05/11/2013

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas

Segundo o Índice FipeZAP, a alta foi puxada pelo bairro de Santa Teresa, na região central da cidade, que valorizou 8,92% em outubro

Fonte: ZAP Imóveis

Duas das cidades com o metro quadrado mais caro do país, São Paulo e Rio de Janeiro têm atraído cada vez mais investidores do mercado imobiliário nacional e internacional. E, pelo menos no último mês de outubro, aplicar em um imóvel na capital fluminense trouxe mais retorno financeiro do que na cidade paulista.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Segundo dados exclusivos do Índice FipeZap do mês de outubro, divulgado nesta terça-feira, os imóveis localizados na capital do Rio de Janeiro tiveram uma maior elevação nos preços em relação aos situados em São Paulo no mesmo período.

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas
Em outubro, os bairros cariocas registram alta de 5,74%, em média, enquanto os paulistas encareceram 4,84% (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Levando em consideração apenas os cinco bairros que mais valorizaram nas duas capitais no décimo mês do ano, os bairros cariocas registram alta de 5,74%, em média, enquanto os similares paulistas encareceram 4,84%.

A alta no Rio foi puxada pelo bairro de Santa Teresa, na região central da cidade, que valorizou 8,92% em outubro em relação a setembro, com o metro quadrado chegando a R$ 6.638.

Já a Urca, localizada na parte sul do município, atingiu 6,65% de reajuste no mesmo intervalo de comparação. Com isso, o valor da metragem alcançou os R$ 13.477.

Três bairros da zona norte carioca completam a lista dos bairros mais valorizados. Del Castilho, São Cristóvão e Santo Cristo registraram altas de 4,94%, 4,12% e 4,11%, respectivamente.

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas

“Notamos que a dinâmica de preços está ligada à realidade de cada região. Dentro de cada cidade há grandes disparidades e alguns bairros surgindo como boas opções de investimento”, afirma Eduardo Zylberstajn, coordenador do FipeZap.

Já em São Paulo, a zona leste foi o destaque entre as regiões que mais se valorizaram. O bairro Parque do Carmo, com reajuste de 6,56%, foi o maior na capital, com R$ 4.225 por metro quadrado.

São Miguel Paulista e Vila Prudente também figuram entre os cinco locais que mais se valorizaram, com altas de 3,33% e 3,15%. No entanto, o Jardim Paulistano, da zona oeste, contou com o maior valor por metragem: R$ 12.192 (alta de 6,18%).

“Isso é reflexo da vida da cidade. Com poucas ofertas nas regiões mais centrais, há uma expansão para outros locais mais atrativos e com maior potencial de crescimento”, completa.

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas

A capital paulista, porém, leva vantagem quando a comparação leva em conta a valorização no ano. Os dois locais com o metro quadrado mais caro de São Paulo também estão entre os dez bairros do país que tiveram as maiores valorizações do ano, enquanto o Rio não conta com nenhum.

Jardim Paulistano e Vila Nova Conceição anotaram altas de 17,51% e 12,98%, respectivamente.

Pelo País – O Índice FipeZAP apontou que houve aumento de 1,3% nos preços anunciados do metro quadrado em outubro em relação ao mês anterior. É a décima alta seguida anotada em 2013.

Com isso, a variação acumulada no ano ficou em 11,3%, ou 6,6% acima da inflação do período medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

“Chama a atenção o fato de os preços ainda contarem com bastante fôlego no final do ano, o que mostra que a demanda por moradia continua em alta no país”, aponta Zylberstajn.

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas

Das 16 cidades cujos preços são monitorados, Belo Horizonte (3,7%) e Curitiba (3,5%) tiveram as maiores altas no mês. Florianópolis (1,9%) e Porto Alegre (1,5%) também registram bons aumentos.

Já São Paulo repetiu o crescimento da última pesquisa e registrou novamente aumento de 1,2%, enquanto no Rio de Janeiro a variação foi de 0,9% em outubro.

