15/12/2011

Ícone mundial da arquitetura moderna, Oscar Niemeyer completa 104 anos

Ícone mundial da arquitetura moderna, Oscar Niemeyer completa 104 anos

Fonte: Revista do ZAP

Obras do arquiteto, considerado por muitos um desenhista extraordinário, estão presentes em vários países como França e Estados Unidos

Um dos principais arquitetos brasileiros e ícone mundial da arquitetura moderna, Oscar Niemeyer, completa nesta quinta-feira, 15 de dezembro, 104 anos de idade. Foi por causa de Niemeyer que o Brasil ganhou destaque no cenário da arquitetura mundial. Suas obras (prédios, esculturas) estão presentes em países como França, Israel, Itália Estados Unidos.

Divulgação
















Catedral de Brasília


Oscar Niemeyer nasceu no Rio de Janeiro em 15 de dezembro de 1907. Em 1934, ele se formou em arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes na capital fluminense. No ano seguinte, Niemeyer começou a trabalhar no escritório de Lúcio Costa, onde conheceu um dos maiores influenciadores de sua obra, o o arquiteto franco-suíço Le Corbusier.

Divulgação
















Congresso Nacional em Brasília


Em 1939, o então presidente de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek (JK), convidou Oscar Nieymer para a construção de um complexo arquitetônico no bairro da Pampulha, atualmente uma das principais atrações turísticas da cidade.

Eleito presidente em 1955, JK chamou Niemeyer para chefiar o Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). O arquiteto sugeriu então a abertura de um concurso para a escolha do plano-piloto de Brasília, ganho por Lúcio Costa.

Divulgação
















Palácio do Planalto em Brasília


Em questão de meses, Oscar Niemeyer projetou o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional, a Catedral, os prédios dos Ministérios, além de prédios residenciais e comerciais da nova capital, inaugurada em 21 de abril de 1960. Também no começo da década de 1950, ele projetou o parque do Ibirapuera e o Edifício Copan, que se tornaram cartões-postais da cidade de São Paulo.

O arquiteto continuou trabalhando no país até 1964, quando por causa de filiação ao Partido Comunista Brasileiro,  teve que se exilar na França. No final da década de 1980, Oscar Niemeyer voltou ao Brasil, dando aulas na Universidade do Rio de Janeiro e trabalhando em seu escritório de arquitetura.

Em 1980 mesmo, projetou o Memorial Juscelino Kubitschek em Brasília. Quatro anos depois, ele projetou o Sambódromo, sob o governo de Leonel Brizola, no Rio de Janeiro. Em 1987, ele criou Memorial da América Latina, em São Paulo, e, em 1991, projetou o Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

Homenagens
O 104º aniversário de Neimeyer foi a data escolhida para a instalação do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ), segundo a Agência Brasil.

Com a nova entidade, estruturada não apenas no Rio, mas em todas as unidades da Federação, os 120 mil arquitetos e urbanistas do país deixam de ser vinculados aos conselhos regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Creas) e passam a ter o seu próprio órgão fiscalizador do exercício profissional.

No Recife também haverá homenagem a Oscar Niemeyer. O Parque Dona Lindu, projetado pelo arquiteto na capital pernambucana, receberá uma exposição retrospectiva da obra de Nieyemer com textos, fotografias, maquetes digitais, vídeos, desenhos e esculturas de projetos do arquiteto. A mostra será inaugurada no dia 21 de dezembro.

Leia mais:
>> Arquiteto americano cria a “Casa Duna”
>> Conheça a casa em formato de concha
>> Cidade de Porto Alegre é museu arquitetônico a céu aberto

Tags: destaques

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.