17/07/2020

Iluminação para cozinha: como montar o projeto ideal

O projeto ideal de iluminação para cozinha deve privilegiar a total visualização do ambiente, pois é nessa parte da casa que realizamos atividades que precisam de bastante cuidado e atenção. “Se você vai cozinhar a noite, principalmente na completa ausência da luz natural, é necessário não só saber cozinhar, como ver o estado da comida, verificar se não está estragada, enxergar bem para não se cortar, evitar acidentes. Até para lavar louça você precisa conferir se está bem lavada”, explica Lu Guerra, arquiteta especializada em iluminação com mais de 10 anos de experiência na área.

Uma boa iluminação para a cozinha não é só uma questão de conforto, mas sim de necessidade. Mesmo que beleza não seja a prioridade na hora de iluminar esse ambiente, não significa que ela não possa ser trabalhada em um projeto. A seguir confira o que é preciso para ter uma iluminação funcional na cozinha e que use elementos que a deixarão do jeito que você gostaria.

Planejando a iluminação para cozinha

Independentemente do conceito escolhido para iluminar a cozinha, a solução precisa ser de luz difusa. Não importa se ela vem do teto, parede ou marcenaria (móveis), o projeto de iluminação não pode deixar pontos escuros no ambiente. “Em qualquer cozinha, em qualquer situação a iluminação tem que ser muito uniforme. Não pode ter sombra, então uma luz difusa, com uma boa qualidade de reprodução de cor, é o ponto principal para este ambiente”, afirma Lu.

Sem esquecer que a cozinha tem que ser completamente iluminada, principalmente nas áreas de trabalho (onde são preparados os alimentos), e na pia, o planejamento da iluminação pode começar a fugir do tradicional. O próximo passo é o profissional responsável pela iluminação conhecer o perfil das pessoas da casa que vão usar mais o ambiente e saber como elas imaginam a cozinha.

Pontos de luz como spots, pendentes e fitas de led podem dar um charme ao ambiente. Lu dá algumas recomendações para essas soluções. “Eu acho que você pode ir para qualquer uma delas, só tem que entender se é a adequada com relação a luz que está emitindo. Por exemplo, pode ser um pendente? Pode, mas ele tem que emitir uma luz suficiente para conseguir enxergar tudo.”

O que são spots, fitas de led e pendentes?

Os spots, fitas de led e pendentes são três diferentes opções de pontos de luz. Juntos ou separados, eles podem estar presentes em um projeto de iluminação para cozinha. Abaixo você conhecerá mais sobre eles:

Spots

Iluminação para cozinha: como montar o projeto ideal

O spot é uma iluminação direcionada capaz de dar destaque para móveis, objetos ou até mesmo causar uma sensação no ambiente.

Fitas de led

Iluminação para cozinha: como montar o projeto ideal

A fita de led é uma solução de iluminação flexível muito usada em móveis, degraus e espelhos.

Pendentes

Iluminação para cozinha: como montar o projeto ideal

Os pendentes geralmente tem um fio longo, com a luz na ponta que fica próxima ao espaço ou objeto que precisa ser iluminado.

“Spot é a opção de ponto de luz que tenho mais restrição em usar, mas utilizo muito em ilhas, por exemplo, no meio da cozinha. Quando a cozinha é aberta, integrada com outros ambientes, e a pessoa quer que essa iluminação não seja tão visível por outros ambientes, o spot é uma ótima solução, mas tem que ter um controle para não dar sombra”, recomenda Lu.

Iluminação para cozinha quente, fria e natural

“Tem uma questão que é muito falada sobre iluminação para cozinha que é a de que a luz precisa ser branca. Isso eu considero um mito completamente. Acho que o principal para uma cozinha é ter uma luz uniforme com uma boa reprodução de cor, independente dela ser branca ou amarela”, fala Lu.

A arquiteta explica que por volta de 10 anos atrás, quando as lâmpadas fluorescentes surgiram, elas só existiam na cor branca e essa era a iluminação mais difusa. Hoje em dia, porém, as pessoas conseguem usar lâmpadas de LED e até mesmo fluorescentes com outras cores.

Já quanto a luz natural, o projeto de iluminação é sempre pensado para quando existir ausência total dela. “Em algum momento você não vai ter mais a luz natural, então não posso contar com ela a todo momento. Outro dia mesmo, em São Paulo, às 15h virou noite”, exemplifica Lu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.