13/07/2010

Imóvel de um dormitório vira raridade

Fonte: Jornal da Tarde
(Foto: Divulgação)
Não há porque a comercialização dos apartamentos pequenos vem crescendo mês a mês (Foto: Divulgação)

Os imóveis de um dormitório se tornaram raridade no mercado, pressionando os preços e dificultando a vida de quem busca um apartamento pequeno e mais barato. Do estoque total de 10.442 unidades novas que a capital reunia em maio, apenas 577 tinham um quarto – a maioria dos lançamentos era de três ou quatro dormitórios, informa o Sindicato da Habitação (Secovi-SP).

O resultado é que a velocidade de comercialização dos apartamentos pequenos vem crescendo mês a mês. Um índice do Secovi-SP, que mostra quantos imóveis são vendidos em relação ao estoque – o VSO (vendas sobre ofertas) – espelha bem esta situação. Só em abril, de cada 100 apartamentos de um dormitório colocados à venda na capital, 59 foram vendidos, o melhor índice do mercado.

Mas se a procura é grande e a venda é certa, por que as construtoras não apostam mais nesse tipo de lançamento? A resposta é simples: porque não vale a pena financeiramente. “O custo de construir um imóvel de um dormitório é o mesmo de construir um de dois dormitórios com metragem semelhante. E no de dois, o lucro é maior”, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Diante desse diagnóstico, Petrucci dá o veredicto: “a situação não deve mudar, os imóveis de um dormitório continuarão a ser raridade”. Por isso, quem procura um apartamento de um dormitório – seja para comprar, alugar ou investir – vai precisar de paciência e sorte. “Ou então terá de ser flexível e aceitar outras opções”, diz Elaine Fouto, gerente de marketing da Lello Imóveis.

LEIA MAIS:

SACADA, 3 QUARTOS, 67M²: É A NOVA ARQUITETURA POPULAR

PESQUISA APONTA AS TENDÊNCIAS DO MERCADO IMOBILIÁRIO

4 IMÓVEIS SÃO VENDIDOS POR HORA EM SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.