03/10/2013

Imóveis valorizam quase 40% no Brasil em 2013; veja os bairros com os maiores reajustes

Segundo o Índice FipeZap, no bairro Batel, em Curitiba, os imóveis registraram a maior alta nos preços em todo o país

Fonte: ZAP Imóveis

Toda pessoa já sabe que aplicar em um imóvel tem garantido cada vez mais retorno financeiro em 2013. E a boa localização tem sido fator fundamental na hora de conseguir uma valorização acima da média do mercado imobiliário brasileiro.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Segundo dados exclusivos do Índice FipeZap do mês de setembro, divulgado nesta quinta-feira, os preços do metro quadrado em determinados bairros do país aumentaram quase 40% ao longo do ano.

Entre os cinco bairros brasileiros que tiveram as maiores valorizações do ano, dois ficam situados em São Paulo: Vila Nova Conceição e Jardim Paulistano (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

É o caso do bairro Batel, em Curitiba, no Paraná, onde os imóveis registraram uma valorização de 37% em 2013, o maior reajuste anotado em todo o território nacional. A pesquisa considerou as duas localidades que mais valorizaram em cada uma das 16 cidades cujos preços são monitorados pelo índice.

Com o metro quadrado a R$ 5.801, em média, aquele bairro também liderou a relação das regiões que tiveram os maiores crescimentos de preços em 12 meses (setembro de 2012 a setembro de 2013): alta de 33,1%.

“Batel está entre os bairros que têm a maior renda domiciliar em Curitiba. Então, isso contribui. Mas, temos de entender que é um cenário de recuperação. No ano passado, a capital paranaense estava muito abaixo da média nacional”, pondera o coordenador do FipeZap, Eduardo Zylberstajn.

Já o bairro de Santinho, em Florianópolis, contou com a segunda maior valorização do país até o mês de setembro. Com um metro quadrado médio até mais caro do que Batel (R$ 8.398), aquele local de Santa Catarina viu os imóveis valorizarem 28,9% no acumulado do ano.

A região de Pina, no Recife, completou a lista dos três bairros que registraram as maiores modificações nos preços dos imóveis no país, com 18,8%.

“Em Recife, por exemplo, a taxa de desemprego caiu em 2013, segundo o IBGE, e isso pode ajudar a explicar este aquecimento lá. Porém, diferentemente do cenário que tínhamos antigamente no Brasil, com áreas ou estados mais homogêneos, hoje em dia vemos que cada região tem a sua própria realidade de preços”, completou Zylberstajn.

Os dois locais com o metro quadrado mais caro de São Paulo também estão entre os cinco bairros brasileiros que tiveram as maiores valorizações do ano. Vila Nova Conceição e Jardim Paulistano anotaram altas de 18,34% e 17,46%, respectivamente.

Pelo País – O Índice FipeZAP de setembro apontou que houve aumento de 1,2% nos preços anunciados do metro quadrado em setembro em relação ao mês anterior. É a nona alta seguida anotada em 2013. Com isso, a variação acumulada no ano ficou em 9,8%.

“Chama a atenção o fato de os preços ainda terem fôlego para subir”, apontou Zylberstajn.

Das 16 cidades cujos preços são monitorados, Curitiba novamente teve a maior alta no mês (3,8%), bem acima da segunda colocada no período, São Caetano do Sul, que registrou valorização de 1,8%.

Nos últimos 12 meses, além da capital do Paraná, onde os imóveis valorizaram 32,3%, os destaques foram Vitória (com aumento de 15,2%), Rio de Janeiro (14,9%), Porto Alegre (14,1%), Salvador (13,8%), Florianópolis (13,6%), e São Paulo (13,3%), com as maiores altas nos preços médios do metro quadrado anunciado.

Já o preço médio do m2 anunciado ficou entre R$ 9.614 (Rio de Janeiro) e R$ 3.739 (Vila Velha). Em São Paulo foi de R$ 7.539 e a média nacional foi de R$ 7.057.

Bairros do Rio e SP – Ainda segundo o Índice FipeZAP, nem a pequena queda nos preços tirou do bairro do Leblon, no Rio, o rótulo de lugar mais caro do país, com R$ 22.084 por metro quadrado, em média.

Em segundo lugar, continuou o distrito de Ipanema, também em território carioca, com R$ 19.128. A região mais barata ficou por conta da Pavuna, com R$ 2.103.

Já em São Paulo, os imóveis mais caros estão localizados no bairro da Vila Nova Conceição, zona sul da Capital, com média de R$ 13.430 por m², pouco acima dos R$ 11.482 anunciados no Jardim Paulistano, a segunda metragem mais valiosa na cidade.

Em contrapartida, no distrito de Artur Alvim (zona leste) continuou sendo a região onde são encontrados os preços mais acessíveis: R$ 3.409.

9 Comentários

  1. boa matéria, mas quanto vale, o m² de uma vaga embaixo dos viadutos e praças de SP, onde é difícil arrumar um espaço …

  2. olha, esse aumento não é normal, isto é loucura. Apos as olimpiadas vocês me contam, a queda vai ser grande. Odeio especuladores, pra mim são aproveitadores do dinheiro dos outros

  3. isso nada mais e que inflacionar o mercado,e quem faz isso sao os proprios empreendedores,imaginem um apto em sp,de 1 dorm.30 ou 40mts2,ao preço de 450mil ou mais? eu acho que estao enlouquecendo,finamciam mas nao pagam.

  4. Parabéns pela matéria dentro desse tema de tamanha importância para o País. J.FrancoConsultoria de ImóveisUberlândia M.G.

  5. E Jurerê Internacional (Florianópolis-SC)? É super caro o m² por lá! É cada mansão que é de se deixar de cabelo em pé!

  6. Poderiam divulgar também os preços de Aracaju, visto que, aqui tem imoveis que teem o preço por m2 muito caro, chegando a $15.000,00.

  7. gostaria de saber o quanto custa o mtr quadrado para venda de um terreno 2050 mtrs quadrados (16 casas)no melhor bairro de sao caetano do sul ,para investidores, construirem predios,pra eles venderem depois o preço e alto mas para nos que vendemos o terreno, o preço e sempre ilusorio, gostaria de saber o valor quando e assim ,obrigada ate.

  8. Bom dia a todos,os preços continuam a subir no Rio de Janeiro, o financiamento bancário está em 35 anos (quase a metade do tempo da expectativa de vida do brasileiro), aonde a gente vai parar? Não vai demorar muito, a gente vai fazer financiamento dentro da barriga da mãe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.