11/03/2013

Imóvel novo em São Paulo encolhe quase 30%

Fonte: ZAP Imóveis

Segundo Embraesp, a área útil média ponderada dos imóveis construídos caiu de 102,33 metros quadrados em 2007 para 72,85 metros quadrados no ano passado

Apesar de os preços dos imóveis continuarem a subir ano a ano, o tamanho dos lançamentos não tem acompanhado a esta alta. Pelo contrário.

Segundo dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), os apartamentos novos em São Paulo tiveram uma redução de tamanho de 29% nos últimos cinco anos.

Considerando a área útil média ponderada, os imóveis construídos caíram, em geral, de 102,33 metros quadrados em 2007 para 72,85 metros quadrados no ano passado.

“Vejo este cenário pelo lado da demanda. Houve um aumento na procura por apartamentos com áreas reduzidas, e de menor valor ou padrão. São unidades pequenas com preços acessíveis”, avalia Luiz Paulo Pompéia, presidente da Embraesp.

Apartamentos com um dormitório tiveram queda na área útil média de 44,23 m² em 2007 para 39,28 m² em 2012 (Fotos: Banco de Imagens / Think Stock)

Para ele, em cidades como São Paulo, a diminuição do tamanho não fez o consumidor pagar menos, já que a redução na metragem foi compensada pelo forte aumento no valor do metro quadrado.

Este cenário de apartamentos mais apertados, no entanto, não significa que todas as tipologias ficaram menores. Isso acontece porque a área útil média ponderada leva em consideração a metragem dos bens e a quantidade de unidades lançadas no período com aquele perfil.

Assim, os únicos lançamentos que registraram queda efetivamente nos tamanhos em relação a 2007 foram os apartamentos com um dormitório, com uma redução de espaço de 11,2%. Em contrapartida, foi o único perfil de imóvel que registrou um crescimento significativo na quantidade construída.

Há seis anos, as 534 unidades lançadas com a tipologia mais enxuta do mercado tinham uma área útil média de 44,23 m². Já em 2012, esta marca caiu para 39,28 m² nos 4.740 lançamentos registrados.

Os imóveis com três dormitórios ficaram praticamente do mesmo tamanho (85,35 m² para 85,38 m²), enquanto os bens com dois quartos tiveram leve alta na área útil média (52,63 m² para 56,60 m²)

“Em São Paulo, o número de apartamentos com um dormitório é quase dez vezes maior do que víamos em 2007. Já a quantidade de lançamentos com quatro quartos caiu quase cinco vezes”, pondera Pompéia.

Com isso, pôde-se notar que os imóveis com três dormitórios ficaram praticamente do mesmo tamanho (85,35 m² para 85,38 m²), e os bens com dois quartos tiveram leve alta na área útil média (52,63 m² para 56,60 m²).

A exceção ficou para a maior tipologia (quatro dormitórios), que ficou maior no intervalo analisado, subindo de 167,83 m² em 2007 para 186,63 m² em 2012. Porém, este perfil de imóvel está mais raro de se encontrar, já que foram construídas somente 2.692 unidades no ano passado, número bem inferior aos 13.304 anotados em 2007, segundo a entidade.

“Sem dúvida, há uma tendência para uma diminuição de espaços. Novos arranjos familiares, como solteiros, casais sem filhos ou até da terceira idade, e viúvos, têm gerado esta demanda por bens cada vez menores e com menos dormitórios”, concluiu Pompéia.

9 Comentários

  1. BOA TARDE , DEPOIS DE 30 ANOS TRABALHANDO COM ÁREAS PARA INCORPORAÇÕES , VENHO A DIZER INFELIZMENTE QUEREM PAGAR MENOS O TERRENO ILUDIR O COMPRADOR COM A SUNTUOSIDADE DE LAZER E PORTARIA REDUZIR A ÁREA UTIL E ELEVAR O PREÇO DO METRO QUADRADO RIDICULO

  2. Bom dia! Me caso no ano que vem e acabei de adquirir um imóvel de dois quartos com 65 metros quadrados. Discordo em absoluto que houve mudança em arranjos familiares ou que as pessoas de fato prefiram pequenos apartamentos. O que acontece é que jovens como eu não conseguem adquirir apartamentos com metragem razoável nos mesmos bairros em que foram criados. A alta nos preços é extremamente abusiva e é isso que leva aos menores apartamentos. Se nos apertamos cada vez mais em pequenos apartamentos, porque uma construtora venderia 30 apartamentos em um empreendimento em que consegue encaixar 130?

