04/04/2019

iBuyers: promessa de venda rápida de imóveis, mas com preço abaixo do mercado

Ainda pouco usada no Brasil, esse tipo de negociação é feita com avaliação automatizada de moradias pela internet

Fonte: Redação

Imagina colocar um imóvel à venda e em poucos minutos receber uma oferta de compra. É o que prometem as iBuyers, empresas que avaliam moradias de forma automatizada, pela internet, e oferecem valores.

Geralmente são startups que compram, às vezes reformam, e revendem imóveis de forma muito rápida. Elas se utilizam de algoritmos para a avaliação das propriedades e identificação de oportunidades.

O modelo vem se expandindo nos Estados Unidos, mas ainda engatinha no Brasil. Em troca do alto risco que a iBuyer assume ao comprar um imóvel de forma quase instantânea, está o preço abaixo de mercado que paga e a porcentagem que cobra do vendedor, taxa que varia entre 6% e 9 %. Por outro lado, é o sonho de quem está precisando vender rápido.

Prédio com floresta vertical em fachada será inaugurado em São Paulo

ibuyers
O modelo vem agradando compradores e investidores do mercado estadunidense (Foto: Shutterstock)

“Nos Estados Unidos, podemos citar exemplos como Zillow, OpenDoor, Offerpad, que são empresas que fazem ofertas ativas para um imóvel, e, se o cliente aceita, compram imediatamente sem qualquer intermediação. Elas vem se espalhando pelo mundo e já atingem países que têm um sistema imobiliário engessado, como o Brasil”, afirma Gustavo Zanotto, diretor de Inovação e Marketing do Café Imobiliário, empresa de consultoria e treinamento no ramo de imóveis.

Zanotto explica que a maior mudança imposta por uma iBuyer é o uso da plataforma. Todo o processo se dá dentro de um ambiente digital, vendedores e empresa compradora conversam dentro de uma rede fechada. A principal diferença é larga escala em que essas novas empresas trabalham, apoiadas por capital de risco.

“Elas usam dados, chamados de big data, para saber quando e para quem fazer ofertas de compra. Possuem um investimento de marketing muito maior do que os demais concorrentes no mercado, para seduzir o vendedor do imóvel”, diz ele.

Fim do contrato de aluguel: o que fazer para não sair do imóvel com punições

Mudança no mercado

ibuyers
Especialistas não apostam nas iBuyers como uma mudança no setor (Foto: Shutterstock)

Ney Lins, profissional de Marketing especializado em Mídias Digitais e Comportamento do Consumidor, não acredita que as iBuyers tragam mudanças no mercado a ponto de prejudicar os corretores de imóveis, por exemplo. Para ele, é positiva qualquer inovação que ajude o setor imobiliário.

“Creio que é uma alternativa para um público bem específico que precisa de velocidade e não quer ter que se preocupar com muitos detalhes burocráticos do processo de venda de um imóvel”, avalia.

Para Nelson Parisi Júnior, presidente da Rede Imobiliária Secovi-SP, significa uma mudança na dinâmica de mercado de usados, já que é um fator que tem influência na velocidade da negociação e no valor dos imóveis.

“É uma realidade distante no Brasil. Há dúvida se esse modelo de operação é sustentável, visto que existe há apenas quatro anos. Em relação ao mercado brasileiro, temos de lembrar que o custo-Brasil é altíssimo. Não nos parece fácil ter margem para praticar esse mesmo modelo por aqui”.

Parisi cita os gastos envolvidos na compra e venda de imóvel (cartório, burocracia, financiamento, insegurança jurídica). “As empresas acabariam tendo de baixar demais os preços a serem pagos aos proprietários para poderem se viabilizar. Isso tornaria o serviço pouco atrativo tanto para os donos dos imóveis como para potenciais investidores”.

Guarda móveis e self storage: saiba o que são, como funcionam e as diferenças entre os dois

Conheça a Casa de Vidro:


+Checklist: o que observar na hora de visitar um imóvel

+Todas as dicas para fazer uma mudança organizada

+’Contrato de gaveta’: saiba os perigos dessa forma de acordo

+Confira a documentação para compra e aluguel de imóveis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.