03/04/2013

Imóveis da Zona Oeste têm a maior valorização em São Paulo

Fonte: ZAP Imóveis

Segundo levantamento da Geoimovel, quatro distritos desta região estão entre os dez locais que mais tiveram valorização nos preços do metro quadrado

Apesar de lugares como o Morumbi, Higienópolis, Alto de Santana e Pacaembu serem considerados os espaços mais nobres da cidade de São Paulo, são os bairros da Zona Oeste que têm registrado os maiores aumentos nos preços dos imóveis nos últimos anos.

Segundo levantamento da consultoria imobiliária Geoimovel, obtido com exclusividade pelo ZAP Imóveis, quatro distritos desta região estão entre os dez locais que mais tiveram valorização do metro quadrado entre 2008 e 2012.

Líder entre todos os bairros que receberam lançamentos neste período, o distrito de Jardim Paulista viu os valores dos imóveis subirem 231,5%. O preço médio do metro quadrado passou de R$ 3.763,48 em 2008 para R$ 12.478,29 no ano passado.

Líder entre todos os bairros que receberam lançamentos até 2012, o distrito de Jardim Paulista viu os valores dos imóveis subirem 231,5% (Fotos: Banco de Imagens / Think Stock)

Há cinco anos, foram construídas nesta região 44 unidades, com área privativa média de 106,48 m², enquanto em 2012, a quantidade de apartamentos construídos aumentou para 91, com 46,08 m² em geral. Neste ano, no entanto, a pesquisa mostra que ainda não houve lançamentos no local.

Também integrantes da Zona Oeste, os distritos da Barra Funda, com valorização de 168%, Itaim Bibi, com 149,1%, e Perdizes, com 144,4%, completam a lista dos lugares que os imóveis ficaram mais caros na Capital.

Porém, todos estes são superados pelos preços cobrados em Santo Amaro, na Zona Sul, e na Consolação, na parte central de São Paulo. No primeiro, o valor médio do metro quadrado passou de R$ 3.717,96 em 2008 para R$ 11.314,55 em 2012, o que significa um aumento de 204,3%.

Na outra região, os valores cresceram 197,4% no mesmo intervalo de comparação, com os preços chegando ao patamar dos R$ 11.386,17.

Já o distrito da Cidade Líder foi o que mais se destacou na Zona Leste, com alta de 138,6% nos preços, mesmo índice anotado em Pirituba, região com a maior valorização entre os seus vizinhos na Zona Norte.

Também na Zona Oeste, os distritos da Barra Funda, com valorização de 168%, Itaim Bibi, com 149,1%, e Perdizes, com 144,4%, completam a lista dos lugares que os imóveis ficaram mais caros

Ainda segundo o levantamento, o distrito de Pinheiros, apesar de registrar uma alta menor que os outros lugares (95,2%), conta com o metro quadrado mais caro da Capital: R$ 12.613,49, em média.

Bairros como Brás e Moema, famosos por contarem com altos preços nos imóveis, ficaram de fora da pesquisa porque não receberam lançamentos nos anos analisados.

Confira os distritos que tiveram a maior valorização nos preços dos imóveis entre 2008 e 2012:

01) Jardim Paulista – 231,5%
02) Santo Amaro – 204,3%
03) Consolação – 197,4%
04) Barra Funda – 168%
05) Itaim Bibi – 149,1%
06) Perdizes – 144,4%
07) Cidade Líder – 138,6%
08) Pirituba – 138,6%
09) Santa Cecília – 137,9%
10) Vila Mariana – 136,1%
11) Tatuapé – 133,9%
12) Jaraguá – 132,8%

13 Comentários

  1. Esta é a famosa bolha imobiliária. Há uma demanda reprimida, porém os valores estão 3 a 4 vezes superiores aos seus valores reais. Caso não ocorram ajustes e correções dos valores para menos nos próximos 4 anos, ocorrerá o mesmo que aconteceu nos EUA em 2008. Ou seja, valores virtuais astronômicos que serão financiados e pagos com recursos (R$) reais minguados. Neste ritmo de valorização, a conta final não fecha e vai sobrar para quem tem financiamento imobiliário. Acorda Brasil!!