  3. Estou no mercado a pouco tempo, mas já havia notado a diminuição de área dos apartamentos de 1 e 2 dorms, assim como a manutenção dos valores elevados de venda. No entanto, também observo que não há lançamento de novos sem uma farta inclusão de facilidades, como salões de festas para todas as idades, salões de jogos, áreas de recepção e convivência, piscinas com raias, piscinas cobertas, academias, quadras, saunas, salões para mulheres e áreas para cuidados e passeio com animais. Tenho a impressão que se esta privilegiando o convívio em condomínio, concentrando estes serviços, e então, o apartamento fica apenas para o pernoite!

  4. O Brasil vive uma perigosíssima bolha imobiliária que está prestes a estourar. Seu limite está próximo do que a população aguenta. Os preços estão muitíssimo descolados da renda capaz de financiar estes empreendimentos. Quem comprar imóvel nos próximos anos vai amargar um grande prejuízo ou passar raiva vendo sua dívida maior que o valor de mercado do imóvel. Esperem a copa e as olim-piadas passarem.

  5. EM BAIRROS MAIS BARATOS PODEM ADQUIRIR AINDA IMOVEIS COM PREÇOS MAIS EM CONTA.MAS AS PESSOAS QUEREM MORAR EM LUGARES VALORIZADOS COM IMOVEIS NOVOS E BOA QUALIDADE DE VIDA ENTAO PAGAM MESMO ACIMA DE 5 MIL O M2.TEM MUITO LUGAR BARATO MUITO BARATO AINDAMAUA, CIDADE TIRADENTES, SAO MATEUS, FERRAZ DE VASCONCELOS, ETC…QUER MORAR EM BAIRRO COM INFRA ESTRUTURA OTIMA LIMPA ETC PAGA O PREÇO…O QUE ESTAO FAZENDO É DIMINUIR O TAMANHO PRA VENDER PARA QUEM GANHA POUCO.TRABAHO COM APTOS PQNOS E VENDE TUDO.E PASMEM, O ALTISSMO PADRAO CARISSIMO TAMBEM VENDE, BASTA TER UM PROJETO MODERNO DIFERENCIADO E BEM LOCALIZADO, VAI TUDO NA PLANTA, OS RICOS PARCELAM EM 4, 5, 6 X NO MAXIMO .OS QUASE POBRES FINANCIAM NO BANCO E COMPRAR 40M2 A 250MIL FAZER O QUE… SE PUDESSEM COMPRARIAM 150M2 A 600MIL (COBERTURAS) EM SANTO ANDRE.TODO MUNDO ACHA CARO O M2VAI PERGUNTAR PARA O PEDREIRO O QUANTO ELE COBRAR HOJE EM DIA PRA CONSTRUIR…E OS FISCAIS, O IMPOSTO SOBRE A OBRA E EMPREGADOS, DAI VOCE VAI ENTEDER… QUE TUDO FICOU CARO.

  6. Moro num apartamento de 3 dormitórios com 111 m2 de área útil, num prédio de 30 anos. Resolví vender e fui procurar um outro apartamento mais novo. Pelo mesmo valor do meu imóvel, eu compraria um apartamento com a metade da metragem do meu. Cheguei a conclusão de que meus móveis teriam que ser trocados pois não caberiam no novo imóvel. Até quando seguirá essa tendência?

  7. No meu entender é absurdo o que estão fazendo na construção de aptºs. Até 80m2 dá um excelente dois quartos com DE. Para 03 qts o ideal seria com 120m2, e de 04 acima de 150m2. O melhor seria se o pessoal não comprasse pq as construtoras iriam pensar duas vezes.É o que faço não compro. Aguardo uma boa oportunidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.