27/02/2012

Imóveis mais compactos: mudanças na metragem seguem tendências de arquitetura e construção

Fonte: Jornal Extra

Construtoras investem em imóveis compactos para maior aproveitamento de espaços disponíveis. Os imóveis ficam com tamanho reduzido, porém as áreas de lazer são mais valorizadas.

Como diz a sabedoria popular, já não se fazem mais apartamentos como antigamente. Com a evolução do mercado imobiliário e das tendências em arquitetura e construção, esses imóveis sofreram diversas alterações ao longo dos anos. Algumas vieram para beneficiar os compradores, outras, para aumentar o lucro das empresas do setor.

A principal mudança foi o encolhimento dos imóveis. A fim de reduzir as despesas com obras e tentar aproveitar ao máximo os espaços disponíveis, as construtoras passaram a investir em unidades com cômodos menores e pés-direitos mais baixos, permitindo a construção de mais apartamentos por edifício.
“Por outro lado, como vivemos um período de valorização no mercado imobiliário, essa redução é uma forma de manter os apartamentos com preços acessíveis para os compradores”,  avalia o arquiteto Augusto César Alves, membro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ).

Outra novidade é a supervalorização das áreas comuns dos condomínios. Enquanto a metragem interna dos apartamentos diminuiu, as áreas de lazer cresceram. Os condomínios novos costumam oferecer opções de diversão para quem não quer sair de casa, como piscina, sauna, brinquedoteca, espaço gourmet e academia. São os chamados condomínios-clubes.

Alguns itens de apartamentos antigos também caíram em desuso: bidês, banheiras ou grandes boxes nos banheiros e os tradicionais quartos de empregada – substituídos por despensas, depósitos ou escritórios.

Idosos preferem as unidades menores – Não há como apontar que tipo de apartamento lidera a preferência entre os compradores, se um novo ou um antigo. Segundo o diretor de condomínios da Primar Administradora de Bens, Carlos Samuel Freitas, com o aquecimento do mercado imobiliário, há demanda para todo tipo de oferta.

O perfil do comprador, no entanto, pode dar algumas indicações. Freitas destaca que jovens costumam preferir imóveis novos, especialmente os lançamentos, por oferecerem melhores condições de financiamento. O mesmo benefício não é oferecido a idosos, por terem uma expectativa de vida menor.
“Além disso, por viverem sozinhos ou apenas com um acompanhante, muitos idosos preferem apartamentos de um quarto. E a maioria dessas unidades é antiga”, diz o diretor.

Confira a documentação necessária para a compra:

Compra de antigos – Deve-se exigir as certidões negativas em nome do vendedor nas áreas cível, de Fazenda Pública, Interdições e Tutelas e da Justiça Federal, e as de débito do IPTU na prefeitura e na Justiça. A certidão de ônus fiscais do imóvel também é indispensável, porque prova que a unidade pertence ao vendedor e indica se existe penhora ou hipoteca. Se o apartamento estiver num condomínio, também será obrigatória a certidão negativa sobre as dívidas condominiais.

Compra de novos – Novos ou antigos, os documentos obrigatórios para imóveis prontos são os mesmos. Mas, se a compra for na planta ou se o apartamento ainda estiver em nome da construtora, deve-se exigir o registro do memorial de incorporação, que define as responsabilidades do incorporador ou do construtor. Se o empreendimento não tiver o memorial de incorporação registrado, pode ser um sinal de que a empresa tenha algum problema e não é idônea.

LEIA MAIS:

Oferta de imóvel compacto cresce 54% em 2011

Cozinhas estreitas são destaque em projetos atuais de arquitetura

19 Comentários

  1. A reportagem diz que é tendencia da arquitetura e construcao, o fato de os imoveis serem mais compactos, isso é uma balela, as construtoras fazem isso para economizar, os precos mais que duplicaram nos ultimos tempos, e os imoveis encolheram, isso so acontece no Brasil, porque brasileiro é muito bonzinho, podem perguntar a qualquer pessoa se elas preferem um apto grande com area de lazer pequena ou um apto.pequeno com area de lazer grande.

