20/06/2011

Imóveis no Rio atraem investidores de outros estados

Fonte: O Globo

Rio – Grande eventos esportivos à vista ou maior segurança pública? Qual seria o principal motivo para um número cada vez maior de pessoas de outros estados escolherem investir em imóveis no Rio, como mostram dados e pesquisas de imobiliárias? Se por um lado a Copa do Mundo e as Olimpíadas favorecem investimentos em infraestrutura, a implementação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) nas favelas cariocas trouxeram uma aura de tranquilidade que há muito tempo o carioca não sentia.

Rio – Grande eventos esportivos à vista ou maior segurança pública? Qual seria o principal motivo para um número cada vez maior de pessoas de outros estados escolherem investir em imóveis no Rio, como mostram dados e pesquisas de imobiliárias? Se por um lado a Copa do Mundo e as Olimpíadas favorecem investimentos em infraestrutura, a implementação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) nas favelas cariocas trouxeram uma aura de tranquilidade que há muito tempo o carioca não sentia.

Rio de Janeiro
Rio de Janeiro

Na Zona Sul, segundo dados da construtora e imobiliária Mozak, especialista no segmento de imóveis de luxo, paulistas e mineiros representam 30% dos compradores. Metade das 100 pessoas na lista de espera mora em estados vizinhos. A preferência tem sido por apartamentos de quatro quartos ou até maiores. Vale lembrar que, segundo informações da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a média deste tipo de investimento costuma ser de, no mínimo, R$ 2 milhões.

Samuel Schvaitzer, diretor-geral da imobiliária Fernandez Mera, diz que a procura por imóveis no Rio se manifesta em todos os setores, não apenas no segmento de luxo. Não apenas, também, no segmento residencial. Apartamentos comerciais também têm sido bastante negociados.

“Normalmente, investidores de outros estados compram mais de uma unidade. Existe muito o aspecto do investimento, mais do que simplesmente para vir morar ou trabalhar”, conta.

Para o sócio-diretor Isaac Elehep, a série de investimentos para os mega eventos esportivos, como a linha 4 do metrô e as vias expressas, traz esperanças de um futuro melhor para a cidade. O reflexo é que moradores de outras regiões do país sentem esse otimismo.

“É uma aposta de que o Rio vai se valorizar. Os preços estão altos e, pela falta de opção, tendem a continuar subindo. Quando os apartamentos não estiverem alugados, as pessoas podem vir passar um fim de semana com os filhos e amigos. A cidade tem uma forte programação cultural”, comenta.

Já Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi, garante que o sentimento de maior segurança tem atraído, novamente, moradores de outros estados. O Rio só teria perdido o seu encanto nos últimos anos devido às frequentes notícias de violência e criminalidade que assolavam diariamente a cidade.

“No passado era natural as pessoas saírem de seus estados para morar na cidade, considerada a porta de entrada do país. Houve uma perda nos últimos anos devido à falta de segurança. Só que isso está se revertendo. A autoestima voltou. Quem vem de fora não pensa no Rio apenas como cidade prazerosa, mas também como uma oportunidade de investimento”, acredita.

Visão compartilhada por Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel. Para ele, com o investimento em UPPs, o Rio não está só mais seguro, como também voltou a ser o centro das atenções no país.

– Há alguns anos víamos muitas pessoas vendendo apartamentos na cidade para se mudar, por medo. Agora observamos muitos chegando e comprando. Isso é maravilhoso – comemora.

Vice-presidente da construtora Concal, Rodrigo Caldas diz que grande parte da procura é na Zona Sul, chamada por ele de “Mônaco do Rio”.

“Esta região ainda é a preferida. Principalmente nos bairros de Ipanema e Leblon. Trata-se de uma questão de conforto. Nesses lugares a pessoa pode sair de casa e ir à padaria a pé, o que já não é tão possível na Barra, onde muitos investimentos de infraestrutura ainda precisam acontecer”, declara o diretor, que garante existir uma fila de interessados na central de imóveis da construtora.

Diretor da imobiliária Lopes, Luigi Gaino conta que tem vendido imóveis até para pessoas de outros países.

“Há muitos brasileiros em Nova York ou Los Angeles, por exemplo, animados com as perspectivas do Rio. Pensam em voltar para morar ou investir em um imóvel de longe. Dentro do país, em outros estados, a procura também é grande devido ao crescimento econômico do Brasil. As pessoas estão com mais dinheiro e se dão ao luxo de buscar o lazer nesta cidade maravilhosa”, comenta.

LEIA MAIS:

Venda de imóveis cresce 48% em abril na cidade de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.