidades locais, com tradução simultânea para o português.

A arquiteta e diretora do Instituto Brasileiro de Feng Shui, Maria Teresa Saldanha, explica que, por incrível que pareça, na China não há cursos dessa arte milenar, que ensina a equilibrar as energias naturais de um espaço. É que o Feng shui faz parte da cultura dos chineses — não é algo que se aprende nos bancos de escolas, ressalta Teresa.

— Desde que a China é comunista, o governo chinês vem tentando combater essa arte que, por ser divinatória, atacaria o espírito científico. Mas o Iasb conseguiu que quatro professores, PhDs, se dispusessem a organizar esse programa e a receber o grupo. Uma tradutora fará a tradução simultânea das aulas, em chinês, para o português — explica Teresa, que há dez anos se dedica também aos estudos do I Ching, o livro que representa o princípio de ordem da sociedade chinesa.

O curso é destinado principalmente a engenheiros, arquitetos e afins, mas também a profissionais de terapias holísticas, medicina chinesa, psicólogos e qualquer pessoa que se interesse pelo assunto.

— Não é um curso técnico: tem cunho filosófico e cultural. Por isso, temos tido interesse tanto de estudiosos de Feng shui como de quem não entende nada do assunto — diz Teresa.

Programa vai incluir visitas guiadas a quatro cidades

Serão 17 dias de curso, com 54 horas de aulas teóricas, além de 18 horas práticas, com visitas guiadas a construções históricas das cidades de Pequim, Suzhou, Xitang e Xangai. Os participantes receberão certificado de participação.

O preço é R$4.955, incluindo-se aí hospedagem em hotel quatro estrelas, refeições e traslados. Mas as passagens áreas têm de ser pagas à parte — ida e volta saem, em média, por US$2 mil (R$3,5 mil). A turma será fechada até o fim de dezembro, para que os inscritos possam ter tempo de providenciar o visto chinês.

O programa completo, assim como os currículos dos professores, pode ser encontrado no site www.fengshuibrasil.com.br. Mais informações pelos telefones 2480-0591 e 9169-1535 ou pelo e-mail contato@fengshuibrasil.com.br.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.