  2. Concordo plenamente com Valise Teodoro filho! Prefiro mil vezes um apto maior do que um clube barulhento no prédio. Além disso sempre tem um grupinho de imbecís que acham serem donos das áreas comuns e não deixam os outros moradores usufruírem dos espaços também.

  3. Acho que o fato de ter área de lazer maior não implica com o tamanho do apartamento em si. Pois na realidade o seu dia a dia e dentro do apartamento e não na área de lazer.

  4. Concordo com o Vasile, as construtoras dobraram seus lucros nos últimos 3 anos (DEVIDO ÀS FACILIDADES PAR SE FINANCIAR UM IMÓVEL, ISTO INFLACIONOU O MERCADO), eu sou da área da construção e sei quanto custa o m2 construído já com valor do terreno diluido entre as unidades construidas e toda a infra estrutura do condomínio posso afirmar que o custo máximo é de R$4.000,00, isto, supondo que foram gastos R$5.000.000,00 na compra do terreno e que o predio possui 60 unidades de 45m2, portanto a construtora gastaria R$180.000,00 por cada unidade já com toda a infra-estrutura do condominio inclusa. Devemos incluir a este valor os impostos totais que não passam de 15%. Os espaços internos são ridículos, a arquitetura não existe já que os projetos são feitos por engenheiros ou por arquitetos “capachos” de engenheiros (se não faz do jeito deles é mandado embora). E ainda por cima eles tem a cara de pau de usar a mesma planta infinitas vezes em vários terrenos diferente que não tem nada a ver sem levar em conta questões importantes como insolação e ventilação e a arquitetura da vizinhança.

  5. Nao vejo o quatro atual com uma tendencia. As construturas, formam uma especie de cartel e ditam as regras que melhor lhes convenha.O que esta claro, nao e tendencia nenhuma e sim uma absoluta falta de opcao no mercado. Nenhuma construtora se atreve a construir imoveis para adultos ( o que se ve, sao verdadeiras casas de bonecas ( e depois, planta=se a ideia de tendencia e fim.

  6. Concordo plenamente com Vasile. Já comprei apartamento na planta (62m2), dois, e pedi para que unissem para poder ficar com pelo menos 120m2. Eramos em quatro pessoas. Detesto aperto. E mais ainda dividir área de lazer com vizinhos quase sempre chatos. Hoje em dia, com essa caça a bruxa aos fumantes, os mesmos não podem fumar nem no apartamento e nem no seu quintal dividido com hipócritas moralistas. Nunca mais moro em apartamentos. Fora que não posso tocar piano, não posso nem rir mais alto, enfim… nem cantar Parabéns à Você depois das 22h00. E segurança? Quantos arrastões em prédios! Construções baratas para a construtora e caríssimas para o consumidor. Só moro em casas.Brasileiro não é muito bonzinho e sim muito trouxinha. Pão e circo para a maioria que cai nessa balela. Muito futebol e carnaval para todos!

  7. esta historia de lazer não aguento mais, cade os apartamentos sem area de lazer e condominio barato afinal condominio é para vida toda

  8. Todas as tendências em todas as áres,sempre foram o “o que vai vender e dar mais lucro”. Nós não podemos nos iludir com essas coisas que sabe-se lá quem escreveu, talvez alguém com muito interesse em valorizar ainda mais o que passou do exagero “o preço do m2 nas grandes metrópolis”, azar o nosso

  9. O argumento de construir as unidades menores é tremenda balela desses incorporadores e dessas construtoras que só querem aumentar os seus lucros alegando tendência de mercado para diminuir o tamanho das unidades cada vez mais.Este tipo de empresário não pensa em ninguem e em nada, só no seu lucro, inclusive empregando materiais de segunda linha na obra, como acontece em varios prédios na cidade de Cabo Frio/RJ., onde a maioria das construções/incorporações são feitas por empresas de Minas Gerais.