O preço médio do m² anunciado ficou entre R$ 9.700 (Rio de Janeiro) e R$ 3.764 (Vila Velha). Em São Paulo foi de R$ 7.631 e a média nacional foi de R$ 7.143.

Bairros do Rio e SP – Ainda segundo o Índice FipeZAP, nem a segunda queda seguida nos preços tirou do bairro do Leblon, no Rio, o rótulo de lugar mais caro do país, com R$ 21.886 por metro quadrado, em média.

Imóveis no Rio valorizam mais do que em São Paulo; veja os bairros com as maiores altas

Em segundo lugar, continuou o distrito de Ipanema, também em território carioca, com R$ 19.295. A região mais barata ficou por conta da Pavuna, com R$ 2.110.

Já em São Paulo, os imóveis mais caros estão localizados no bairro da Vila Nova Conceição, zona sul da Capital, com média de R$ 13.499 por m², pouco acima dos R$ 12.192 anunciados no Jardim Paulistano, a segunda metragem mais valiosa na cidade.

Em contrapartida, o distrito de Guaianazes (zona leste) tornou-se no último mês a região onde são encontrados os preços mais acessíveis: R$ 3.355.

17 Comentários

  1. Informações importantíssimas para o mercado imobiliário nacional porém, quando possível incluam o mercado GOIANO em suas estatísticas porquê ele também está em plena expansão.Reginaldo MarquesCreciGo 20719

  2. São Paulo vai conseguir competir com o Rio de Janeiro somente com ampliação do metrô e melhoria da segurança.

  3. Especulação ou não, quem dá o preço dos imóveis é o mercado. Vendi meu apartamento este mês com uma boa valorização e estou a procura de outro na zona sul carioca para investimento… O problema é achar outro apartamento no preço “justo”.

  4. Acho ignorância comparar o que acontece no Mercado Brasileiro com “Bolha Imobiliária”…Esse fenômeno que se deu nos EUA não ocorreu pela simples alta de preços e sim porque o sistema imobiliário americano (que é completamente diferente do nosso) permite que você possa pegar empréstimos de valores até maiores do que o valor de sua casa, usando a mesma como garantia. Quando as pessoas de baixa renda começaram a não pagar os empréstimos, os “investidores” que eram quem emprestavam o dinheiro tiveram que começar a ter outra renda e começaram a vender suas ações, com todo mundo vendendo a bolsa caiu…No caso Brasileiro, não podemos pegar outro empréstimo com a casa como garantia, apenas o financiamento dos Bancos que fazem todo um levantamento do seu crédito e em caso de inadimplência você tem o imóvel tomado, simples assim…O que ocorre no Brasil é a mais antiga e simples regra economica da Oferta x Demanda… Enquanto houver quem se sujeite a pagar os preços práticados os valores continuaram a subir.Mas tambem não concordo em falar em Ganância, pois quem tem um bem vende este bem pelo preço que bem entender, desde que encontre comprador para tal …o que tem ocorrido.

  5. Paulista sempre vai ter recalque por causa da valorizaçao do RJ a mais do que SP. Eles chamam de ganancia, a valorizaçao dos imoveis em consequencia da escassez de terrenos e a busca por uma melhor qualidade de vida. No caso da zona sul carioca, não adianta reclamar, vai aumentar e aumentar sempre. Quem puder compre não puder faça como algumas pessoas que compram imóveis maiores e melhores nas ” adjacências “.

  6. O que tem puxado a alta de preço dos imóveis é a oferta de crédito pelos bancos. Quem consegue comprar um apartamento nesse nível de preço sem financiar?Ocorre que o financiamento é mais vantajoso que pagar aluguel, quando se tem um valor elevado para a entrada. Muitas pessoas vendem seus imóveis para comprar um apartamento melhor ou em área mais nobre tomando financiamento bancário.Mas essa alta está próxima do fim!A partir do momento em que as taxas de juros americanos começarem a subir, não vai ter dinheiro fácil pelo mundo a fora!Com menos dinheiro para emprestar, os bancos serão mais seletivos na concessão de empréstimos, preferindo os mais rentáveis, que não é o caso do financiamento imobiliário.Nesse momento termina a alta. Mas não quer dizer que os preços cairão, necessariamente. Mas aumenta o risco de queda.

