04/03/2009

Imóvel com desconto: com dinheiro na mão, é só pechinchar

Fonte: Jornal da Tarde

Pesquisa do Creci mostra que, em janeiro, aquisição de usados foi fechada com redução de até 16,6% sobre o preço inicial de venda

Para quem está planejando a compra de um imóvel usado com pagamento à vista esta é a hora de pechinchar. De acordo com a pesquisa mensal realizada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), os descontos obtidos nas compras de imóveis realizadas em janeiro chegaram a 16,66%.

Segundo o presidente do conselho, José Augusto Viana Neto, isso ocorre porque os proprietários estão colocando os preços dos imóveis lá em cima para ter uma margem de negociação, principalmente quando o negócio é fechado para pagamento em parcela única ou parcelamento em até três vezes direto com o proprietário, situação que representou 60% das compras concluídas no primeiro mês do ano. “Essa é a vantagem do usado, pois há maior possibilidade de negociação entre as partes”, comenta.

O maior desconto (16,66%) foi encontrado em imóveis da Zona B, que concentra bairros como Aclimação, Jardim São Bento e Vila Sônia. Em dezembro, esse abatimento era de 4,92%, o que resulta em um crescimento de 238,62% no desconto na comparação com janeiro deste ano. O preço médio do m² varia entre R$ 1.832,83 para apartamentos modelo standard até R$ 4.722,22 para casas de luxo.

Segundo Viana Neto, o mercado reagiu bem à crise econômica mundial e a valorização imobiliária continua, com alta de 1,35% em janeiro no m² comercializado. Os mais vendidos têm preço médio final de R$ 160 mil e correspondem a 58,14% dos negócios realizados no período.

Para a consultora de vendas da Pacheco Imóveis, Maitê Rodrigues, não houve queda de preço das unidades como se previa para o início desse ano em consequência da crise. “Mesmo os que estão supervalorizados encontram compradores, por isso o mercado continua com valores altos”, diz. “Também está normal a questão dos financiamentos, pois os bancos estão liberando crédito. Não tivemos problema nesse sentido”, afirma.

A gerente geral de Locação e Vendas da Lello Imóveis explica que o mês de janeiro não foi ruim em venda em comparação aos outros meses. “O que tivemos foram muitas consultas, de pessoas que querem saber se o imóvel em que moram está valorizado e de interessados na compra querendo saber se houve queda de preço, o que não aconteceu. As pessoas procuram oportunidades”, diz.

Quanto à locação, o valor subiu 4,01%, segundo o Creci-SP. A valorização ocorreu, diz Viana Neto, porque muitos imóveis foram entregues no final do ano passado e estão sendo locados no início deste ano com valorização.

As unidades que tiveram a maior alta no período foram as casas de três dormitórios, situadas na zona D (Bela Vista, Aricanduva, Casa Verde, entre outras), com 25% de aumento. A maior queda foi registrada pelos apartamentos de um quarto na Zona C (Barra Funda, Horto Florestal, Jabaquara, por exemplo), com queda de 22,89% no valor cobrado de aluguel.

CLASSIFICAÇÃO

LUXO

Uma a duas unidades por andar, piso de tábuas corridas, cozinha projetada, papel de parede ou pintura acrílica, boxe de vidro temperado, etc.

PADRÃO MÉDIO

De duas a quatro unidades por andar, azulejos decorados, cerâmica simples, carpete sobre cimento ou taco, boxe de alumínio, etc.

STANDARD

Mais de quatro apartamentos por andar, taco comum no piso, azulejos simples (1/2) barra, etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.