  10. Não vivemos no japão, nem em outra ilha qualquer do mundo. É a ganancia exacerbada, o Poderio financeiro/imobiliário nas mãos de poucos nesse país, que faz da classe média uns idiotas, uns mal informado, uns explorados, uns escravos dessa classe dominante que tem bancos e compadres políticos nas mãos, ai fazem esses ridículos aptos, que não tem intimidade de soltar um pum e tomar banho sem incomodar o vizinho. Ai vai a classe média tola e insegura e tem a capacidade de comprar esses ridículos aptos a preço de ouro. Quem toca o mundo é a classe média e essa não tem cultura pra cuspir na estrutura e dizer não a esses exploradores, gananciosos. Nos moldes de hoje, eu digo sempre ” Deus fez as casas e depois veio o satanás e fez essas coisas que chamamos de apto”

  11. Não sei o que passou na cabeça de quem pensou que às pessoas gostam de ficarem em espaços miúdos. Há anos atras a geração de meus avos viviam em sítios, fazendas etc. A geração dos meus pais viveram em casas de vilas. A nossa geração em apartamentos menores e agora a geração presente tem que se confinar em apartamentosinhos, já basta o estress do dia a dia. Parece uma prisão. Uma pessoa entra e a outra pessoa sai. Isso vai gerar uma insatisfação muito grande, aumentar os conflitos, brigas e violência, mesmo por que esse tipo de convivência não é saudável, pois acaba o espaço de lazer sendo pequeno pra tanta gente. Estão querendo que o povo brasileiro, que tem tanto espaço, viva no espaço de Japonês. As construtoras vendendo a preços absurdos e tendo os lucros também absurdos..

  12. Ola boa tarde , na verdade nao e um comentario e sim uma informacao por gentileza meus pais teem uma casa alias 2 casas no mesmo terreno na Zona Leste e hoje vejo muitas construtoras demolindo e fazendo 2 casinhas pequenas ou sobradinhos . Gostaria se possivel de uma ajuda para tal negociacao indicacao de Construtoras possiveis ou troca . Meus pais sao idosos todos filhos casaram e casa ficou enorme para os dois. Poderiam nos ajudar uma dica uma orientacao eu adoraria. Ah…. comprei meu apto pelo ZAP adorei grata abracos Neli

  13. Tendência, é?? Vão ver se os engenheiros da construtora TENDA ou se o dono da GAFISA moram em apartamentos de 60m²…Moram em casas de 4000m² ou em coberturas duplex no meio de áreas nobres. Tudo isso com o dinheiro de milhares de otários que seguem a “tendência”.

  14. estou procurando um imovel para comprar , em prefiro casa,hoje em dia os apartamentos sao minusculo , nao temos liberdade,e muito mais , tem o condominio ( um aluguel a parte ) a areade lazer e usada por muitos moradores , salao de festa solicitarautorizacao , etc .

  15. Vendi o meu apartamento na região di Jardim Marajoara e estou comprando uma casa em condominio, na região de Cotia. Acabei alugando um imovel com opção de compra, mas não me adaptei. A sala de jantar é um ovo. A mesa esta encostada com direito a usar 2 das 6 cadeiras e o rack ficou encostado em pé no canto da mesa. eu não posso receber ninguém em casa!!!! A cozinha…etc. A cama não deixa abrir as portas do armario, e por aí vai.Concordo com a opinião dos leitores. Não é possível morar em espaços tão minusculos. Fui ver uma casa de uma conceituada construtora, que a suite master tina um closet que não caberia nem a metade da minha roupa , que não é muita + roupas do marido + roupas de cama e banho + cobertores, edredons etc. Me contem, onde é que as pessoas guardam as suas coisas hoje em dia?