  7. Sou corretor de imóveis na cidade de São Paulo e posso afirmar que esses valores para os bairros citados, estão muito abaixo do valor real, aplicado nas vendas em São Paulo.Vila Nova Conceição esse m² quadrado de R$ 13.499 só se for o mais barato do bairro, imóvel caindo aos pedaços, pois nesse bairro tem imóveis custando mais de R$ 30.000 por m², Itaim bibi é a mesma coisa, R$ 10.915 por m² é quase impossível encontrar, lá gira em torno de R$ 13.000 a R$ 22.000 por m², Vila Olímpia é a mesma situação, quase impossível encontrar no valor citado nesta pesquisa, lá gira em torno de R$ 12.000 a R$ 18.000, Jardim Europa e Paulistano, é muito mais do que o citado nesta pesquisa, se fossemesses os valores reais para os bairros de São Paulo, muita gente estaria satisfeita com os preços. Essa média de R$ 10.000 por m² é praticamente o preço dos bairros mais em conta das zonas sul e oeste, só se encontra valores abaixo de R$ 10.000 por m² em bairros periféricos nas regiões sul e oeste de São Paulo. Sempre vejo essas pesquisas e noto que tem algo de errado, venham comprovar, vejam se realmente vão encontrar esses valores nos bairros citados na pesquisa, praticamente impossível.

  8. Pelo teor dos comentários, percebe-se claramente quem são aqueles que já tem um ou mais imóveis; e, por outro lado, falando em bolha e ganância, aqueles que ainda pretendem ter (e não estão conseguindo chegar lá).

  9. Sao Paulo vai conseguir competir com o Rio de Janeiro quando conseguir o milagre da criação de uma praia na capital.

  10. Sou corretor e perito avaliador de imóveis e afirmo que o valor do metro quadrado no RJ e nos demais estados estão abusivos por culpa de muitos profissionais corretores ou estagiários na profissão, que super estimam os valores dos imóveis para captarem opções, iludindo proprietários de imóveis em detrimento de quem realmente sabe avaliar.Resultado: metros quadrados diferentes no início, meio e final de ruas.Metro quadrado é válido apenas para imóveis novos. Os usados tem avaliação dependendo de uma série de itens de análise obedecendo-se as normas técnicas da ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas.

  11. Não consigo entender como é que alguém paga milhões por um imóvel no Rio. Cidade suja, calçadas cheias de buracos, perigosa (só é segura onde tem milícia), quente demais.

  12. As pessoas aqui falam em ganância, mas queria ver quem anunciaria seu imóvel por 300, 500 mil reais a menos que outros parecidos e à venda no mercado.Se há gente comprando não é ganância, é mercado!!!! Preço de mercado!!!! Sabem o que é isso?

  13. ficar falando de bolha para justificar a super valorização é balela. Quem ficar com pensamento de bolha não vai sair do aluguel!!!! E vai ficar frustrado por não ter comprado nada. Enquanto tiver facilidades de financiamento pelos bancos os imóveis vão continuar subindo os preço. os bancos estão lucrando muito com o mercado imobiliário com taxas 10% AA, seguro de vida, tarifas administração , cliente fidelidade por 30 anos e baixa inadimplêcia devido a necessidade de ter um teto para morar. o bancotem garantias o seu imóvel fica alienado o banco pode tomar o seu bem e leiloar, não creio que os preços vão cair acredito que vão estabilizar ou valorizar em proporções menores da atualidade, eu particularmente nunca vi ninguém vender um imóvel pelo preço que comprou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.