23/06/2009

Imóvel: objeto do desejo

Fonte: Jornal Extra

Maior movimentação do mercado está na base da pirâmide e não na faixa de maior renda

 

A proporção de pessoas com imóvel próprio é menor nas classes C, D e E (Foto: stock.kkma)
A proporção de pessoas com imóvel próprio é menor nas classes C, D e E (Foto: stock.kkma)

A classe C, que representa 52% da população, tem tido mais facilidade com programas de financiamento e utilização de recursos do FGTS na compra de imóveis. Segundo o consultor Renato Meirelles, do Instituto Data Popular – que realizou uma pesquisa sobre o setor e a população carente -, a maior movimentação do mercado está na base da pirâmide e não na faixa de maior renda.

“A proporção de pessoas com imóvel próprio é menor nas classes C, D e E, mas, em contrapartida, vê-se que esse público da base é muito mais jovem do que os da classe A e B. Sendo assim, o número potencial de famílias é maior e a demanda pelo perfil de imóvel para esse público guiará o mercado imobiliário nos próximos anos”, disse Meirelles.

Portanto, as construtoras e imobiliárias devem estar preparadas para atender às exigências específicas. O consumidor de baixa renda, segundo o especialista, tem mais medo de não receber o imóvel e de não conseguir pagar as prestações. A ligação com o bairro também é outro fator que deve ser levado em conta, pois, geralmente, esse público evita se afastar de parentes e amigos quando vai comprar ou alugar uma casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.