  16. Como arquiteto posso afirmar com segurança que NÃO existe esse negócio de tendência em arquitetura. Tendências pertencem ao ramo da moda, da qual a arquitetura devia passar longe. Desde sempre a arquitetura existe para criar espaços com qualidade e atender as necessidades dos usuários, além de contribuir para a melhoria da vida nas cidades. As nossas necessidades são priorizadas? Não. Basta ler os comentários abaixo. Nossas cidades estão melhores, mais vivas, seguras e bonitas? Nenhum dos quatro. E não me venham com a balela de que é tudo culpa do poder público… Todos sabemos que há corrupção em toda a parte.Os comentários abaixo estão corretos em sua indignação. Que os arquitetos que atendem ao mercado imobiliário, copiando as mesmas péssimas plantas até o infinito, coloquem a mão na consciência de que só estão contribuindo para promover o caos nesse mundo de meu Deus. Por favor, voltem para a faculdade, e só saiam de lá quando aprenderem.

  17. Tendência? Tendência do capitalismo é ganhar sempre mais em menos espaços. E é assim que esta acontecendo, moradias que não oferecem o mínimo de conforto, garagem então é item de luxo. Na propaganda apto com 62m2, destes a garagem, o corredor até as paredes entram na conta, de área útil privativa sobram pouco mais de 45 m2. Quem quer viver assim? Infelizmente a facilidade de financiamento e os “acordos” levam milhares de pessoas a se submeter a isto.

  18. Como pode ser tendencia, isso realmente é balela, essas áreas de lazer não são usadas e geram alto custo para condonínio.Esses profissionais que dizem que fizeram uma pesquisa estão vendo pelos proprios comentários desse site que os compradores não preferemapartasmentos pequenos, são obrigados pelo alto custo construtoras.Enganan o comprador dizendo 3 quartos mas a área daria para fazer um só. Isso precisa ser modificado não queremos morar em cubículos, precisamos de qualidade de vida.

  19. Creio que estas áreas de lazer podem até ter algum ponto positivo, entretanto terminam por trazerem tantos outros negativos como:1 – Encarecem o custo do condomínio tornando o mesmo semelhante a num dos piores pesadelos de quem sonhou ser proprietário, qual seja, os elevados aluguéis.2 – Aumentam possibilide de violação do direito de vizinhança. Se num condominio as vezes uma simples vaga de garagem ja é motivo de desentendimento entre vizinhos, tanto maior as possibilidades com o aumento de áreas comum de lazer. Varias ocorrências envolvendo, por exemplo, rivalidades no uso de piscina ja foram mostrados até em reportagens de tv.3 – Quem não usa por qualquer que seja a razão ou impedimento, banca boa vida pros outros. Ja houvi pessoas dizerem que não frequentam mais a piscina do condominio porque tinha sempre um grupinho de marombados que ficavam se ensinuando pras esposas quando as mesmas se encontravam sozinhas.4 – Quem realmente curte piscina, academia e coisa que o valha se associa a algum clube, pois ja que terão que dividir esse uso com estranhos, preferem que a vida pessoal se mantenha dentro de certo grau de privacidade, coisa que vai se perdendo quando se utiliza de área dentro do próprio condominio para este fim.5 – Atraso para entrega do empreendimento. Por tudo que tenho visto e lido nos sites e conversas relativos a aquisição de imóveis, se tem uma coisa que deixa qualquer comprador irritado esta coisa chama-se, ATRASO na previsão de entrega. O tempo, o material, o custo e mão de obra, tudo isso poderia estar concentrado na construção do edifício e sua documentação. Simples assim.Resumindo, é claro que quem investe e constrói, objetiva lucro. Mas por preços lucrativos, porém rezoáveis construam edifícios residencias no centro que embora NÂO TENHAM piscina, academia, sauna, brinquedoteca, espaço gourmet, redário, espaço mulher e etc e TENHAM GARAGEM, VARANDA ainda que não muito grande só pra tornar o apartamento menos enclausurador, ÁREA DE SERVIÇO que permita que vc possa ir ao banheiro sem ter que tirar a maquina de lavar de cima do vaso sanitário ou mesmo tomar banho sem ter que tirar a máquina de dentro do box. FAÇAM isso e verão que antes da escavadeira fazer o primeiro buraco no chão, a maioria, senão todas as unidades ja estarão vendidas. Isso sim além de lucro para o investidor seria verdadeiramente bom para todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.