  2. Morei EM SANTO AMARO São Paulo do Ano de 1979 até 1984,jovem sim,mas ja apreciava o progresso acelerado das Regiões circunvizinhas e dizia para

  3. gostaria de saber quanto esta valendo o “métro quadrado” na zona norte especificamente na rua “Paranabi” um terreno em frente ao metro Tucuruvi e ao novo shopping metro Tucuruvi, por favor a quem possa me ajudar!

  4. Ainda bem que comprei o meu em 2010 ! Realmente é um bairro com localização EXELENTE ! e o meu jardim é o parque Ibirapuera !faço tudo a pé e ou de bike !

  5. Lançamentos de novos prédios, para mim não é sinônimo de crescimento e de valorização. Poluem o visual, deixam as ruas congestionadas, há uma super população no bairro, além de deixar as galerias de esgoto e água na região comprometidas.

  6. O Progresso tem se destacado nas ultimas Décadas,porem é Justo a valorização.Aqui em PALMAS TOCANTINS,esta mais avançado o crescimento Monetário e o crescimento de Edificações,hoje na atualidade com o Prefeito CARLOS HENRIQUE FRANCO AMASTHA(COLÔMBIANO)e a PRIMEIRA DAMA Srª GLÔ AMASTHA(CORITIBANA)e EU PARANAENSE COM ORGULHO DE SER PIONEIRO NESTE SÓLO DA RIQUESA DE DEUS E DE JESUS CRISTO,”EU VOTEI E VOTO…SEMPRE”,Porque tenho FÉ e VISÃO FUTURA,

  7. gostaria de comprar um ap. em tatuape por um preço asesivel, caso tenha algum favor entrar em contato pelo meu telefone, moro no rio mas estou querendo me mudar para s.paulo pois tenho uma mini fabrica ai ,mas so vou ai em temporadas me liguem para marcar uma visita 93410555 (021)

  8. Para quem já comprou essa é uma ótima notícia. Imóvel valorizando sozinho, sem qualquer esforço. Resta saber se consegue vender nesses preços.Agora, para quem pensa em comprar, é uma péssima notícia. Alguém acredita que esse ritmo de valorização vai continuar indefinidamente? Que quando comprar por 12.000 o m2 hoje vai conseguir vender por 36.000 o m2 em 4 anos? Ou mesmo acredita que a valorização será maior que a inflação?

  9. 1) A primeira foto faz referencia aos Jardins, mas é uma foto do centro, bem longe dos jardins2) a Segunda foto fala sobre barra funda, mas mostra foto da Pça da Bandeira.3) os preços… ou tem gente que ganha muito bem e nao se importa de se subemeter ao preço absurdo, ou tem muita gente que vai se prejudicar lá na frente: assumiu um financiamento – $ emprestado – que depois nao consegue honrar. Imagino o tanto de leiloes que vai haver daqui alguns anos.

  10. Longe de acontecer no Brasil o que aconteceu nos E.U.A (bolha), porque lá, qualquer um podia comprar casa/aptos de valores astronômicos, sem comprovação de renda. No Brasil, o que garante que não haverá bolha, é que as construtoras exigem documentação de comprovação de renda/investimentos…também há muita procura e pouca oferta, há muitas pessoas que não possuem casa própria, por isso, durante um bom tempo, teremos lançamentos para atender a demanda exigida.

  11. Esta tão esperada bolha imobiliária provavelmente não acontecerá aqui,poís as construtoras já fizeram seus estoques de áreas e desaceleraram as construções,este ano haverá um número bem menor de áreas construídas,o estoque pra venda de aptos ainda é grande,o preço do m² pra ser construído está muito alto ,por esse motivo,as construtoras desaceleraram as compras de terreno,existe um cálculo chamado VGV,que não viabiliza a compra de terrenos nos preços atuais,o resultado seria um preço altíssimo pra o consumidor final,resumindo é hora de comprar o que está estocado,final do estoque haverá um fenômeno natural onde teremos pouca oferta e muita demanda.

  12. Com preço tão em alta, concordo com o o colega que disse que futuramente havá muitos leilões. Os especialistas em arrematação aguardam ansiosos a chegada deste momento. Vai uma dica: cuidado com financiamento, lembre-se banco não vende imóvel, vende dinheiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.